Google Tag Manager

quinta-feira, 30 de maio de 2013

O Amor na Palma da Sua Mao

O Amor na Palma da Sua Mão








A venda na Editora Pensamento


AMOR NA PALMA DA SUA MÃO
Autor(es): Ghanshyam Singh Birla
Editora: Pensamento
Páginas: 184
De:  R$ 30,00
Por: R$ 27,00 
Consultado em 30/05/2013 as 11:20 no site
Estimado leitor, recebi a seguinte pergunta por e-mail
"
Gostaria se fosse possível que você fizesse o desenho de onde começa e onde termina a Linha Purva Punya que está descrita no livro "O amor na palma da sua mão" autor Guanshyam Singh Birla. "

Estive algumas vezes na Índia e no sânscrito se usa o significado no horóscopo indiano para as vidas passadas nesta expressão.


Em sânscrito, a lingua dos Vedas, Punya significa mérito. E Purva, significa frente, avante, futuro. 


Então Purva Punya quer dizer a futura encarnação, o mérito futuro. A recompensa. A felicidade. O destino.


A linha da felicidade, também chamada de linha Saturnina ou linha do destino, parte da raiz do médio, no monte de Saturno e estende-se até o meio da parte inferior da palma, dividindo a mão em duas partes: direita e esquerda. Também é chamada de linha da fatalidade ou Dharma ou ainda Linha de Saturno.
















A linha do destino é essa linha vertical na figura acima.

A linha do destino, da felicidade, ou Saturnina, que de estende debaixo do dedo médio e é cortada horizontalmente pela linha do coração e pela linha da cabeça, e, em baixo, pela linha das artes, indica se o indivíduo tem bom sucesso ou não.

Quando começa em baixo, perto da linha da vida, pressagia boa sorte, adquirida pelo mérito próprio.


Começando no monte de Marte, indica afeições, mas também esperanças e felicidade; uma vida agitada e penosa.


Quando começa no monte da Lua, significa que o indivíduo é dependente de outros ou protegido.


Sendo muito curta ou faltando totalmente significa que a vida da pessoa é regida pela simplicidade.

Havendo duas linhas do destino, podemos dizer que o indivíduo sente mais a sua influência, que depende da sua forma.


Uma linha do destino tortuosa, denota dificuldades de saúde e eventuais moléstias.


Se cortada no princípio por algumas linhas: acidente, ferida ou golpe.


Se for quebrada, cortada ou ligada a cada instante, significa muitas dificuldades e facilidades em sofrer acidentes.


Uma ilha na linha do destino supõe adultério ou união ilegal.

Os ramos anunciam, na linha do destino, felicidade completa, ao passo que as cadeias, denotam contrariedades, obstáculos e lutas.


Se a linha do destino se dirige par o monte de Mercúrio, significa êxito no comércio, ciência ou capacidade de falar em público.


Se a linha do destino se dirige para o monte do Sol, indica bom êxito nas artes e riquezas.


Se a linha do destino se dirige par o monte de Júpiter, significa ambição realizada ou felicidade devida à uma proteção.


Se a linha do destino, em sua parte inferior, tem a forma de uma verruma, conforme o desenho acima, prognostica o começo infeliz da vida, seguido, depois, por mudança de posição e felicidade.


A orígem é Védica e conforme tradução do site,


temos:http://www.soothsayers-india.com/Past-future-horoscope.html


PASSADO & FUTURO carma de um horóscopo


A quinta casa de um horóscopo, em astrologia indiana é chamada de "Poorva punya sthanam ".

O significado desta casa é de boas ações de encarnações anteriores. 


Para saber mais, clique em Mais informações, abaixo.



domingo, 26 de maio de 2013

Dor depressao e tendencia suicida pode ser fibromialgia

Dor depressao e tendencia suicida pode ser fibromialgia













Pontos de dor para diagnóstico veja em
http://biometrio.blogspot.com.br/2013/01/fibromialgia.html

Causas
http://www.tuasaude.com/causas-da-fibromialgia/


Depoimentos
http://cmtv.sapo.pt/atualidade/detalhe/fibromialgia-doenca-nao-tem-cura.html
Tratamento natural para Fibromialgia

Um ótimo tratamento natural para fibromialgia é investir nos alimentos ricos em triptofano como:
tomate, soja, frutos do mar, produtos integrais,
frutas secas e gordurosas como nozes e castanhas.

Esses alimentos estimulam a produção de serotonina, uma substância responsável pela sensação de bem estar físico e emocional, auxiliando no tratamento da fibromialgia diminuindo as dores e os incômodos causados.
Referência Bibliográfica

BRAZ AS; PAULA AP; DINIZ MFFM; ALMEIDA RN. Uso da terapia não farmacológica, medicina alternativa e complementar na fibromialgia. Acesso em Nov. 2011.

Estes mesmos medicamentos são indicados para os casos de depressão profunda.

A fibromialgia é acompanhada de depressão e de tendências suicidas

http://hypescience.com/estudo-diz-que-a-fibromialgia-vem-acompanhada-de-risco-de-suicidio/


Como lidar com as crises de fibromialgia

http://www.fibromialgia.com.br/novosite/index.php?modulo=pacientes_outros_editais&id_mat=15

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Musicoterapia os hungaros estao a frente



Musicoterapia os húngaros estão a frente

Musicoterapia
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fonte: 
http://pt.wikipedia.org/wiki/Musicoterapia
Musicoterapia é a utilização da música e/ou de seus elementos constituintes, ritmo, melodia e harmonia, por um musicoterapeuta qualificado, com um cliente ou grupo, em um processo destinado a facilitar e promover comunicação, relacionamento aprendizado, mobilização, expressão, organização e outros objetivos terapêuticos relevantes, a fim de atender as necessidades físicas, emocionais,mentais, sociais e cognitivas. 

