Google Tag Manager

sábado, 10 de janeiro de 2015

Qual e o baralho cigano hungaro para a tiragem do Tarot

Qual é o baralho cigano húngaro, para a tiragem de Tarô?




















Antes de responder a esta pergunta vamos conhecer um pouco mais sobre os ciganos e o tarot.

A Cartomancia, é um dos costumes ciganos mais conhecidos, afinal muitas pessoas recorrem a este povo para saber o futuro pelas linhas das mãos e também pelas cartas.
Veja abaixo que observações interessantes:
De: O Baralho Cigano e seu imaginário:
Compilação de Constantino K. Riemma.

“Os ciganos, porém, associaram seu nome às cartas de jogar. A razão para isso é as mulheres ciganas incluírem entre suas habilidades a leitura de sorte, em especial a quiromancia, a predição pelas linhas das mãos. Para o nômade, que carrega poucos pertences, é um recurso prático: não exige instrumentos especiais nem providências complicadas. Basta a palma da mão do consulente.”
“À medida que se desenvolveram as técnicas de impressão dos baralhos, os jogos se tornaram mais acessíveis e muitos ciganos passaram a utilizar as cartas para ler a sorte, já que são pequenas e simples de manejar.”



“Não existem baralhos ciganos antigos”
“Mesmo pesquisando com toda paciência os livros disponíveis e a Internet não encontraremos exemplares históricos de baralhos que pudessem ter sido criados ou impressos por ciganos.”
“A quase totalidade dos anúncios que vemos hoje nos sites e folhetos sobre tiragens e baralhos ciganos, utilizam na verdade as 36 cartas do baralho Petit Lenormand, uma simplificação que a cartomante francesa mandou redesenhar de apenas parte dos arcanos menores originais.”

"Le Petit Lenormand" ou "Baralho Cigano"
Editorado por: Constantino K. Riemma

“O "Pequeno Lenormand" (Le Petit Lenormand) também conhecido no Brasil por "Baralho Cigano" é o jogo com 36 cartas, utilizado para cartomancia. “
“As principais resenhas a respeito indicam que o Petit Lenormand constitui uma adaptação do jogo francês "le Piquet", termo que pode ser traduzido por "estaca" ou "pelotão". “ “
“Trata-se de um jogo popular, recreativo, cuja origem remonta ao século XV, associados ao Rei de francês Charles VII (1422-1461). “
“É um baralho com 32 cartas: Áses, 7, 8, 9, 10, Valetes, Rainhas e Reis dos quatro naipes.”
“A Mademoiselle Lenormand, a famosa cartomante francesa, deu seu nome ao baralho em que foram adicionadas ilustrações às cartas do baralho comum (1840). Desse modo, as cartas utilizadas com finalidade oracular passaram a dispor de imagens para traduzir os significados que atribuía, então, a cada uma delas.”
‘No Petit Lenormand foram consideradas também as cartas de número 6 dos quatro naipes, totalizando assim 36 cartas e não apenas as 32 usuais nos jogos recreativos desse período: Piquet, Manille e Belote.”

Seguem figuras do Baralho Petit Lenormand
Conforme Galeria do Clube do Tarô,
Baseada na publicação de 
Editora AGMüller, Neuhausen, Suíça.










































O Baralho Petit Lenormand - Baralho Cigano
Resumo simbólico das cartas para os Iniciantes
“Geraldo Spacassassi


Este resumo foi extraído do livro Baralho Petit Lenormand - Teoria & Prática, (de Geraldo Spacassassi, como uma contribuição aos estudantes/praticantes desse famoso oráculo francês, criado por Marie-Anne Adelaide Lenormand, mais conhecida como Mlle. Lenormand.
O Petit Lenormand, publicado originalmente em 1840, deu origem a uma grande variedade de adaptações, boa parte delas denominadas Baralho Cigano. É por essa razão que os significados do Petit Lenormand podem ser aplicados pelos interessados na utilização das cartas ciganas.

1 - Cavaleiro. Você está sendo chamado a agir de forma correta e ousada. Abra-se para o novo e deixe seu espírito de liderança guiar seus passos (Cavaleiro). O momento possibilita a realização de um sonho, a concretização de um projeto ou uma união afetiva (9 de Copas).

