Google Tag Manager

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Yin Yang - Natal - Parte 1

Natal
(Paris, dez.1966 por Jean Baudry)
Após 40 anos com adaptações do editor deste blog. Considerar que o texto foi escrito no hemisfério Norte onde em Dezembro é inverno (Yin).

O Natal é uma festa de Alegria, de Renovação, de Nascimento Eterno.

Dentro do Yin mais profundo, na época do ano onde os dias são mais curtos e quando as trevas e o frio triunfam, o germe oculto do Yang começa efetivamente com o seu crescimento.

A partir do solstício (dia mais curto do ano) do inverno, os dias se alongam pouco a pouco.

É verdade que o fenômeno ainda é muito restrito, quase imperceptível, pois a vitória da luz sobre as trevas é muito lenta, e o frio ainda persistirá por muito tempo, chegando até a ser mais rigoroso.

Portanto é bem verdade: o Yang nasce, seu germe desperta e traz em si as esperanças dos dias quentes, ensolarados, plenos de vitalidade.

Assim, o Ano Novo começa no inverno. O Natal é o Ano Novo, o alfa de um novo ciclo, de novo anel espiroide. O Natal é a concepção e a Renovação, que se manifestarão na primavera em março-abril.

Sempre o Yang sucede ao Yin e o Yin sucede ao Yang. Alcançado o seu máximo de crescimento, o Yin contem o germe do Yang. No seu máximo, o Yang contem o germe do Yin. Nos seus limites o Yin se transmuta em Yang e o Yang se transmuta em Yin. Inexiste Yin sem Yang e inexiste Yang sem Yin.

O Yin e o Yang são contrários opostos e aparentemente inimigos, mas complementares, realmente indispensáveis um ao outro.

O Yang é um aspecto doYin.
O Yin é um aspeceto doYang
Yin é Yang. Yang é Yin.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Marque uma consulta comigo

Agenda