A musicoterapia busca desenvolver potenciais e/ou restaurar funções do indivíduo para que ele ou ela alcance uma melhor qualidade de vida, através de prevenção, reabilitação ou tratamento. (World Federation of Music Therapy)

Sennheiser HD555 headphone


Índice
1 Indicações
2 Processo
3 Musicoterapeuta
4 Estilos musicais
5 Ver também
6 Bibliografia
7 Ligações externas

Indicações

Os musicoterapeutas trabalham com uma gama variada de pacientes. 

Entre estes estão incluídas pessoas com dificuldades motoras, autistas, pacientes com deficiência mental, paralisia cerebral, dificuldades emocionais, pacientes psiquiátricos, gestantes e idosos. 

O trabalho musicoterápico pode ser desenvolvido dentro de equipas de saúde multidisciplinares, em conjunto com médicos, psicólogos,fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas e educadores.

Também pode ser um processo autônomo realizado em consultório.

O uso da música como método terapêutico vem desde o início da história humana. 

Alguns dos primeiros registros a esse respeito podem ser encontrados na obra de filósofos gregos pré-socráticos.

A sistematização dos métodos utilizados só começou, no entanto, após a Segunda Guerra Mundial, com pesquisas realizadas nos Estados Unidos.

 O primeiro curso universitário de musicoterapia foi criado em 1944 na Michigan State University.

Processo
O processo da musicoterapia pode se desenvolver de acordo com vários métodos. 

Alguns são receptivos, quando o musicoterapeuta toca música para o paciente. 

Este tipo de sessão normalmente se limita a pacientes com grandes dificuldades motoras ou em apenas uma parte do tratamento, com objetivos específicos. 

Na maior parte dos casos a musicoterapia é ativa, ou seja, o próprio paciente toca os instrumentos musicais, canta, dança ou realiza outras atividades junto com o terapeuta. 

A forma como o musicoterapeuta interage com os pacientes depende dos objetivos do trabalho e dos métodos que ele utiliza. 

Em alguns casos as sessões são gravadas e o terapeuta realiza improvisações ou composições sobre os temas apresentados pelo paciente. 

Alguns musicoterapeutas procuram interpretar musicalmente a música produzida durante a sessão. 

Outros preferem métodos que utilizem apenas a improvisação sem a necessidade de interpretação. 

Os objetivos da produção durante uma sessão de musicoterapia são não-musicais, por isso não é necessário que o paciente possua nenhum treinamento musical para que possa participar deste tratamento.

O musicoterapeuta, por outro lado, devido às habilidades necessárias à condução do processo terapêutico, precisa ter proficiência em diversos instrumentos musicais. 

Os mais usados são o violão, o piano (ou outros instrumentos com teclado) e instrumentos de percussão.


Musicoterapeuta

O profissional responsável por conduzir o processo musicoterápico é chamado musicoterapeuta. 

A formação desse profissional é feita em cursos de graduação em musicoterapia ou como especialização para profissionais da área de música ou saúde (músicos,professores de música, médicos ou psicólogos). 

Em alguns países a musicoterapia também pode ser parte de uma formação em arteterapia, que envolve, além da música, técnicas de artes plásticas e dança.

A formação do musicoterapeuta inclui teoria musical, canto, prática em ao menos um instrumento harmônico (piano ou violão), instrumentos melódicos (principalmente flauta) e percussão.

Também faz parte da formação do musicoterapeuta o conhecimento da anatomia e fisiologia humana, neurologia, psicologia, filosofia e noções de expressão artística, expressão corporal, dança, técnicas grupais e métodos de educação musical como o Método Orff ou o Método Kodály.

O dia do musicoterapeuta é comemorado no Brasil em 15 de setembro.

Estilos musicais

A intervenção terapêutica pode vir associada à outras técnicas como relaxamento progressivo, treinamento autógeno, reiki, yoga ouacupuntura

Apesar de haver um sub-entendido consenso sobre os benefícios da música clássica ou a música psicodélica eletrônica de sons contínuos ou no caso de acupuntura e yoga indiana associada à meditação assim como a música da China é sabido que o efeito da música sobre o paciente depende de sua história de convivência com os diversos estilos musicais por um processo de condicionamento estético e/ou vivência por ventura associadas.


A intervenção terapêutica pode vir associada à outras técnicas como relaxamento e técnicas transdisciplinares. 

Apesar de haver um sub-entendido consenso sobre os benefícios de algumas formas musicais, é sabido que o efeito da música sobre o paciente depende de sua história de convivência com os diversos estilos musicais por um processo de condicionamento estético e/ou vivência por ventura associadas. 

Por outro lado os musicoterapeutas na sua formação estudam os efeitos dos ritmos repetidos, a associação de ritmos ao transe e êxtase místico e/ou o seu efeito sobre as emoções humanas, relativamente bem conhecidos como por exemplo por produtores da música de filmes (suspense, ação, sensualidade, etc) e peças teatrais incluindo a ópera. 