Para saber mais, clique sobre Mais informações, abaixo
   
2 - Trevo. Você está sendo chamado a se conscientizar da importância de manter a confiança e de buscar a sabedoria interior para enfrentar as situações adversas da vida (Trevo), e, ao mesmo tempo, exercitar sua capacidade compartilhar: dar e receber, proteção, generosidade, bondade; prenuncia uma provável entrada de recursos (6 de Ouros).
3 - Navio. Você está sendo convidado a dar um novo rumo à sua vida; a explorar novos horizontes (Navio); felizmente você sobreviveu; o grande desafio terminou, apesar de tê-lo deixado sem energias, sentindo-se frustrado e sem esperanças (10 de Espadas).
4 - Casa. Você está sendo chamado a dar mais atenção à segurança material, à família e à relação afetiva tão necessária para que possa atuar no mundo (Casa), mas o fundamental é desenvolver a sua autoconfiança e autoestima; se você não se ama, torna-se difícil amar, servir e proteger aqueles que estão perto de você (Rei de Copas).
5 - Árvore. Você está sendo chamado a buscar o crescimento e a prosperidade pessoal, que dependem do equilíbrio correto dos aspectos materiais e espirituais de sua existência e de se guiar por princípios éticos e morais, aliados à avaliação criteriosa e racional das possibilidades e dos recursos disponíveis (Árvore), ao invés de permanecer iludido, esperando um milagre, fantasiando, ligado apenas à aparência e glamour das coisas ou pessoas (7 de Copas).
6 - Nuvens. Você está sendo chamado a enfrentar incertezas, dúvidas e confusões de sentimentos diante dos desafios da vida (Nuvens), que podem ser solucionados na medida em que você deixar seu guerreiro interior agir, encarando as questões e usando toda a sua força de vontade (Rei de Paus).
   
7 - Serpente. Você está sendo chamado a defender seu espaço pessoal, seu território, e aprender que a falsidade, a inveja e as desarmonias que negativamente você projeta ou das quais é alvo (Serpente) resultam de sua falta de autoconfiança e autoestima, da insegurança ante os desafios da vida. Você só cresce quando adota um elevado padrão ético e moral e conscientiza-se do seu real valor e talentos (Rainha de Paus). Veja: texto completo
8 - Caixão. Você está sendo chamado a entender que as grandes transformações, o fim de um estágio ou ciclo, as perdas de todo tipo (Caixão) constituem um teste para avaliar sua capacidade de autossuficiência, forçando-o a descobrir novas formas de canalização de seu potencial criativo que, no final, gerarão muito prazer e contentamento (9 de Ouros).
9 - Buquê. Você está sendo convidado a ampliar seu relacionamento social e entender que as relações harmoniosas, a generosidade e a cooperação  entre as pessoas geram oportunidades para todos os envolvidos (Buquê); quando essas oportunidades são racionalmente percebidas e canalizadas, muito contribuem para o aperfeiçoamento tecnológico e o avanço da sociedade do qual você precisa participar (Rainha de Espadas).


