Google Tag Manager

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Como definir Paixao Amor Sexo e Afeicao

Como definir Paixão, Amor, Sexo e Afeição (Limerence)








Paixão










A paixão (do verbo latino, patior, que significa sofrer ou suportar uma situação dificil) é uma emoção de ampliação quase patológica

O acometido de paixão perde sua individualidade em função do fascínio que o outro exerce sobre ele. 

É tipicamente um sentimento doloroso e patológico, porque, via de regra, o indivíduo perde parcialmente a sua individualidade, a sua identidade e o seu poder de raciocínio.
Índice 
1 Diferenças entre amor e paixão
1.1 Efeitos
1.2 Literatura
1.3 Bases biológicas
2 Bibliografia
3 Ver também
Diferenças entre amor e paixão

O sentimento exacerbado entre duas pessoas é um exemplo de uma paixão. A paixão pode ultrapassar barreiras sociais, diferenças de formação, idades e gêneros. 

A paixão completamente correspondida causa grandiosa felicidade e satisfação ao apaixonado, pelo contrário, qualquer dificuldade para atingir essa plenitude pode trazer grande tristeza pois o apaixonado só se vê feliz ao conseguir o objeto de sua paixão

A paixão é uma patologia amorosa, um superlativo fantasioso da realidade sobre o outro, tendo em vista que o indivíduo apaixonado se funde no outro, ou seja, perde a sua individualidade, que só é resgatada quando na presença do outro. 

Com o passar do tempo, essa intensidade de fusão vai se esvaindo, tendo em vista que a paixão é uma idealização mítica do outro. 

Quando o apaixonado começa a perceber que essa idealização, com o passar do tempo, foi equivocada, porquanto o outro não se comportava dentro do perfil de expectativas idealizado miticamente pelo apaixonado, é gerada uma intensa frustração, que passa a ser vivenciada com intensa irritabilidade pelo então apaixonado. 

Desta forma, o apaixonado vai percebendo o equívoco que cometeu, pela recorrência das frustrações no tocante às suas expectativas fantasiosas pelo outro, objeto da paixão e o processo começa então a regredir, a se inverter, com a paulatina volta e reforço da identidade do ex-apaixonado, que passa a enxergar o outro como ele realmente é, o que, via de regra pode até gerar um sentimento inverso de extrema repulsa, pelos sofrimentos suportados.

Existem pesquisas científicas nesse âmbito, que mostram que a paixão, apesar de intensa e arrebatadora, é um sentimento passageiro. 

Estima-se que a mesma não dure por mais de quatro anos. 

Adolescentes estão mais sujeitos a apaixonarem-se, devido ao pouco conhecimento de mundo entre outras coisas, o que não significa que pessoas de maior idade não estejam passíveis de tal sentimento. 

O que ocorre é que a pessoa adulta, por ter maior conhecimento de mundo, por ter vivenciado maiores experiências, não estará tão sujeita a perder a razão e deixar-se dominar pelo peso do sentimento.
Efeitos
A paixão é um sentimento de desejar, querer, a todo custo "o amor de outro ser ou objeto". 
Necessidade de ver e tocar a pessoa ou objeto por qual se apaixonou, ou ate mesmo saber que aquela pessoa amada tambem gosta dele e está pensando nele.

Deste modo.pode ser um entendido como um "vício" que debilita a mente do indivíduo pois este foca somente a pessoa amada ou objeto artístico nos seus pensamentos sendo todos os outros momentâneos e irrelevantes.

A paixão pode ser um entendido como um "sedativo" que suscita um prazer admirativo pelos detalhes da pessoa amada

Para saber mais, clique em Mais informações, abaixo.


Literatura

São variados os textos literários que abordam o tema. Dentre eles, destacam-se Os sofrimentos do jovem Werther, de Goethe, em que o protagonista Werther, ao ver perdidas todas as esperanças de obter Carlota, beija apaixonadamente as armas em que sua amada tocara e, com elas, acaba com a própria vida. 

O romance de 1776 provocou uma série de suicídios na Alemanha, entre jovens que, dizia-se, inspiraram-se no personagem devido ao peso do sentimento não correspondido. 

