Google Tag Manager

domingo, 4 de setembro de 2011

O estado da sua cueca eh muito importante para as mulheres

O estado da sua cueca é muito importante para as mulheres.
Cueca
Estimado leitor, se a sua esposa chamar a sua cueca de “Fofa” tome cuidado! A cueca é uma peça muito importante para as mulheres também.
Confira:

Nada mais justo do que buscarmos na história a origem da peça do vestuário masculino que mais causa alvoroço no universo feminino.
A Cueca é uma peça da indumentária originalmente masculina, mas que hoje já tomou parte do universo feminino.
Na Hungria, os hussardos usavam “Gatya” hoje chamada de “alsónadrág”.
Muitos atribuem aos húngaros a invenção desta parte da roupa masculina como é conhecida hoje. Foram os primeiros no mundo a usar esta parte da roupa realmente com conforto, inclusive para andar a cavalo.
O exemplo mais antigo da roupa íntima masculina data dos homens das cavernas, usada para proteção das partes mais sensíveis, faziam uso de tiras de couro e pele de animais.
Dizem os estudiosos que a peça íntima evoluiu posteriormente para um longo pedaço de linho moldado como um triângulo com tiras nas pontas. Eram amarrados ao redor dos quadris e laçados por entre as pernas; depois, com as tiras, eram amarrados novamente nos quadris.
No século XII, com o desenvolvimento das armaduras de platina, as faixas de linho que eram usadas como proteção contra o metal áspero começaram a ser usadas pelos cavaleiros. Desde então, estes tecidos são considerados os reais antecedentes da roupa íntima masculina. Mais tarde, as cuecas, freqüentemente amarradas abaixo dos joelhos com fitas ou alfinetes, encurtaram e foram costuradas. As roupas masculinas do século XVI eram tão brilhantes e coloridas quanto às femininas. Eram feitas de seda, tafetá e outros tecidos nobres, enquanto as roupas íntimas eram feitas de linho, pois era o único tecido lavável. Na década de 1830, as roupas íntimas masculinas feitas de flanela e algodão se tornaram comuns e muito usadas. Após a Revolução Francesa, a aristocracia inglesa tornou-se o modelo da moda masculina. O que usavam eram roupas confortáveis e casuais. Com exceção de ocasiões formais, os calções deram lugar às calças mais justas, acompanhadas de botas. Através dos séculos, alguns homens, principalmente os militares, usavam roupas íntimas parecidas com os corpetes que diziam facilitar a vida em tempos de guerra.
A roupa íntima masculina sempre foi primeiramente funcional, de acordo com a forma do corpo masculino.
Em 1895, o catálogo das lojas Montegomery Ward oferecia roupas íntimas masculinas feitas de algodão e flanela, mas divididas em duas peças, nas cores cinza e o bem popular vermelho. Em 1908 as lojas Sears lançaram catálogos oferecendo corseletes masculinos para militares.
Os “shorts íntimos” foram novidades que chegaram com o século XX. As cuecas passaram a ser fabricadas com tecidos elásticos e se tornaram mais confortáveis. Ao contrário da roupa íntima feminina, que tem um aspecto mais sexy, o princípio da roupa íntima masculina é o conforto e a simplicidade, motivo pelo qual os shorts chamados “samba-canção” se tornaram muito comuns na década de 1980. Na década seguinte a lingerie dos homens evoluiu e não está pautada só no slip (modelo tradicional), aceitou o calção de malha e todas as formas de produtos derivadas do esporte, como os modelos ciclista,boxer e shorts. Além das fibras e formato, a nova lingerie tem um corte bem estudado, com costuras invisíveis para não machucar.
Para o dia-a-dia, as lingeries mais indicadas são 100% de algodão ou de outras fibras naturais como o bambu, que tem propriedades  desodorizantes e antibacterianas.
O mercado de Moda hoje busca tendências, inspirações e tecnologias na confecção da linha underwear masculina, levando em consideração não apenas o gosto masculino, mas o feminino também, pois sabemos que a grande maioria dos homens não compra suas roupas, deixando essa tarefa as suas mães, esposas e namoradas.
O universo feminino antenado por si só é muito exigente até na linha underwear que deve seguir a risca a moda e servir de complemento para todo o look.
Porém meninos, nada de “cuequinhas” velhas, com elástico frouxo e aqueles furinhos, isso deixa qualquer mulher desmotivada em qualquer relação. Surpreenda ao decorar a sua “vitrine” de desejos!
Fonte: http://cuecasbeton.com.br/blog/historia-da-cueca/
Para saber sobre o Sutiã e a Calcinha, clique em Mais informações, abaixo.
 