10 - Foice. Você está sendo chamado a fazer cortes e aprender que todo processo de transformação e mudança exige ajustes para restabelecer o equilíbrio necessário (Foice), e, ao mesmo tempo, enfrentar o trabalho duro e rotineiro de forma saudável, sem esmorecer ou perder a alegria de viver (Valete de Ouros).
11 - Chicotes. Você está sendo chamado a confiar na sua força espiritual e intuição; a usar de sua autoridade para restabelecer a harmonia, principalmente no lar, quando surgem discórdias (Chicotes); e a buscar novas alternativas, quebrando rotinas com jovialidade e otimismo, de acordo com a lei (Valete de Paus).
12 - Corujas. Você está sendo chamado a enfrentar a dor com sabedoria, humor e inteligência, sem se deixar dominar pelas emoções neste momento; compartilhe suas dificuldades com alguém: um amigo ou profissional da área (Corujas), pois só assim poderá encarar a difícil tarefa de tomar uma decisão adequada diante de um impasse (7 de Ouros).
13 - Criança. Você está sendo convidado a se livrar de todo tipo de prevenções e preconceitos, e passar a encarar a vida com alegria e otimismo, sempre aberto para o novo (Criança). Isso implica em manter a mente receptiva e flexível; desenvolver a sua capacidade de comunicação, através do estudo e da pesquisa (Valete de Espadas).
14 - Raposa. Você está sendo chamado a entender a importância da flexibilidade e da sagacidade como qualidades essenciais à sua sobrevivência, e como o exercício dessas qualidades pode ajudar você a evitar sérios prejuízos e perdas (Raposa) principalmente neste momento, em que você é ainda forçado a enfrentar novos desafios, quando as dificuldades da vida já exauriram todas as suas energias (9 de Paus).
15 - Urso. Você está sendo chamado a defender seu território e a aprender que a inveja, o ciúme, o despeito e todas essas energias negativas geradas pela busca desequilibrada do poder (Urso) encontrarão um campo propício para se instalar e expandir toda vez que você se deixar abater pelo desânimo e pelo excesso de preocupações ou de responsabilidades (10 de Paus).
16 - Estrelas. Você está sendo chamado a entender que o êxito e a boa sorte dependem da canalização adequada de seu potencial criativo e do quanto você confia em seu brilho pessoal (Estrelas); se você está enfrentando uma crise, é sinal de que deve parar e meditar seriamente a fim de identificar o que gera neste momento esse sentimento de culpa que o bloqueia e, imediatamente, adotar medidas corretivas (6 de Copas).
17 - Cegonhas. Você está sendo chamado a entender que as mudanças, as viagens e os imprevistos da vida, tais como morte, gravidez e a quebra de rotinas (Cegonhas), obrigam você a mergulhar fundo em seu ser, na busca das causas reais de sua existência, forçando-o a encarar seus medos, limitações e desejos ocultos, bem como sua capacidade de lidar com as questões de poder, controle e sexualidade em sua vida (Rainha de Copas).
18 - Cão. Você está sendo chamado a aprender que a fidelidade, a compreensão, a dedicação e a amizade verdadeira, aliadas à capacidade de você estar sempre alerta e vigilante contra as investidas dos fatores externos desestruturantes (Cão), constitui uma base para você estabelecer relações afetivas ou comerciais harmoniosas e duradouras, sempre pautadas por um grande ideal (10 de Copas).
19 - Torre. Você está sendo chamado a aprender a desenvolver sua capacidade de reflexão e análise para melhor equacionar os problemas da vida, provavelmente como este que você está enfrentando (Torre), para só então, depois da preparação necessária, partir para a luta, enfrentando os desafios com firmeza e dignidade (6 de Espadas).
20 - Jardim. Você está sendo chamado a defender seu espaço pessoal das invasões externas; a desenvolver a capacidade de cuidar e defender o seu domínio, e, ao mesmo tempo, a nutrir e proteger os que lhe são caros (Jardim) até mesmo, como neste momento, diante de situações adversas e opressivas, quando o medo impossibilita uma ação adequada e justa (8 de Espadas).

21 - Montanha. Você está sendo chamado a enfrentar, após criteriosa avaliação da situação, os desafios ou inimigos com equilíbrio, firmeza e perseverança (Montanha); para tanto, você deve aguardar o momento propício, quando as condições se mostrarem favoráveis e você se sentir seguro e confiante quanto ao resultado esperado (8 de Paus).
22 - Caminhos. Você está sendo chamado a usar seu livre-arbítrio: fazer escolhas, tomar decisões responsáveis e ser persistente (Caminhos), para que possa enfrentar a força instintiva que o incita à busca do prazer sem limites. Essa força, quando bem canalizada, gera a abundância e a prosperidade que você merece (Rainha de Ouros).

23 - Ratos. Você está sendo chamado a examinar as suas rotinas diárias que geram um desgaste excessivo de energias, afetam sua saúde ou provocam danos e perdas (Ratos), resultantes da competição acirrada de todo tipo a que você está exposto, e que só pode ser enfrentada por um caráter, íntegro, forte e corajoso (7 de Paus).
24 - Coração. Você está sendo chamado a entender que a paixão, a entrega, as atitudes loucas e impensadas, bem como o carinho e a proteção que tanto você busca, seja em relação a uma pessoa ou uma causa (Coração), são apenas uma faceta, geralmente efêmera, do Amor Maior, altruísta e infinito, que governa o Universo. Ele exige entrega, doação e comprometimento, mas confere alegria e plenitude (Valete de Copas).
25 - Anel. Você está sendo chamado a analisar a sua capacidade de se associar, de buscar criteriosamente a cooperação e o apoio de outras pessoas (Anel), quase sempre indispensável quando o entusiasmo e a paixão estão impelindo você a desenvolver novos projetos, a assumir um compromisso de noivado-casamento ou a embarcar numa aventura que poderá mudar radicalmente o rumo de sua vida (Ás de Paus).

