Google Tag Manager

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Carnaval do Brasil 2015

Programação oficial do Carnaval do Rio de Janeiro 2015

Programação Oficial do Carnaval no Rio de Janeiro

15/01/2015 04h45 - Atualizado em 15/01/2015 14h40

Veja lista com data e hora de desfile dos blocos de rua do Rio em 2015

Serão mais de 587 desfiles entre 17 de janeiro e 22 de fevereiro deste ano.
G1 separou os 456 blocos por região; confira as listas completas.

Do G1 Rio
Público no Rio festeja junto com o bloco Orquestra Voadora (Foto: Luciano Oliveira/G1)Carnaval deixa as ruas de todas as regiões do Rio repletas de cores e alegria, como no desfile da Orquestra Voadora, no Aterro do Flamengo (Foto: Luciano Oliveira/G1)
A partir deste sábado (17 de janeiro de 2015), o Rio abre alas, ruas, praças e avenidas para a passagem de milhões de foliões. A terça-feira de carnaval é só no dia 17 de fevereiro de 2015, mas os blocos antecipam oficialmente a folia em um mês e a esticam por quatro dias mais, já que o último desfile será no domingo (22 de fevereiro) pós Quarta-Feira de Cinzas. Para ajudar o folião a programar o seu roteiro, o G1 organizou a agenda dos blocos por região. Confira abaixo.
Ao todo, são 456 blocos e 587 desfiles em toda a cidade.  A Zona Sul concentra a maior parte deles – 141 blocos. Outros 94 desfilam pelo Centro, 78 na Zona Norte, 58 na Tijuca, 36 na Barra/Jacarepaguá, 27 na Ilha do Governador e 22 na Zona Oeste.
Cordão da Bola Preta, no Rio, levou 1 milhão às ruas do Rio neste sábado (1º) (Foto: Yasuyoshi Chiba/AFP)Cordão da Bola Preta concentra mais de um milhão
de pessoas no Centro do Rio
(Foto: Yasuyoshi Chiba/AFP)
CENTRO (veja a lista completa)
O primeiro desfile oficial dos blocos de rua acontece no Centro. Eles que Digam abre a festa neste sábado de janeiro (17), na Travessa São Diego, a partir das 16h. É também no Centro que circulam os três maiores: o Bloco da Preta, que desfila no dia 8 de fevereiro, a partir das 11h pela Av. Presidente Vargas; o Cordão da Bola Preta, que sai no dia 14 de fevereiro às 9h30 na Av. Presidente Antônio Carlos; e o Monobloco, que arrasta a multidão a partir das 9h do último domingo de folia, 22 de fevereiro, também na Presidente Vargas.

Representando John Lennon e Yoko Ono, integrantes do Sargento Pimenta fazem coração com as mãos (Foto: Luciano Oliveira/G1)Em 2014, o bloco Sargento Pimenta contou com
a presença de John Lennon e Yoko Ono
(Foto: Luciano Oliveira/G1)
ZONA SUL (veja a lista completa)
Um dos mais populosos blocos da região, a Banda de Ipanema tem três datas de folia: 31 de janeiro, 14 e 17 de fevereiro, sempre a partir das 17h30, com concentração na Praça General Osório. Da mesma praça sai o também gigante Simpatia é Quase Amor, nos dias 7 e 15 de fevereiro, a partir das 16h. Com menos carnavais em suas histórias, mas também com multidão de público, circulam pelo Aterro do Flamengo, a partir das 15h, o Sargento Pimenta, que toca só Beatles, no dia 16 de fevereiro, e a Orquestra Voadora, só de sopros, no dia 17.

Livro explora história e curiosidades de blocos como a Banda de Madureira (Foto: André Arruda / Divulgação)Bloco Banda de Madureira é marcado pela irreverência
como a maioria dos blocos
(Foto: André Arruda / Divulgação)
ZONA NORTE (veja a lista completa)
Um dos maiores blocos que tradicionalmente desfilam na Zona Norte é a Banda de Madureira, que vai fazer a festa no dia 14 de fevereiro, a partir das 16h, com concentração na Rua Carvalho de Souza. Outro bloco que arrasta multidão também em Madureira, bairro berço da Portela e da Império Serrano, é o Mulheres de Zeca, que fará a festa também no dia 14 de fevereiro, a partir das 16h, dentro do Parque de Madureira.


