Google Tag Manager

sábado, 7 de agosto de 2010

Grafologia Parte 3 – As margens

 

 Margens

Imagem: Cortesia de Helen Fernanda mediante prévia autorização.

Confira o texto em http://www.htmhelen.com/2009/01/margens-e-espacamento-interno.html

Antes de examinarmos a escrita própria, notemos se o escrevente deixou ou não margens.

É verdade que este ponto depende muito do uso ou da moda, e havemos de examinar a escrita mesma para ver se os prognósticos fornecidos pela margem se confirmam ou deixam de serem confirmados.

A ausência de margens significa economia ou avareza.

As margens largas, ao contrário, designam em geral generosidade.

As margens que se alargam de cima para baixo são indícios de uma luta entre a generosidade nativa e a economia proposital.

Se as margens vão diminuindo à medida que descem, denotam a vitória da economia sobre a propensão de gastar.

As margens proporcionais e iguais revelam um carater equilibrado, a harmonia, o bom gosto.

Para podermos decidir se a ausência de margens é causada pela tendência a avareza, é necessário observar estes sinais na escrita que são:

Escrita muito apertada. Palavras encurtadas ou muito juntas umas das outras, linha unidas e falta dos espaços habituais.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Grafologia Parte 2 – Finalidade

 

 grafologia 03

A grafologia revela o caráter e as aptidões de uma pessoa pelo exame de sua escrita. É natural que o grafólogo, escolha um outro texto do que uma prova caligráfica feita com cautela e premeditação. É preciso escolher um manuscrito feito com a letra habitual da pessoa referida, sem que esta esteja previamenta avisada.

Grafologia 04

O estudo da grafologia se baseia sobre a fisiologia e a psicologia, que ensina que cada movimento do corpo é um reflexo do movimento da alma.

Que o movimento do corpo é resultante de nossos pensamentos, sentimentos e emoções.

Por isso, nosso caráter, sendo constituído do conjunto dos nossos movimentos que, em consequência das nossas aptidões e dos nossos hábitos, se dão o mais frequentemente, manifesta-se nos correspondentes movimentos psicológicos necessários, que daqueles resultam.

 

Grafologia 07

A grafologia como as demais ciência adivinhatórias é antiquíssima.

A história narra que Suetónio, que viveu no segundo século da nossa era, analizou a escrita de Augusto e que, das curvas que esta apresentava, argumentou que o caráter do imperador devia ter sido clemente.

Os monges da idade média fazeram estudos profundos sobre este ramo das ciências ocultas, muito utilizado para fins empresariais e de identificação biométrica nos dias atuais.

 

grafologia 06

Sabe-se que a grafologia mereceu a atenção de Shakespeare, Goethe, Lavater, Desbarrolles e outros.

grafologia 05

O verdadeiro iniciador e vulgarizador desta ciência foi um francês que publicou em 1870 sob o pseudônimo de Jean Hyppolite, um volume intitulado: “Mistérios da Escrita”, ao qual fez seguir um outro, que denominou: “Sistema de Grafologia”, e depois um terceiro: “ O Método Grafológico”; na compilação deste, foi ajudado por seu amigo Emilio de Vars.

grafologia 02

 

Hoje há um avultado número de grafólogos, e muitos jornais e revistas franqueiam-lhes as suas colunas, pois o público reconhece o valor incontestável das revelações grafológicas, que nos permitem conhecer o caráter dos nossos amigos e inimigos, conhecidos e estranhos, e deste modo nos dão a possibilidade de evitarmos amargas e dolorozas decepções, produzidas por ilusões de falsos juízos benévolos, como também nos tornam mais justos em nossas apreciações com referência às respectivas pessoas.

Os caractéres gráficos revelam o caráter ético dos seus autores; quantas vezes, pois, podem dar-nos bastante clareza sobre várias acusações, denúncias, promessas, etc.

Grafologia 01

Estamos convencidos de que os nossos estimados leitores irão nos acompanhar até o fim nesta série de artigos destinados a abordar de forma resumida, para dar uma idéia do assunto, já que o mesmo é de estudo profundo dos especialistas e profissionais a respeito, que sempre devem ser consultados para um parecer adequado.

Assim o estimado leitor verá de modo simples um pequeno resumo destes ensinos que com a prática se tornam amenos, amados e sobremodo úteis.

Dia dos Pais é em 8 de agosto de 2010 – Dia do Papaia Hortifruti

Confira na figura abaixo.

ho_0063_10_promo_pais_webmail

Grafologia Parte 1- A Grafoscopia

Grafologia 10
Biometria – Análise da assinatura – Grafoscopia
grafologia 08 biometrio
Assinatura: Método biométrico de identificação pela escrita do nome da pessoa.
Grafologia 09 Biometrio
Confira!
Nota: A análise de assinaturas deve ser feita por um perito criminalista especializado com curso específico sobre o assunto.
Grafologia 09 Biometria
A análise de uma assinatura é dada pelo laudo grafoscópico.
A análise psicológica é feita pela análise grafológica.
Grafologia Simpósio Internacional
Nesta primeira parte desta série de artigos iremos abordar a grafoscopia sob o ponto de vista da análise da assinatura para fins de autenticidade ou de falsificação.
Fonte: Universidade Federal do Rio de Janeiro – COPPE – 2008
Trabalho de Victor Soares Burstyn
Permissão de publicação requerida por e-mail em 01/08/2010.
Biometria: Análise de Assinaturas
Fonte: Biblioteca da Universidade.
Site: http://www.gta.ufrj.br/grad/08_1/assinat/index.html

0. Resumo
Este trabalho pretende contextualizar as técnicas de reconhecimento de padrões em assinaturas manuscritas dentro do universo da biometria. Serão introduzidas, de maneira didática, as noções mais básicas que permeiam este tema.
Os resultados serão abordados de acordo com um olhar crítico e pragmático, buscando comprovar ou reprovar a utilidade dessas técnicas em determinadas áreas de aplicação.
Ao final do estudo, espera-se que todo o teor técnico tenha sido esclarecido e que reflexões sobre as aplicações dessa tecnologia tenham sido devidamente excitadas.
1. Índice
 2. Introdução à Biometria
3. Conceitos Fundamentais
3.a) Dentro do Grafismo: A Grafoscopia e seus Elementos
3.b) Os Indícios de Falsificações
3.c) Dentro do Grafismo: A Grafologia
4. Passos Técnicos para a Verificação de Assinaturas
4.a) Pré-Processamento
4.b) Segmentação
4.c) Extração de Primitivas
4.d) Similaridade entre Primitivas
4.e) A Decisão com Base nas Similaridades
5. Comparação entre os Resultados de cada Referência Bibliográfica & Áreas de Aplicação
6. Os "Prós" e "Contras" do Reconhecimento de Assinaturas
7. Cinco Perguntas & Respostas
8. Referências Bibliográficas
 
Para saber mais, clique em Mais informações, abaixo.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Marque uma consulta comigo

Agenda