Google Tag Manager

sábado, 12 de setembro de 2009

Francisco Lorenz


Francisco Lorenz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

(Redirecionado de Francisco Valdomiro Lorenz)



František Lorenz (24 de dezembro de 187224 de maio de 1957), também conhecido como Francisco Valdomiro Lorenz ou simplesmente Francisco Lorenz foi um poliglota e filósofo tcheco nascido em Zbislav, no Império Austro-Húngaro (hoje República Tcheca). Lorenz foi um dos primeiros esperantistas do mundo.
Capaz de comunicar-se em mais de 100 idiomas. Traduziu livros do sânscrito, hebraico, grego antigo, inglês, francês, italiano, chinês, japonês, árabe. Chegou a transportar uma passagem do Evangelho de São João em 70 idiomas (capítulo 3, versículo 16). Estudou o aramaico,volapuque, tupi-guarani, maia e outros.

[editar]História

Nascido em berço pobre, nunca encontrou facilidades para o estudo. Apesar da vida simples do seu pai (moleiro), aos 17 anos conhecia todas as línguas eslavas, o latim, o hebraico e o grego.
Vivendo sob um regime político restritivo, seu espírito livre não poderia suportar as podas religiosas e os conceitos anti-democráticos do Governo Federal da Áustria, sob o qual a então Checoslováquia estava submetida.
Em 1891, o poliglota migrou para o Brasil. No Brasil, Lorenz viveu primeiro no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e depois no Rio Grande do Sul.
Em 1894, já em Dom Feliciano, casou-se com Ida Krascheffski. Uma jovem alemã que viera para o Brasil com 7 anos.
Lorenz morreu em Dom Feliciano, Rio Grande do Sul, em 1957.
Ao longo de sua vida, publicou mais de 36 livros em 40 línguas e foi o introdutor e uma das figuras mais proeminentes do movimento esperantista no Brasil.

[editar]Bibliografia

  • Contos e Apólogos, Editora Pensamento, 1918, São Paulo
  • Chamas de Ódio e a Luz do Puro Amor, (Vida de João Huss), Ed. Pensamento, 1940, São Paulo.
  • O Filho de Zanoni, Ed. Pensamento, São Paulo
  • Moises e Siphorah, Poema épico da vida de Moises e sua mulher Siphorah, Ed. "Pensamento", 1920, São Paulo
  • A Sorte Revelada pelo horóscopo Cabalístico, Ed. Pensamento, 1926, São Paulo.
  • O Jardim da Alma, Ed. Pensamento, 1937, São Paulo
  • Raios de Luz Espiritual - Ensinos Esotéricos, Ed. Pensamento, 1949, São Paulo.
  • A Voz do Antigo Egito, Ed. FEB, 1946, Rio de Janeiro
  • Diálogos Iniciáticos, Ed. Pensamento, São Paulo
  • Kabala, Ed. Pensamento, São Paulo
  • Esperanto sem Mestre, Ed. FEB, Rio de Janeiro, 1938.
  • Minhas Memórias, manuscrito deixado em tcheco, não editado.

[editar]Referências

O Homem




Postagem removida pelo autor.