Alguns blocos desfilam na orla da Barra (Foto: Alexandre Macieira/Riotur)Alguns blocos desfilam na orla da Barra
(Foto: Alexandre Macieira/Riotur)
BARRA E JACAREPAGUÁ (veja a lista completa)
A orla da praia da Barra da Tijuca é o palco de um dos maiores blocos da região. A Banda da Barra desfila no dia 8 de fevereiro, a partir das 15h, pela Avenida Lúcio Costa, com concentração em frente ao bondinho da Banda da Barra. Já na região de Jacarepaguá, um dos blocos com maior expectativa de público é a Banda do Pechincha, que se concentrará a partir das 18h do dia 7 de fevereiro no Largo do Pechincha.

Série 'Breaking bad' já teve versão brasileira no carnaval de Santa Cruz (Foto: Paulo Mumia / Riotur)Série 'Breaking bad'; já teve versão brasileira no
carnaval de Santa Cruz (Foto: Paulo Mumia / Riotur)
ZONA OESTE (veja a lista completa)
Nomes irreverentes marcam alguns dos blocos que desfilam na região. Tem, por exemplo, o Virilha de Minhoca, que terá quatro dias consecutivos de folia: 14, 15, 16 e 17 de fevereiro, sempre a partir das 19h, com concentração na Rua Fonseca, em Bangu. Perereca Vadia sai às 17h do dia 16 de fevereiro a partirda Praça Nossa Senhora, em Campo Grande. Tem ainda o Meia Dúzia de Gatos Pingados, com público estimado em mil pessoas, que sai às 19h do dia 13 de fevereiro pelo calçadão da Cônego Vasconcelos, em Bangu.

Banda Haddock desfila no dia 7 de fevereiro (Foto: Paulo Mumia / Riotur)Banda Haddock desfila no dia 7 de fevereiro
(Foto: Paulo Mumia / Riotur)
GRANDE TIJUCA (veja a lista completa)
Os tijucanos também têm tradição de décadas no carnaval de rua do Rio. A ‘Banda Haddock’, por exemplo, faz a festa na região há mais de 30 anos. Este ano ela desfila no dia 7 de fevereiro, a partir das 18h, com concentração na Rua Afonso Pena. A irreverência também faz parte do nome de alguns blocos por lá, como o Butano na Bureta, que sai no Maracanã, também no dia 7 de fevereiro, a partir das 13h. Tem ainda o Já Comi Pior Pagando, no mesmo dia, a partir das 16h, na Rua Leite de Abreu.

Desfile do Suvaco do Cristo também teve banho de espuma (Foto: Pedro Kirilos / Agência O Globo)Sob o calor carioca, os foliões se refrescam como
podem (Foto: Pedro Kirilos / Agência O Globo)
ILHA DO GOVERNADOR (veja a lista completa)
Mais de dez mil pessoas são esperadas no bloco Ilha Encosta que Ele Cresce, um dos maiores do bairro, que desfila no dia 7 de fevereiro pelo Jardim Guanabara, com concentração ao meio dia na Praça Jerusalém. No mesmo dia, Os Monarcas fará a festa na Ribeira, a partir das 17h. Em 15 de fevereiro será a Vermelho e Branco da Colônia Z 10 a arrastar mais de dez mil pessoas pela Cacuia a partir das 11h na Praça São Pedro.

Carnaval do Brasil
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Carnaval_do_Brasil

O Carnaval do Brasil é a maior festa popular do país. A festa acontece durante quatro dias (que precedem a quarta–feira de cinzas). O último dia de Carnaval precede a quarta-feira de cinzas (início da Quaresma).