Recentemente uma das maiores aplicações de sucesso reconhecido da musicoterapia tem sido o tratamento da dor crônica e stress pós traumático.

Bibliografia
Rolando Benenzon, Manual de musicoterapia, Paidós Ibérica, Barcelona, 1985.
Marcello Sorce Keller, "Some Ethnomusicological Considerations about Magic and the Therapeutic Uses of Music", International Journal of Music Education, 8/2(1986), 13- 16.
Léon Bence y Max Méreaux, Guía muy práctica de musicoterapia, Editorial Gedisa, Barcelona, 1988.
Leão, Eliseth R.; Silva, Maria J.P. Música e dor crônica músculoesquelética: o potencial evocativo de imagens mentais. Rev. Latino-Am. Enfermagem vol.12 no.2 Ribeirão Preto Mar./Apr. 2004 disponível em pdf
Hilliard, Russell E. Music Therapy in Hospice and Palliative Care: a Review of the Empirical Data eCAM 2005;2(2)173–178 (em inglês)

Ligações externas
WFMT - World Federation of Music Therapy (em inglês)
Music and Medicine (em inglês)
(em italiano) Experiência de musicoterapia com idosos e portadores de Alzheimer
União Brasileira das Associações de Musicoterapia

Método Kodály
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fonte: 
http://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A9todo_Kod%C3%A1ly

O Método Kodály é uma metodologia pedagógica, desenvolvida com base no trabalho do educador e músico húngaro Zoltán Kodály, que hoje constitui a base de todo ensino musical na Hungria.

Índice
1 O trabalho de Kodály
2 O canto
3 Solfejo mímico
4 Notação musical
5 Ver também
6 Referências

O trabalho de Kodály

De acordo com Kodály, o intelecto, as emoções e a personalidade de todas as pessoas podem ser desenvolvidas e trabalhadas através da música. 

Dessa forma, a música deveria ser acessível a todos, de maneira simples, porém sem perder a qualidade musical. 

Para encontrar uma música que pudesse ser apreciada e executada por todas as pessoas que assim o quisessesm, Kodály iniciou uma vasta pesquisa, que teve seu foco direcionado em especial para a música folclórica Húngara.

 Kodály acreditava que o estudo de música com as crianças devia partir das canções folclóricas e dos conhecimentos musicais que podiam ser explorados em seu estudo e através dessas canções ir expandindo o universo musical até alcançar a compreensão da literatura musical universal.

 O Método Kodály não foi escrito por Kodály e sim por seus seguidores, que utilizaram o material produzido por ele em suas pesquisas e práticas pedagógicas no campo do ensino da música.1
O canto

Representação de solfejo manual de Curwen . 
Esta versão inclui as tendências tonais e títulos interessantes para cada tom, é uma representação próxima à proposta do Método Kodály

O canto é a primeira etapa a ser trabalhada no método Kodály.

 O músico considerava o canto como fundamento da cultura musical pois a voz é o sinal mais imediato que nos comunica com a música, pois parte do próprio sujeito, que tem controle sobre ela. 

Por essa razão o método enfatiza o canto coral, não apenas como um meio de expressão musical e sim como um exercício para o desenvolvimento emocional e intelectual. 

A vivência do canto coral permite o contato com parâmetros musicais como a pulsação, o ritmo a forma e a melodia

Ao trabalhar o canto com as crianças, Kodály proporcionava uma vivência prazerosa da música, que poderia criar uma ligação entre a criança e a música, estimulando-a a buscar outras formas de expressão musical, como outros tipos de canto ou a vivência de uma música instrumental.

Esse prazer proporcionado pela música deve ser a tônica do ensino musical nesse método, e não um exercício rotineiro e maçante que pode acabar por afastar a criança da música.

De acordo com as pesquisas de Kodály as crianças não conseguem ouvir nem reproduzir os semitons, por isso se utiliza do Dó móvel nas atividades de solfejo, chamadas solfejo relativo, onde o dó pode ser colocado em qualquer lugar da escala musical, e dando início a uma escala de cinco tons ascendentes a partir daí.

 A pentatônico é a ideal para aprender nesse método, pois nele não há a presença de semitons. 

Depois de bem familiarizados com a escala pentatônica, os alunos terão maior facilidade em compreender a inclusão dos semitons e então reproduzi-los. 

Essas atividades de solfejo baseadas na tônica já introduzem, desde cedo, o conceito de função harmônica, que póderá ser sistematizado mais tarde.1

Solfejo mímico

O Solfejo mímico ou manosolfa2 é uma associação de gestos manuais com a altura das notas.

 É uma atividade que se utiliza do corpo das crianças para a vivência musical, assim como foi feito por Dalcrose em seu método. 

Cada uma das cinco alturas do solfejo relativo recebe um sinal gestual e um nome (que pode ser o nome da nota musical). 

Esse gesto irá ser executado no espaço diante do corpo da pessoa, em cinco alturas diferentes.

 Essa atividade permite que as crianças visualizem a altura musical observando como as notas "sobem" ou "descem" enquanto cantam e gesticulam melodias ascendentes e descendentes.1

Notação musical
Ao realizar o registro das melodias, não é usada a pauta musical e sim um registro onde é escrito o nome da nota e respeita-se o tempo de duração dela deixando um espaço maior ou menor no quadro que a representa. 