Outra obra em que a paixão é abordada é Romeu e Julieta, de Shakespeare, onde os dois jovens se apaixonam contra o permitido pelas suas famílias e sem possibilidade de as enfrentar. 

Sem conseguir desistir daquele relacionamento, o resultado é a falha da tentativa de fuga e o consequente duplo suicídio.
Bases biológicas

Segundo recentes estudos de Donatella Marazziti (2007, Livro Natureza do Amor), a paixão se caracteriza, do ponto de vista biológico, por uma liberação contínua de alguns neurotransmissores como Dopamina e Noradrenalina

A Amígdala (cerebelosa) tem um papel central neste processo, pois é desta região que emana alguns dos sentimentos mais instintivos

Esta tempestade bioquímica está relacionada com um índice mais baixo de Serotonina do que em uma população normal, sendo semelhante ao nível deste neurotramissor nos portadores de Transtorno Obsessivo-Compulsivo, o que explicaria os pensamentos obsessivos da pessoa a qual se está apaixonado. 

Estes níveis bioquímicos explicam por que a pessoa tende a perder a razão, enquanto em estado de apaixonamento. 

Este mecanismo é semelhante ao de algumas drogas, como a cocaína, sendo necessário para a perpetuação da espécie, pela atração. 

Além destes neurotransmissores citados, há a participação de outras substâncias, tais como OxitocinaVasopressina, que estão relacionadas com o amor e as sensações de segurança e calma derivadas deste sentimento¹.
Bibliografia
Sílvia Lisboa - A química da Paixão - Jornal Zero Hora, encarte Vida - 20 de outubro de 2007, nº833, Porto Alegre, RS, Brasil
Ver também

O Wikcionário possui o verbetepaixão
Namoro
Amor
Ficar
Limerence
Virtude
Pecado
veAfetos, emoções e sentimentos (lista)
Agressividade · Afetividade · Aflição · Alegria · Altruísmo · Ambivalência · Amizade · Amor · Angústia · Ansiedade · Antipatia · Antecipação · Apatia ·Arrependimento · Arrogância · Autopiedade · Bondade · Carinho · Compaixão · Confusão · Ciúme · Constrangimento · Coragem · Culpa · Curiosidade ·Contentamento · Depressão · Desapontamento · Deslumbramento · · Decepção · Dúvida · Egoísmo · Empatia · Esperança · Euforia · Entusiasmo ·Epifania · Fanatismo · Felicidade · Frieza · Frustração · Gratificação · Gratidão · Gula · Histeria · Hostilidade · Humor · Humildade · Humilhação ·Incômodo · Inspiração · Interesse · Indecisão · Inveja · Ira · Isolamento · Luxúria · Mágoa · Mau-humor · Medo · Melancolia · Negoísmo · Nojo · Nostalgia · Ódio · Orgulho · Paixão · Paciência · Pânico · Pena · Piedade · Prazer · Preguiça · Preocupação · Raiva · Remorso · Repugnância · Resignação ·Saudade · Schadenfreude · Simpatia · Soberba · Sofrimento · Solidão · Surpresa · Susto · Tédio · Timidez · Tristeza · Vergonha

Limerence (Afeição Possessiva)











Limerence
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fonte: 
http://pt.wikipedia.org/wiki/Limerence


No cérebro a limerância é muito similar a um transtorno obsessivo-compulsivo[1]

Varia pouco de acordo com gênero, raça, idade, classe social porém tem diferenças significativas dependendo da cultura.

Limerence ou limerância é um estado cognitivo e emocional involuntário, no qual uma pessoa sente um intenso desejo romântico para com outra pessoa (objeto da limerância) ou mesmo sem uma pessoa em questão, é basicamente um comportamento que a pessoa afetada fica carinhosa, sonhadora, receptiva a flertes, sentindo uma intensa necessidade romântica.


É o equivalente na linguagem cotidiana ao "ter uma queda por alguém", embora limerância possa durar dias, meses, anos, ou até mesmo pelo resto da vida.


Usado para diferenciar do sentimento de amor.[2]


Sua definição é semelhante a de paixão.