Índice
1 Origens brasileiras
2 Corte real
2.1 Rei Momo
2.2 Rainha e princesas
3 Indústria do carnaval
4 Ver também
5 Referências


Origens brasileiras

Jogos durante o entrudo no Rio de Janeiro
Aquarela de Augustus Earle, c.1822

Comemorado em Portugal desde o século XV,1 o entrudo foi trazido pelos portugueses para a então colônia do Brasil e em finais do século XVIII1 era já praticado por todo o território. Consistia em brincadeiras e folguedos que variavam conforme os locais e os grupos sociais envolvidos. Com a mudança da corte portuguesa para o Rio de Janeiro, surgiram as primeiras tentativas de civilizar a festa carnavalesca brasileira,1 através da importação dos bailes e dos passeios mascarados parisienses, colocando o Entrudo Popular sob forte controle policial. A partir do ano de 1830, uma série de proibições vai se suceder na tentativa, sempre infrutífera, de acabar com a festa grosseira.

Em finais do século XIX, toda uma série e grupos carnavalescos ocupam as ruas do Rio de Janeiro, servindo de modelo para as diferentes folias. Nessa época, esses grupos eram chamados indiscriminadamente de cordões, ranchos ou blocos. Em 1890, Chiquinha Gonzaga compôs a primeira música especificamente para o Carnaval, "Ô Abre Alas!". A música havia sido composta para o cordão Rosas de Ouro que desfilava pelas ruas do Rio de Janeiro durante o carnaval. Os foliões costumavam frequentar os bailes fantasiados, usando máscaras e disfarces inspirados nos bailes de máscaras parisienses. As fantasias mais tradicionais e usadas até hoje são as de Pierrot, Arlequim e Colombina, originárias da commedia dell'arte.


Casal de mestre-sala e porta-bandeira da Mangueira no Carnaval 2012, Rio de Janeiro.

Carro abre-alas da Gaviões da Fiel no Carnaval de São Paulo de 2005.

Praia do Farol da Barra um dia antes da abertura do Carnaval de Salvador de 2008.

Carnaval de Olinda: foliões nas ruas do Centro Histórico da cidade.

Bloco Galo da Madrugada no Carnaval do Recife de 2014.

Para saber mais, clique sobre Mais informações, abaixo.



O carnaval é uma das principais festas do Brasil, ocupando lugar de destaque entre diversas camadas da população e da mídia. Em São Paulo, teve sua origem ligada à manifestação do entrudo, uma brincadeira na qual os foliões atiravam água e outros líquidos entre si, existente desde o século XV. Por volta de 1870, a maneira como a população divertia-se no período carnavalesco passou a apresentar mudanças decorrentes do enriquecimento proporcionado pela expansão cafeeira. A formação do carnaval popular paulistano tem como base fundamental as festas de caráter religioso-profano das pequenas cidades interioranas nas quais a população pobre manifestava-se por meio de suas danças e músicas, o primeiro cordão carnavalesco paulistano foi criado por Dionísio Barbosa em 1914 e chamava-se Cordão da Barra Funda (posteriormente Camisa Verde e Branco). A influência dos cordões foi determinante para as primeiras escolas de samba de São Paulo na mesma medida em que os ranchos influenciaram as escolas cariocas. Atualmente, em São Paulo e em várias grandes e pequenas cidades, as escolas de samba fazem desfiles organizados, verdadeiras disputas para a eleição da melhor escola do ano segundo uma série de quesitos. Com o crescimento vertiginoso dessas agremiações o processo de criação se especializou gerando muitos empregos concentrados, principalmente, nos chamados barracões das escolas de samba.

O Carnaval do Rio de Janeiro figura no Guinness Book como o maior carnaval do mundo.2

O Carnaval de Salvador é repleto de cantores famosos, que se apresentam-se em cima de trios elétricos, a exemplo de Ivete Sangalo, Claudia Leitte, Daniela Mercury, entre outros artistas, onde também ocorrem desfiles de blocos afros. A festa ocorre em três circuitos carnavalescos.