Assim o ritmo e seus valores de tempo são vistos pela criança de maneira concreta, e elas podem criar verdadeiros quebra-cabeças ao criarem melodias, depois exercitando o solfejo ao executá-las.1

Ver também 
Saiba mais. Clique em Mais informações, abaixo.

sábado, 11 de maio de 2013

Tristeza e perda da vontade de viver podem ser sintomas de depressao

Tristeza e perda da vontade de viver podem ser sintomas de depressão









Fonte: http://notapajos.globo.com/lernoticias.asp?id=26055
18/04/2009 as 09h26min    
Brasil - No diagnóstico, nove sintomas são levados em conta. O alerta é dado, quando pelo menos cinco deles aparecem.

1- Tristeza profunda,
 2- perda do interesse pelas atividades do dia-a-dia,
3- dificuldade em se concentrar, 
4- falta ou excesso de sono, 
5- alterações de apetite, 
6- cansaço, 
7- sentimento de culpa, 
8- de inutilidade,
9- Tristeza persistente.

A depressão é mais comum em mulheres e pode aparecer na infância.
 A mãe e a filha de 11 anos preferem não ser identificadas. "Uma noite, do nada, ela falou que ia se suicidar e tentou. Ela fala e executa. Não sabíamos o que era aquilo. O que era aquela situação. Não sabíamos quem era aquela pessoa".

Com remédios, terapia e carinho da família, as crises estão ficando cada vez mais raras. "Foi devagarinho, um passo atrás do outro. Até que se conseguisse chegar no que eu "tô" hoje. Não melhora rapidamente".

Algumas pessoas correm mais risco de ter depressão do que outras, mas os fatores genéticos importam menos do que a história de vida de cada um. 

Normalmente a doença está ligada a perdas ou decepções que não foram superadas.

O Brasil está entre os países que mais consomem remédios para depressão. 

Em um ano foram vendidas quase 25 milhões de caixas. 

Médicos e psicólogos acham que hoje os medicamentos dão menos efeitos colaterais do que os disponíveis na década passada e que o tratamento ficou acessível a todos.

"Houve uma avanço, sem dúvida vai beneficiar uma quantidade enorme de pessoas", diz Saint-Clair Bahls, psiquiatra.

Mas há especialistas que acreditam que o uso de medicamentos foi banalizado.

"O remédio é sempre a garantia de um alívio imediato, não é? E nem sempre isso é verdadeiro quando se trata de um transtorno ou de uma doença mental", afirma Cristiane Venetikides, psicóloga.

Libido e Castracao Quimica







Libido


Libido
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Libido

Nota: Para outros significados, veja Libido (desambiguação).


Este artigo é parte da série sobre
A Biologia do Sexo
Anatomia
Mulher


Aparelho Reprodutor Feminino
Seios | Lábios Vaginais
Vagina | Vulva | Ponto G
Clítoris | Hímen | Útero | Ovário
Trompas de Falópio
Homem


Aparelho Reprodutor Masculino
Pênis | Espermatozóide
Escroto | Epidídimo | Próstata
Vesícula seminal | Uretra
Testículos | Canal deferente

Outros
Boca | Zona Erógena
Nádegas | Ânus | Pêlo púbico

Fisiologia


Beijo | Abraço | Carinho | Prazer
Ereção | Orgasmo | Esperma
Ejaculação | Ejaculação Feminina
Libido | Disfunção Erétil | Frigidez
Orgasmo feminino
Ver também
Série Sexo


Libido (do latim, significando "desejo" ou "anseio") é caracterizada como a energia aproveitável para os instintos de vida. De acordo com Freud, o ser humano apresenta uma fonte de energia separada para cada um dos instintos gerais."Sua produção, aumento ou diminuição, distribuição e deslocamento devem propiciar-nos possibilidades de explicar os fenômenos psicossexuais observados" (1905a, livro 2, p. 113 na ed. bras.)

A libido apresenta uma característica importante que é a sua mobilidade, ou a facilidade de alternar entre uma área de atenção para outra.

No campo do desejo sexual está vinculada a aspectos emocionais e psicológicos.

Santo Agostinho foi o primeiro a distinguir três tipos de desejos: a libido sciendi, desejo de conhecimento, a libido sentiendi, desejo sensual em sentido mais amplo, e a libido dominendi,desejo de dominar.

Psicanálise

A obra de Sigmund Freud retoma o conceito de libido e lhe confere um papel central. Em seus primeiros trabalhos, a libido é o impulso vital para a auto-preservação da espécie humana, e compreende a libido como a energia sexual no sentido estrito, como o fenômeno do "impulso" do desejo e do prazer. Mais tarde, ele volta a enfatizar essa visão mais geralista de que o impulso de auto-preservação tem origem libidinosa, e confronta a libido com o instinto de morte. Em seus escritos posteriores, especialmente em “Além do Princípio do Prazer” (1920), ele usa, em vez da palavra libido um sinônimo Eros, que descreve como sendo a energia que impulsiona a vida. Na obra “Em Psicologia de Grupo e Análise do Ego” (1921), ele definiu a libido como sendo a "energia de tais instintos, que tem a ver com tudo o que pode ser resumido como o amor."

A libido segundo Freud, não está relacionada somente com a sexualidade, mas também está presente em outras áreas da vida, como nas atividades culturais, caracterizadas pela sublimação da energia libidinosa de Freud.