Sobre Al Biruni


ABU RAIHAN MUHAMMAD AL-BIRUNI
AL-BIRUNI







Al-Biruni foi um extraordinário astrônomo, matemático, físico, médico, geógrafo, geólogo e historiador, segundo Max Meyerhoff, Al-Biruni é provavelmente a figura mais proeminente dentro da falange dos universalmente formados estudiosos muçulmanos que caracterizam a Idade de Ouro da Ciência Islâmica. As suas grandes contribuições nos mais variados campos granjearam-lhe o título de "al-Ustadh", Mestre ou Professor por excelência.
Alguns historiadores designaram o período da sua atividade como "A Idade de Al-Biruni". Abu Raihan Muhammad Al-Biruni nasceu em Khwarizm (atualmente Kara-Kalpakskaya no Uzbequistão) no ano de 973 d.C. Estudou Árabe, Lei Islâmica, e diversos ramos de conhecimento.
Mais tarde aprendeu Grego, Sírio e Sânscrito. O seu conhecimento de variadas línguas auxiliou-o a compreender o trabalho existente e a reunir uma abordagem do seu trabalho igualmente inovadora e original.
Al-Biruni defendia que, independentemente do assunto, deviam-se sempre utilizar as fontes no sua forma original, investigar o trabalho existente com um escrutínio objetivo, e empreender a pesquisa através da observação direta.
Ele foi contemporâneo do famoso físico Ibn Sina (Avicenna) e sabe-se que manteve correspondência com este, as contribuições de Al-Biruni são de tal forma extensas que um índice das suas obras escritas ocupa mais de sessenta páginas.
O seu trabalho científico, em conjunto com as contribuições de Al-Haitham (Al-Hazen) e outros cientistas Muçulmanos, foram a base da ciência moderna. Al-Biruni faleceu em 1048 em Ghazna (Afeganistão), depois de uma ilustre carreira de quarenta anos. Al-Biruni contribuiu de forma original e importante para a ciência.
Descobriu sete maneiras diferentes de localizar a direção do norte e do sul, assim como técnicas matemáticas para determinar com exatidão os inícios da estações. Igualmente escreveu sobre o sol, seus movimentos e eclipse. Mais ainda, a ele se deve a invenção de alguns instrumentos de astronomia.
Muitos séculos antes do resto do mundo, já Al-Biruni defendia que a terra rodava sobre o seu próprio eixo e calculava precisamente latitudes e longitudes. Estas observações estão contidas no seu livro "Al-Athar Al-Baqia." Escreveu ainda um tratado sobre cálculos horários em 1000 E. C.
Al-Biruni foi o primeiro a conduzir experiências elaboradas relativas a fenômenos astronômicos. Afirmou que a velocidade da luz era imensa, comparada à velocidade do som. Descreveu a Via Láctea como um conjunto de inúmeros fragmentos de estrelas nebulosas.
Al-Biruni relatou a sua observação do eclipse solar de 8 de Abril de 1019 e do eclipse lunar de 17 de Setembro de 1019. Relativamente ao eclipse solar que observou em Lamghan, um vale rodeado por montanhas, entre as cidades de Kandahar e Kabul, ele escreveu: aquando do nascer do sol observamos que um terço do sol se encontrava eclipsado e que o eclipse estava a diminuir.
Ele observou o eclipse lunar em Ghazna e forneceu detalhes precisos da altitude de diversas estrelas bem conhecidas no momento do primeiro contato. O livro "Al-Tafhim-li-Awail Sina'at al-Tanjim" de Al-Biruni sumariza trabalhos sobre Matemática e Astronomia. Foi traduzido por Ramsay Wright em 1934, em Luzac.
As contribuições de Al-Biruni para a Física incluem estudos sobre nascentes e determinações exatas do peso específico de dezoito elementos e compostos, incluindo muitos metais e pedras preciosas. O seu livro "Kitab-al-Jama-hir" discute as propriedades de diversas pedras preciosas.
Ele foi um pioneiro no estudo dos ângulos e da trigonometria. Trabalhou sobre sombras e diâmetros e desenvolveu um método para tripartir o ângulo. Elaborou no princípio da posição e discutiu os numerais Indianos.
Nos campos da geologia e da geografia, Al-Biruni contribuiu para o conhecimento das erupções geológicas e da metalurgia, para a medição das longitudes e das latitudes e para a determinação da posição relativa de um local a outro.
Explicou o funcionamento das nascentes naturais e dos poços artesianos através do princípio hidrostático dos vasos comunicantes. O seu livro Al-Athar Al-Baqiyah fi Qanun al-Kaliyah debruça-se sobre história antiga e geografia, tendo sido traduzido por Edward Sachau.
Al-Biruni constatou que a flores possuem 3, 4, 5, 6, ou 18 pétalas, embora nunca sete ou nove.
Al-Biruni é vulgarmente conhecido pela sua associação com Mahmood Gahznavi, um famoso rei Muçulmano que também governava a Índia, e seu filho, o Sultão Masood. Impressionado com o seu grau de cultura e fama, o Sultão Mahmood levou diversas vezes consigo Al-Biruni nos seus périplos pela Índia.
Al-Biruni viajou por muitos locais da Índia durante cerca de 20 anos e estudou filosofia Hindú, assim como a Matemática, Geografia e religião dos Panditas. Em paga, deu-lhes a conhecer a ciência e a filosofia Grega e Muçulmana.
O livro de Al-Biruni "Kitab al-Hind" fornece uma descrição pormenorizada da vida Indiana, suas religiões, línguas e culturas, e inclui muitas notas geográficas. Ele afirmou que o vale Hindu devia ser considerado uma antiga bacia marítima preenchida com depósitos aluviais.
Nesta sua obra, são mencionados dois livros, Patanjal e Sakaya. Traduziu estes dois livros de Sânscrito para Árabe, o primeiro debruça-se sobre relatos de experiências após a morte, e o último sobre a criação das coisas e seus tipos.
O livro "Aein-i-Akbari" de Abu-al-Fadal, escrito seis séculos mais tarde durante o reinado de Akbar, foi influenciado pelo do Al-Biruni. Al-Biruni escreveu também o seu famoso "Al-Qanun Al-Masudi Fi Al-Hai'a Wa Al-Nujum" em 1030.