Sutiã

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Suti%C3%A3
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

 
Sutiã - Vista de Frente

 
Sutiã - Vista de Trás
O sutiã ou soutien (do francês soutien: suporte), é um tipo de roupa usados por mulheres, servem para a proteção e sustentação das mamas.

História

Há 100 anos Mary Phelps Jacob patenteava nos Estados Unidos o sutiã. A invenção tinha o objetivo de acomodar o seio, possibilitando moldá-lo, diminui-lo, escondê-lo ou exibi-lo. Transformou a coadjuvante roupa de baixo em protagonista do figurino da mulher com lingeries sensuais. Antes escondido, hoje é usado até como roupa de cima.
Esta peça de roupa tornou-se um aliado na busca da beleza, do conforto e da sedução.
Tudo começou com um gesto de rebeldia. Jovem nova-iorquina, Mary Jacobs revoltou-se contra o espartilho de barbatana que não só a apertava como sobrava no vestido de noite que acabara de comprar. Com a ajuda de sua empregada, fez uma espécie de porta-seios tendo como material dois lenços, uma fita cor-de-rosa e um cordão. Depois de confeccionar cópias para as amigas, resolveu comercializar a invenção. Mais interessada no sucesso de sua criação nas festas do que nas lojas, acabou por vender a patente por 1550 dólares para a Warner Bros. Nos 30 anos seguintes, a empresa iria faturar 15 milhões de dólares com esta peça de roupa.
Há milênios as mulheres vinham procurando uma matéria-prima para confeccionar algo que desafiasse a lei da gravidade e sustentasse os seios. Referências revelam que em 2000 a.C., na Ilha de Creta, elas usavam tiras de pano para modelá-los. Mais tarde, as gregas passaram a enrolá-los para que não balançassem. Já as romanas adotaram uma faixa para diminuí-los. O espartilho surgiria na Renascença para encaixar a silhueta feminina no padrão estético imposto pela aristocracia. Por meio de cordões bem amarrados, ele apertava os seios a tal ponto que muitas desmaiavam. O sutiã apareceu para libertar a mulher daquela ditadura.
Na década de 1920, os sutiãs compunham o estilo dito "garçonne" e achatavam o busto. Nos anos 30, a silhueta feminina volta a ser valorizada. Surgem os bojos de enchimento e as estruturas de metal para aumentar os seios. Nos 50, com o advento do nylon, as peças ficam mais sedutoras e conquistam as estrelas de Hollywood. Nos 60, as feministas queimam em praça pública a peça que consideravam símbolo da opressão masculina.
 
Calcinha
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Calcinha

Calcinha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Calcinha (Brasil, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau e Moçambique) ou calcinhas (Portugal) é uma roupa íntima feminina constituída por uma espécie de shorts curto, ajustada ao corpo da mulher e feita na maior parte das vezes de tecidos macios e delicados, como o algodão, por exemplo.

Ver também

  • Knickers1.jpg
  • Pantys for the party girl.jpg
Surgiu por volta de 1800 na Europa o primeiro modelo da calcinha chamado de calção, chegava abaixo dos joelhos, depois que virou moda toda mulher decente usava calcinhas. Hoje a calcinha é uma peça insubstituível no vestuário feminino, mulheres têm multiplicado as suas despesas em lingerie tornou-se um fenômeno sociológico demonstrando a fé na alma de uma mulher é muitas formas.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Marque uma consulta comigo

Agenda