Segundo a teoria da libido em Freud, na infância a libido se desenvolve por fases e por várias etapas características do desenvolvimento: oral, anal, fálica, edipiana e, finalmente, uma fase genital (ver artigo principal: Teoria da unidade). Distúrbio do desenvolvimento da libido pode levar a transtornos mentais, de acordo com Freud.

Carl Gustav Jung quis dizer com a libido, em geral, toda a energia mental de um homem. Ao contrário de Freud, Jung considera que esse poder como semelhante ao conceito do Extremo Oriente do chi ou prana, ou seja, como um esforço geral para alguma coisa.

Lacan disse que a libido marca a relação na qual o sujeito toma parte da sexualidade, com sua morte. 1
[1]

Disfunção libidinal

A falta de libido é referida como frigidez.

Muitas doenças, incluindo doenças mentais e doenças psicossomáticas, estão relacionadas com falta de libido ou a perda de libido, por exemplo:
Depressão
anorexia
Cirrose
Hemocromatose
Hipogonadismo, eunuco e ism
Falta de Testosterona no homem, e a Efeminização

Algumas doenças resultam em um aumento excessivo da libido, por exemplo:
Obsessão
hipertireoidismo leve
Sífilis

Alguns medicamentos, e muitas drogas provocam alterações na libido. Um aumento patológico da libido é também conhecido como vício do sexo ou ninfomania / Satiríase.

Catexia ou investimento é o processo pelo qual a energia libidinal disponível na psiquê é vinculada à representação mental de uma pessoa, ideia ou coisa ou investida nesses mesmos conceitos. Em outras palavras, a raiva que se sente contra uma pessoa é uma catexia ou fixação de energia na representação mental dessa pessoa (e não nela como objeto externo) 2 .

Juntamente com o conceito de libido, Sigmund Freud dedicou os seus estudos a definir a catexia. Uma vez que a libido foi catexizada, ela perde sua mobilidade original e não pode mais ser alternada para novos objetos, como normalmente seria possível, ficando enraizada na parte da psiquê que a atraiu e reteve.

Estudos psicanalíticos sobre o luto interpretam o desinteresse por parte dos sobreviventes sobre as ocupações normais e a preocupação com o recente finado como uma migração da libido dos relacionamentos habituais e cotidianos e uma catexia extrema na pessoa perdida. Catexia é relacionada a sentimentos de amor, ódio, raiva, entre outros relacionados ao objeto. A decatexia é o processo inverso, a frieza total em relação ao objeto como ocorre na depressão, marcada por apatia e desinteresse.

Freud, ao estudar o atributo que os impulsos têm de impelir o homem à atividade, considerou-o análogo ao conceito de energia física, que se define como a capacidade de produzir trabalho. Assim, Freud entendeu que uma parte dos impulsos pode ser considerada energia psíquica. Tanto a energia física como a psíquica são hipóteses, já que os estados de energização não são passíveis de medida.

Portanto, presume-se que há um quantum de energia psíquica com o qual uma determinada pessoa ou objeto estão investidos. A palavra que Freud escolheu para designar esse conceito vem do alemão besetzung, traduzido para o inglês por cathexis – em português – catexia. Segundo Terzis (2001), a catexia é nada mais que o desejo. Parece que a motivação inerente ao ser humano possui um continuum de força que se torna perceptível em suas ações.
Referências

Fadiman,J. ; Frager, R. Teorias da Personalidade. São Paulo: Harbra,1986
Portal PsiqueWeb, Definição de catexia. [1]







Castração química
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Castra%C3%A7%C3%A3o_qu%C3%ADmica



A castração química é uma forma temporária de castração ocasionada por medicamentos hormonais para reduzir o libido. 


Diferente da castração cirúrgica, quando os testículos e ovários são removidos através de incisão no corpo, castração química não castra a pessoa praticamente, e também não é uma forma de esterilização.

É uma medida preventiva ou de punição àqueles que tenham cometido crimes sexuais violentos, tais como estupro e abuso sexual infantil. Depo-Provera, uma progestina, é uma droga que é por vezes utilizada no tratamento.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado brasileiro adiou a votação da inclusão da pena de castração química para abusadores sexuais de crianças. 


Essa pena já é aplicada em países como os Estados Unidos e o Canadá e está em fase de implantação na França e Espanha, destaca o relator Marcelo Crivella (PRB-RJ) em seu parecer. 

Pela proposta, na primeira condenação, o criminoso beneficiado pela liberdade condicional poderá voluntariamente ser submetido, antes de deixar a prisão, ao tratamento hormonal para contenção da libido, sem prejuízo da pena aplicada.

A partir da segunda condenação, uma vez beneficiado pela liberdade condicional, o criminoso será obrigado a passar pela castração química. Crivella ressalta em seu parecer que a pena, caso o projeto seja aprovado pelo Congresso e sancionado pelo presidente da República, deve ser aplicada como última opção a abusadores que não apresentarem melhoras com o uso de outras drogas e psicoterapia.

Uma das emendas apresentadas ao projeto de lei em análise na CCJ prevê a redução da pena em um terço para os condenados por abuso sexual infantil que se submeterem voluntariamente ao processo de castração química, caso os tratamentos alternativos não deem resultados.

Como tramita em caráter terminativo, se for aprovada na Comissão, a castração química de abusadores sexuais de crianças segue direto para apreciação da Câmara dos Deputados, sem necessidade de ser votada pelo plenário do Senado.