O Carnaval Recife/Olinda é considerado o carnaval mais democrático e culturalmente diverso do país, e é conhecido por seus característicos bonecos de olinda e pelo ritmo do frevo e do maracatu, além de possuir o maior bloco carnavalesco do mundo, o Galo da Madrugada.3

Corte real

Corte real é o nome dado ao cortejo do carnaval, composto pelo Rei Momo, rainha e princesas do carnaval. sendo realizados em todo o Brasil, de formas diferentes, sendo organizados em concurso, por ligas de carnaval e instituições públicas, ligadas ao turismo, como aRiotur.

Rei Momo
Ver artigo principal: Rei Momo

O Rei Momo é considerado o dono do Carnaval, quem comanda a folia. possuindo uma personalidade zombeteira, delirante e sarcástica. Vindo da mitologia grega, é filho do sono e da noite, sendo expulso do Olimpo porque tinha como diversão ridicularizar as outras divindades. foi escolhido para decidir qual Deus, entre Zeus, Atena e Poseidom poderia fazer algo bom. Mas botou defeito em todas as criações.

Hoje existe concurso para a escolha do Rei Momo em várias cidades do Brasil. sendo o mais noticiado o do Carnaval do Rio de Janeiro. para ser rei-momo é preciso ser muito simpático e esbanjar alegria, além de pesar no mínimo 120 quilos. Esta última exigência vem sendo abandonada nos últimos anos, considerando-se os problemas de saúde causados pela obesidade. sendo que em 2004, um candidato magro acabou-se eleito como rei-momo, devido a mudança do peso pelos organizadores.
Rainha e princesas

Rei Momo e Rainha do Carnaval deFlorianópolis, 2005

São as que cortejam a folia, junto com o Rei Momo, sendo que as princesas são do nível inferior, algumas delas após o reinado se tornam rainhas ou madrinhas de bateria, assim como algumas rainhas ou madrinhas que viram rainhas e princesas do carnaval. Em alguns lugares, rainhas e princesas também desfilam ao mesmo tempo, como rainha ou madrinha de bateria. Algumas rainhas e princesas do carnaval que foram e viraram rainhas e madrinhas de bateria: Ana Paula De Lima Pereira 4 , Ana Paula Evangelista 5 ,Bianca Salgueiro6 , Cristiane Alves, Shayene Cesário e Jéssica Maia7 .

Indústria do carnaval

Indústria do carnaval é o nome dado ao conjunto de atividade para produção de fantasias, adereços, materiais para os carros alegóricos. São na maioria empregos informais para milhares de costureiras.

São atividades que, segundo dados de 1997, movimenta anualmente cerca de 13 bilhões de reais e gera mais de 300 mil empregos. Só as escolas de samba do grupo especial gastam cerca de 100 milhões de reais em matérias primas — sem contar salários e serviços — para pôr seu enredo na avenida.
Ver também

O Commons possui imagens e outras mídias sobre Carnaval do Brasil
O livro de ouro do carnaval brasileiro, de Felipe Ferreira (Ediouro)
Carnaval: seis milênios de história, de Hiram Araújo (Gryphus)
A Corte Vai Passar - um Olhar Sobre o Carnaval de Pernambuco, de Luiz Santos (Tempo D'Imagens)
História do carnaval carioca, de Eneida de Moraes (Record)

Referências

Ir para:a b c [1] Universo Online.
Ir para cima↑ Largest Carnival Guinness World Records.
Ir para cima↑ O Galo da Madrugada Fundação Joaquim Nabuco. Visitado em 15 de setembro de 2014.
Ir para cima↑ Mengão de Coração. Ana Paula Pereira é Rainha da Bateria da Mangueira 1997.
Ir para cima↑ Na avenida (11/06/2012). Império Serrano de Uruguaiana em festa. Visitado em 20/11/2012.
Ir para cima↑ EGO (22/10/2012). Modelo do 'Esquenta' tenta brilhar em escola do grupo de acesso. Visitado em 04/11/2012.
Ir para cima↑ EXTRA (2.2.2010). Alegria da Zona Sul coroou Jéssica Maia em Copacabana. Visitado em 28.10.2010.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Marque uma consulta comigo

Agenda