Índice
1 Características
2 Sinais e sintomas
3 Origem do termo
4 Patológico
5 Ver Também
6 Referências

Características

Pode variar de intensa alegria, absoluta calma e relaxamento ou até o desespero extremo, é basicamente um comportamento que a pessoa afetada fica carinhosa, sonhadora, receptiva a flertes, sentindo uma intensa necessidade amorosa. 


Dependendo da reciprocidade do objeto de limerância (limerent object) quando o tem: 

Seus traços chaves - o pensamento obsessivo sobre o objeto de limerância, 
- a avaliação bastante positiva de seus atributos, 
- dependência emocional e 
- desejo por reciprocidade (quando é uma pessoa em questão).

Limerence tem alguns componentes básicos[3]:
Pensamento intrusivo sobre o objeto de seu desejo (objeto da limerância), que é um possível parceiro sexual;
Intenso desejo por reciprocidade;
Humor dependente das ações do objeto de desejo ou, mais precisamente, a sua interpretação das ações do objeto de desejo com relação à probabilidade de reciprocidade;
Incapacidade de sentir limerância por mais de uma pessoa ao mesmo tempo, exceto quando a pessoa não tem um objeto em foco, ou é um objeto de desejo do passado ou a limerância está desfazendo-se (depende da cultura e visão sobre relacionamentos da pessoa);
Algum alívio fugaz e transitório da paixão não correspondida limerent através da imaginação vívida da ação por LO que significa reciprocidade;
Medo da rejeição, incerteza e timidez, por vezes incapacitante, sempre que na presença inquietante do objeto de desejo, especialmente no início;
Intensificação através de certas adversidades;
Sensibilidade intensa a qualquer ato ou pensamento ou condição que pode ser interpretada favoravelmente, e extraordinária capacidade de conceber ou inventar explicações "razoáveis" para ações que são interpretadas como neutras por terceiros;
Dor no peito quando a incerteza é forte;
Sensação de flutuar (emocionalmente) quando a reciprocidade parece evidente;
Intensidade de sentimento tão intensa que outros problemas ficam em segundo plano, algumas pessoas simplesmente não conseguem ficar estressadas ou preocupadas, ou ficam com mais dificuldade;
Notável capacidade de enfatizar o que é verdadeiramente admirável no objeto de desejo, negligenciando os traços negativos, ou respondendo com compaixão, compreensão e carinho perante os traços negativos e tornando-os, emocionalmente, se não perceptualmente, em outros atributos positivos, é como se a pessoa transpirasse oxitocina.

Sinais e sintomas

Ao contrário do amor ou de mero afeto, a limerância consome totalmente o indivíduo. Outros aspectos da sua vida pessoal, incluindo amor, são muitas vezes sacrificados por esta necessidade desesperada pelo objeto amado.[4]

Os sintomas são:
Coração acelerado;
Tremores;
Rubor;
Dilatação da pupila;
Fraqueza geral;
Estômago "revirando";
Gagueira;
Timidez;
Confusão mental;
Perda de apetite;
Alteração do ciclo de sono;

E não necessariamente precisa haver atração sexual.

Origem do termo

O conceito de limerância foi originado na pesquisa de Dorothy Tennov nos anos 60. Entrevistando mais de 500 pessoas dentro do assunto amor. O termo foi cunhado em 1977, publicado no livro "Love and Limerence: The Experience of Being in Love" no ano de 1979. Ela se propõe a estudar mais a fundo as características desse estado e as diferenças culturais entre eles.

Patológico

Quando o objeto de desejo rejeita bruscamente a vítima da limerância, pode tentar suicídio para acabar com os sentimentos aversivos resultantes.

Em pessoas com erotomania e com transtorno de personalidade limítrofe a limerância é frequente e muito intensa mesmo sem evidências de reciprocidade e o risco de suicídio muito maior.

Ver Também
Eros (psicanálise)


Referências

http://www.oprah.com/relationships/The-Science-of-Being-Love-Sick-Relationships-and-Limerence
Tennov D. (1979) Love and Limerence: The Experience of Being in Love. Scarborough House. New York, New York: Stein and Day
http://www.stormtiger.com/collie/archive/addons/200402a.html
http://www.gramps.org/limerence/


.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Marque uma consulta comigo

Agenda