Índice
1 Benefícios
2 Os efeitos colaterais
3 Castração química em outros países
4 Críticas
5 Projetos de lei na Assembléia Legislativa
6 Referências

Benefícios

A Castração química reduz a libido.

 A reincidência de criminosos sexuais cai de 75% para 2% após a aplicação do hormônio feminino, segundo pesquisas realizadas.1
Os efeitos colaterais 

O uso de Depo-Provera pode causar vários efeitos colaterais, incluindo aumento de peso, fadiga, trombose, hipertensão, levedepressão, hipoglicemia e raras mudanças em enzimas hepáticas.

Além de questões éticas, a castração química pode aumentar a pressão arterial em indivíduos do sexo masculino, por vezes a níveis perigosos, além de poder causar ginecomastia, um efeito colateral que algumas vezes é tratado com tamoxifeno, um SERM

Outros efeitos secundários, tais como a formação de depósitos anormais de gordura no fígado, estão sendo investigados.

Castração química em outros países.

Pelo menos seis estados dos EUA já usaram a castração química, com a criação de leis, tais como Califórnia, Flórida, Geórgia, Texas,Louisiana, e Montana.2 
A Califórnia foi o primeiro estado a utilizar a castração química como pena para criminosos sexuais.
 Na Califórnia, os juízes podem exigir, num primeiro julgamento, a castração química a infratores, em caso de reincidência, o tratamento é obrigatório. 
Em Iowa e Flórida, a castração química está disponível em todos os casos que envolvem graves crimes sexuais. 
Tal como na Califórnia, o tratamento é obrigatório com a reincidência.3

Na Grã-Bretanha a castração química é facultativa ao condenado, que na hipótese de negação do tratamento permanecerá preso.4

Críticas

O American Civil Liberties Union demonstrou-se contrária à administração de qualquer droga, incluindo fármacos para criminosos sexuais. 

Alegaram, em 1997, que obrigar a química foi uma "punição cruel e incomum", e, assim, constitucionalmente proibida pela Oitava Emenda à Constituição Estados Unidos.

Grandes doses são necessárias para a eficácia em homens. 

A maioria dos homens recebem de 400mg a 500mg por semana. Em alguns casos, os homens recebem doses orais altas, como 700 mg/dia, e ainda têm excitação e fantasias sexuais.

A CPI da Pedofilia está avaliando medidas mais enérgicas para punir os abusadores sexuais infantis. 

Uma proposta é a do senador Gerson Camata, que sugere a castração química dos criminosos seguindo tratamento já existente num laboratório de Campinas.

Projetos de lei na Assembléia Legislativa

Projeto foi apresentado pelo deputado Rafael Silva de Ribeirão Preto - interior de SP no ano de 2009. Ainda em discussão na ALESP.

Referências

SILVA Jr, Antenor Costa. Castração química X Dignidade da pessoa humana. São Luís, Maranhão, 2010. Disponível em: <http://www.viajus.com.br/viajus.php?pagina=artigos&id=2989>.
2C + + Jeffrey L. Jeffrey Kirchmeier
Quick Retrieval
SILVA Jr, Antenor Costa. Castração química X Dignidade da pessoa humana. São Luís, Maranhão, 2010. Disponível em: <http://www.viajus.com.br/viajus.php?pagina=artigos&id=2989>.



Pedras preciosas o seu significado e poder estotérico e os signos do zodiaco

Pedras Preciosas, o seu significado e poder esotérico, e os signos do zodíaco









Importante: Este artigo tem objetivo apenas informativo com o fins de entretenimento e informação. 

A identificação de pedras preciosas é uma ciência e o seu uso é uma arte. Procure um especialista de sua confiança.









Pedras e signos do zodíaco
(para ver as figuras de cada uma das pedras, clique em Mais informações, abaixo).

























- Áries:  Ametista, Granada, Hematita

-Touro: Agata, Jaspe, Quartzo rosa

- Gêmeos: Agua marinha, Olho de tigre e Quartzo rosa

- Câncer: Aventurina, Esmeralda, Crizoprázio

- Leão: Citrino, Quartzo rutilado, Âmbar

- Virgem: Ametista, Âmbar, Lápis lázuli

- Libra: Quartzo rosa, Citrino, Turmalina

-  Escorpião: Hematita, Rondonita, Turmalina

- Sagitário: Ônix, Sodalita, Ametista

- Capricórnio: Ametista, Obsidiana, Ônix

- Aquário: Água Marinha, Amazonita, Fluorita

- Peixes:  Água Marinha, Esmeralda, Fluorita

Fonte: Legep Mineração 




Para saber mais, clique em Mais informações, abaixo

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Acne e Espinhas

Acne e Espinhas

Acne
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fonte: 
http://pt.wikipedia.org/wiki/Acne


Acne
Acne na testa de um jovem na puberdade
Classificação e recursos externos
CID-10 L70.0
CID-9 706.1
DiseasesDB 10765
MedlinePlus 000873
eMedicine derm/2
MeSH D000152
Aviso médico


Acne é uma doença da pele. A sua frequência é maior na adolescência, quando o nível elevado de hormônios sexuais causa o aumento da secreção de sebo pelas glândulas sebáceas, provocando o aparecimento de espinhas, bolhas e pontos negros principalmente no rosto, costas, peito e ombros.

Às vezes, os poros bloqueados se infeccionam aparecendo bolhas cheias de pus. Muito comumente se coça ou espreme essas bolhas, causando o agravamento da infecção e deixando cicatrizes, manchas e ferimento.