Este livro foi escrito após o seu regresso da Índia e era dedicado ao Sultão Masood. Discute diversos teoremas de trigonometria, astronomia, movimentações do sol, da lua e dos planetas, e contém uma coleção de vinte e três observações de equinócios.

Os seus outros livros bem conhecidos são Al-Athar Al-Baqia e Kitab-al-Saidana, o primeiro fornece um relato da história antiga das nações e o último é uma extensa obra médica que sintetiza a medicina Árabe e a medicina Indiana.

As suas investigações incluíam a descrição de gêmeos siameses. Escreveu igualmente sobre o astrolábio e um tipo de calendário mecânico. Al-Biruni foi um verdadeiro cientista Muçulmano que beneficiava dos ensinamentos e da orientação Islâmica, assim como das investigações científicas. Ele afirmou:

"A minha experiência no campo da astronomia e da geometria, e na física, revelou-me que deve existir uma Mente Planejadora de Poder Ilimitado. As minhas descobertas na Astronomia comprovam que existem detalhes fantásticos no universo que corroboram a existência de um sistema criativo e de um controlo meticuloso não explicáveis por simples causas físicas e materiais."
Ele nunca explorou o seu trabalho como um meio de obter fama, autoridade ou ganhos materiais, quando o Sultão Masood lhe enviou três camelos com moedas de prata como agradecimento do seu trabalho enciclopédico "Al-Qanun al-Masoodi", (O Cânone Mas'udi), Al-Biruni delicadamente recusou o presente real dizendo:
"Eu sirvo o conhecimento para o bem do conhecimento, e não por dinheiro."
Al-Biruni é considerado um dos maiores cientistas de todos os tempos.

Sobre Al Kindi


YAQUB IBN ISHAQ AL-KINDI

AL KINDI





Al Kindi nasceu na cidade de Wassit no ano 188 Hégira conhecido como o filósofo dos árabes na idade média, Cardano considerou Al Kindi como uma das doze mentes mais brilhantes da idade média.
Ele pertence ao grupo dos grandes cientistas muçulmanos que fizeram contribuições valiosas em muitos campos da ciência, Al Kindi era um filósofo, astrônomo, médico, matemático, físico, engenheiro e geógrafo; era também um perito na música.
Yaqub Ibn Ishaq Al Kindi viveu na cidade de Kufa, Basra e Bagda, seu pai trabalhou para Califa Harun Al Rashid, estudou com os sábios e os livros dos antecessores, ficou famoso e os Califas começaram a procurá-lo, os invejosos nutriam por ele inimizade e fizeram com que as pessoas o criticassem, incompatibilizando-o com os Governantes.
Al Kindi passou sua longa carreira em Bagda e foi um contemporâneo dos Califas Abássidas; Al Mutawakkil, de Al Mamun e de Al Mu'tasim, morreu durante o reino de Al M'utamid.
Al Kindi se sobressaiu em ciência natural e foi o pioneiro em muitos assuntos importantes, os conhecimentos que ele legou foram:
  • A influência das longas distâncias na miragem;
  • Que a luz não necessita de tempo em sua viagem;
  • Que os planetas giram ao redor do Sol do Ocidente para o Oriente (verdade que ninguém conhecia até então);
  • Sobre a dilatação do corpo em temperaturas quentes e o encolhimento no frio;
  • Sobre as causas que ocasionam a chuva
  • Que o sol é maior do que a terra e que está é maior do que a lua.
Al Kindi tinha uma mente científica liberal, ele rejeitou a teoria que afirmava haver possibilidade de se transformar metais baratos em metais nobres como o ouro e a prata, ele escreveu um livro chamado ''Cuidado Com o Golpe dos Alquimistas", rejeitando tal teoria.
Ele explicou o método de extração do almíscar em que proporção é usado nas reações químicas, ele cita um grande número de reações químicas, como filtrar, destilação, mineralogia, fabricação de espadas, coloração e proteção contra ferrugem.
Ele escreveu muitos livros em vários campos do saber, dentre suas obras temos:

  • Astronomia: Teorias Astronômicas;
  • Matemática: Tese da Dedução de Números Primários;
  • Álgebra: Livro da Divisão do Triângulo e do Retângulo;
  • Medicina: Livro Sobre Alimentos e Remédios e Tratamento de baço;
  • Química: Tese Sobre a Composição do Atar e Pedras Preciosas.
Além destes trabalhos, ele foi sempre prudente, suas palavras sempre demonstraram seu equilíbrio, Al Kindi dizia:

''Sábio é aquele que sabe que acima de seu conhecimento há um conhecimento maior (Deus) e é humilde por isso, e ignorante é quem pensa que chegou ao ápice, e por isso as pessoas o desprezam.''
Entre um de seus conselhos citamos:

''Afastai-vos do mal porque o mal pertence aos maldosos.''

''Deves livrar de tua conversa àquele que não se satisfaz com ela.''
Al-Kindi foi o primeiro médico que determinou sistematicamente a dosagem para a maioria das drogas., ajudou extremamente no desenvolvimento de padrões de dosagem (prescrição) para pacientes.
No campo da química, Al Kindi discutiu que os metais baixos não podem ser convertidos em metais preciosos e que as reações químicas não podem produzir a transformação de elementos básicos.
Fez contribuições importantes ao sistema árabe de números, além disso, contribuiu com à geometria esférica ao ajudar a Al Khwarizmi em seus estudos astronômicos.
O trabalho original de Al Kindi forneceu a fundação para a aritmética moderna, fez também grandes contribuições ao sistema ótico geométrico, um campo especial da física, e escreveu um livro.
Al Kindi pesquisando os aspectos científicos da música, indicou que as várias notas que combinam para produzir a harmonia têm um passo específico, e o grau de harmonia depende da freqüência das notas, forneceu um método para a determinação do passo, Al Kindi indicou que quando um som é produzido gera as ondas no ar.
Al Kindi escreveu mais de cento e quarenta livros, entre estes dezesseis livros de astronomia, vinte e dois de medicina e filosofia, doze de física, trinta e dois de geometria, onze de aritmética, nove de lógica, quatro de número e sistema, sete de música e cinco de psicologia. Além disso escreveu monografias de instrumentos astronômicos, marés, e rocha e pedras preciosas.
Gerard de Cremona traduziu muitos de seus livros no latim estes livros incluem Ikhtiyarat al-Ayyam, Al Mosiqa, Risalah Tanjim Dar, Ilahyat-i-Aristu, Mad-i-Jazr e Adwiyah Murakkaba.
A influência de Al Kindi no desenvolvimento da física, matemática, medicina, filosofia, música e engenharia durou por diversos séculos.
Al Kindi faleceu no ano 258 da Hégira, ele ficou conhecido no passado e no presente, pois alguns europeus o consideram um dos doze maiores sábios e possuidor da mais brilhante inteligência do mundo, realmente foi um grande sábio das ciências.

Caindo na rede




O mundo da interação humana está cada vez mais ativo e mais dia, menos dia todos nós estaremos num grande Big Brother onde todos sabem o que todo o mundo está fazendo.
Isto é inevitável. Mais dia menos dia caimos na rede...
Assim, a melhor forma de fazer isso é fazermos de modo consciente e deliberado. Ou seja já que a informação está aí pelo menos serei protagonista dela e do meu destino.
Quando damos aula, então a nossa responsabilidade aumenta. Somos exemplo e o exemplo arrasta.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Marque uma consulta comigo

Agenda