Índice
1 Manifestações clínicas
1.1 Tipos de lesões
2 Consequências da acne
3 Tratamentos
3.1 Esfoliação da pele
3.2 Antibióticos tópicos e orais
3.3 Tratamento hormonal
3.4 Retinóides tópicos
3.5 Retinóides orais
3.6 Agentes básicos
3.7 Plantas Medicinais
3.8 Clareamento
3.9 Cicatrizes
4 Cura
5 Ver também
6 Referências
7 Ligações externas

Manifestações clínicas

A acne é caracterizada pelo aumento de secreção de sebo pelas glândulas sebáceas, em conjunto com o acúmulo de células mortas no orifício do folículo pilossebáceo, obstruindo o poro da pele. Isto impede a saída de sebo pelo orifício. O acúmulo de sebo libera algumas substâncias que irritam a pele, causando inflamação, e é um meio propício para as bactérias se desenvolverem - notadamente, a Propionibacterium acnes.

As lesões da acne surgem, na maioria dos casos, no rosto. Surgem também, com menor freqüência, nas costas, peito, ombros ebraços.

Em seu processo de desenvolvimento a acne adquire diversas formas, representadas a seguir em grau de desenvolvimento e gravidade:

Um adolescente de 16 anos com acne na bochecha.

Tipos de lesões 
Seborréia: é o excesso de secreção sebácea que ocorre no rosto e tronco. A pele se torna oleosa e brilhante e com aparente dilatação do orifício de saída do folículo pilossebáceo. Ainda que as pessoas que desenvolvem a doença produzam maior quantidade de sebo que os não afetados, a intensidade da acne nem sempre está relacionada com a intensidade de seborréia. Uma medida para impedir o excesso de produção sebácea é o uso de retinóides tópicos e isotretinoína; tais medicamentos interferem no tamanho e produção de sebo das glândulas sebáceas.

Cravo: é a lesão mais característica da acne. O cravo fechado é de difícil visualização, sendo uma elevação cutânea de cor embranquecida ou amarelada. O cravo aberto costuma não ser elevado. No entanto, pode se apresentar como uma pequena elevação dura de cor preta, devido à oxidação da superfície do sebo.

Pápula: é a inflamação do cravo, que se torna avermelhado e aumenta de tamanho de 1 a 4 milímetros. É dolorosa e se desenvolve principalmente do cravo fechado. O cravo aberto se inflama quando manipulado sem assepsia.

Pústula: é a evolução da pápula, com elevação da pele em uma bolsa de pus de profundidade variável, acompanhada de coceira e dor.

Nódulo: é uma lesão profunda, coberta por pele normal que evolui até a inflamação e termina com a formação de cicatrizes.

Cicatriz: as cicatrizes podem ser atróficas, hipertróficas ou queloides. Os quelóides se apresentam como inchaços bem delimitados, porém de formato irregular de cor rosa a vermelho escuro.

Folículo piloso

Consequências da acne

A acne, conforme o tipo das lesões, pode causar cicatrizes em alguns casos, e é esta a sua única consequência visível a longo prazo. Suas conseqüências mais preocupantes são, na verdade as psicológicas. Ocorre, conforme o grau, grande redução da auto-estima, vergonha de sair de casa e depressão. O pior é que a acne geralmente aparece na adolescência, quando as pessoas tendem a ser mais inseguras socialmente.

Alvos, em alguns casos, de discriminação, as pessoas acometidas pela doença em elevado grau buscam, em vários casos, o isolamento social. A acne atinge a vida social do indivíduo profundamente, pois é justamente na fase da adolescência em que se desenvolvem as relações sociais e o amadurecimento emocional e psicológico. Por esses motivos, é aconselhável, além do tratamento físico, o acompanhamento psicológico do paciente, para que saiba lidar com a doença e não se afaste do meio social.
Tratamentos

Advertência: A Wikipédia não é consultório médico nem farmácia.

Se necessita de ajuda, consulte um profissional de saúde.
As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento.


Existem muitos produtos no mercado para tratar a acne, muitos deles sem que os efeitos tenham sido comprovados cientificamente. Contudo, uma combinação de tratamentos pode reduzir muito a gravidade da acne na maioria dos casos. Os tratamentos que são mais efetivos devem ser acompanhados de perto por um dermatologista porque possuem uma maior possibilidade de efeitos colaterais. Deve-se consultar um médico especializado para escolher qual tratamento utilizar, principalmente quando utilizados em combinação. Alguns tratamentos que se mostraram efetivos:
Esfoliação da pele

A esfoliação da pele pode ser feita tanto de maneira mecânica quanto através de substâncias químicas como o peróxido de benzoíla eácido salicílico. Elas atuam prevenindo o acúmulo de células mortas e também ajudam na desobstrução de poros afetados. Dentre os tratamentos tópicos, o peróxido de benzoíla e o ácido salicílico são as medicações mais eficientes. No entanto, o uso deles não pode ser exagerado, correndo o risco de trazer mais oleosidade ainda à pele. A esfoliação também pode prejudicar o tratamento, aumentando as espinhas em até 20%[carece de fontes].

Antibióticos tópicos e orais 


A aplicação de antibióticos na região afetada, utilizando-se cremes e loções a base de eritromicina e ácido fusídico pode ser bastante eficaz. Eles atuam matando as bactérias - notadamente, P. acnes - que se alojam no orifício do folículo piloso. Há também antibióticos orais, que são utilizados em casos mais graves e têm efeito melhor.

O uso de antibióticos tem se tornado menos eficiente na medida em que bactérias P. acnes resistentes têm se tornado mais comuns. A acne geralmente irá reaparecer em alguns dias após o fim do tratamento tópico e algumas semanas após o oral.


Tratamento hormonal

Nas mulheres, é possível a aplicação de tratamento hormonal, que consiste na ingestão de contraceptivos orais (hormônios femininos) que neutralizam os efeitos de excessos de hormônios masculinos. Homem também tem controlador hormonal. Existe preconceito relativamente a este fato. Tudo o que sendo dito acima procure um médico especializado. Para cada tipo de pele existe um determinado tratamento.
Retinóides tópicos

Os retinóides tópicos são mais eficientes que as esfoliações e os antibióticos sozinhos. Os retinóides agem na normalização do ciclo de vida das células do folículo, dissolvendo e prevenindo a formação de cravos. O ácido retinóico, principalmente quando combinado com a eritromicina, costuma ser bastante eficaz para o tratamento da acne. O adapaleno, que tem menores efeitos colaterias, costuma trazer melhores resultados. Estão relacionados à vitamina A (retinóide significa semelhante ao retinol - que é justamente o nome químico da vitamina A).


Retinóides orais
Consiste na ingestão diária de retinóides como a isotretinoína durante um período de 6 a 8 meses. A isotretinoína tem se mostrado muito eficiente; no entanto, pode causar efeitos colaterais perigosos. Por isto, só deve ser utilizada no tratamento da acne severa ou muito resistente.

O tratamento requer um acompanhamento médico bem próximo de um dermatologista devido justamente aos efeitos colaterais (os quais podem ser graves). Os efeitos colaterais mais comuns são a desidratação da pele e sangramentos nasais (conseqüentes da desidratação da mucosa nasal). Há relatos de que a substância possa prejudicar o fígado dos pacientes. Por esse motivo, é fundamental que os pacientes façam exames de sangue antes e durante o tratamento. Existem alguns relatos que comprovam que a droga pode gerar depressão. A droga também pode causar graves defeitos em fetos se as mulheres se submeterem ao tratamento antes ou durante a gravidez como defeitos na face, nas orelhas, no coração e no sistema nervoso do feto. Por essa razão o tratamento das mulheres é acompanhado por métodos contraceptivos ou abstinência sexual.

Agentes básicos

Algumas soluções inorgânicas de caráter básico, como o bicarbonato de sódio (NaHCO3) têm se mostrado eficazes no controle da oleosidade da pele em aplicações tópicas seguidas. Como o sebo nada mais é que um conjunto de ácidos gordos, estas substâncias aplicadas agem na neutralização destes ácidos, formando sais orgânicos que não servem de alimento para as bactérias e não têm aspecto oleoso.
Plantas Medicinais

Algumas plantas medicinais têm mostrado eficácia contra acne. Dentre ela, a bardana, o óleo de prímula, o óleo de argânia e o agrião podem ser usados no combate a cravos e espinhas e normalmente são administrados como cápsulas ou cremes. A tanchagem pode ser usada para fazer compressas e aplicada sobre as lesões1 . A vulnerária, ou trevo-da-areia, é aplicada para amenizar as cicactizes deixadas pela acne. Outros usos da vulnerária são para lavar feridas e úlceras de difícil cicatrização.2 . Outra planta em estudo que tem se mostrado eficaz é o chá verde, aplicado topicamente.3 .

Clareamento
A acne costuma deixar a pele com manchas vermelhas, uma boa opção para acelerar o clareamento dessas manchas seria usando técnicas como luz intensa pulsátil ou produtos como ácido retinóico e hidroquinona combinados ou ácido glicólico e ácido kójico combinados, essa combinação tem menores efeitos colaterais.
Cicatrizes
A acne pode levar o rosto a ter cicatrizes, principalmente quando as espinhas são espremidas, pode-se tratar essas cicatrizes com várias técnicas como dermoabrasão (lixamento cirúrgico), preenchimento cutâneo, luz intensa pulsátil e peeling médio ou profundo com laser ou com ácidos como o retinóico, tricloroacético e fenol, dependendo do grau da cicatriz.

Cura
Embora existam métodos que levem à sua diminuição ou extinção, não existe uma cura específica, pois a acne não é uma doença específica. Sendo uma doença com base em outros eventos, a sua cura tem ramificações, daí a existência de metodologias. Reconhece-se o peróxido de benzoíla eficaz contra a bactéria da acne, que normalmente diminui com a idade, acabando depois dos 20 anos. Em casos especificos, ela pode surgir mesmo depois da adolescência, desencadeada por um desequilíbrio hormonal, mais comumente apresentado em mulheres.

Há um medicamento chamado Roacutan ou que propõe secar as glândulas sebáceas, eliminando assim a acne para sempre. Os tratamentos realizados com o remédio tem trazido bons resultados. Uma porcentagem de 90% dos usuários tiveram a cura efetiva da acne, enquanto outros 10% após algum tempo ouve o ressurgimento, sendo assim tiveram que refazer o tratamento. Porém o Medicamento tem sérios efeitos colaterais incluindo sangramento nasal, dores musculares, aumento do colesterol e triglicerídeos, dor de cabeça e queda de cabelos.
Ver também 

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Marque uma consulta comigo

Agenda