26 - Livro. Você está sendo chamado analisar a sua relação com os estudos, o esforço intelectual e a dedicação ao trabalho, que ampliam seus horizontes e possibilitam o seu crescimento (Livro), constituindo a única forma segura para você alcançar a paz, a harmonia, a segurança e a prosperidade (10 de Ouros).

27 - Carta. Você está sendo chamado a estar atento a acontecimentos inesperados, revelações, convites; e a tomar conhecimento de novos aspectos ou fatos de uma dada questão ou situação que está sendo revelada (Carta) e que o obriga, neste momento, a agir com discrição, tato, diplomacia e até absoluto sigilo, a fim de evitar problemas maiores ou perdas irreparáveis (7 de Espadas).
28 - Cavalheiro. Se o consulente for um homem: Está sendo convidado a se repensar como “Homem”: você está conseguindo harmonizar e equilibrar seu gênero biológico, masculino (Cavalheiro), com os aspectos emocionais e femininos no íntimo de seu ser (Ás de Copas)?  
Se for uma mulher: está sendo chamada a repensar seus conceitos a respeito dos homens; ou aceitar que o desafio que você enfrenta no momento depende da ação, apoio ou ajuda de um homem.
29 - Dama. Se o consulente for uma Mulher: Está sendo convidada a se repensar como “Mulher”: você está conseguindo harmonizar e equilibrar seu gênero biológico, feminino (Dama), com os aspectos racionais e masculinos no íntimo de seu ser (Ás de Espadas)?
Se for um Homem: Está sendo chamado a repensar seus conceitos a respeito das mulheres, ou admitir que o desafio que você enfrenta no momento depende da ação, apoio ou ajuda de uma mulher.
30 - Lírios. Você está sendo chamado a buscar o equilíbrio, a paz, a harmonia, ou uma nova perspectiva para a sua vida (Lírios), que só poderá ser alcançada quando você agir como um diplomata, racionalmente planejando e estabelecendo estratégias adequadas aos desafios que o momento está colocando em seu caminho (Rei de Espadas).
31 - Sol. Você está sendo chamado a reconquistar a vitalidade, a força, a autoconfiança, o otimismo, a consciência e a clareza de propósitos (Sol) como condição básica e necessária para concretizar a realização material, a riqueza e a prosperidade que tanto sonha (Ás de Ouros).
32 - Lua. Você está sendo chamado a focalizar os aspectos emocionais e cíclicos da vida; a refletir sobre a sua necessidade de reconhecimento e aprovação pública; a reconhecer e respeitar as suas reais necessidades interiores (Lua). Isto implica na necessidade de desistir, renunciar alguma coisa, pois a verdade dos fatos deve ser encarada e você precisa caminhar de mãos vazias em direção ao desconhecido (8 de Copas).
33 - Chave. Você está sendo chamado a aprender que o êxito, o crescimento e o sucesso dependem, única e exclusivamente, de seu empenho e dedicação em enfrentar e equacionar eficientemente os problemas que surgem em seu caminho (Chave); muitas vezes, para atingir sua meta, você é forçado a parar, retroceder e se submeter a um novo aprendizado ou reciclar-se (8 de Ouros).
34 - Peixes. Você está sendo chamado a aprender que a riqueza, a abundância e a prosperidade dependem muito de sua disposição em estar atento e preparado para agarrar as oportunidades que surgem repentinamente em sua vida (Peixes). Para tanto, você precisa estar alerta e possuir metas claras e detalhadas, que traduzam adequadamente a sua ambição e necessidades de status e poder (Rei de Ouros).
35 - Âncora. Você está sendo chamado a compreender que a segurança e a estabilidade, material e emocional, resultam unicamente da fé; de um sistema de crenças, flexível e sem fanatismo, que possa orientá-lo e servir de apoio para levá-lo a vitória (Âncora). Isso é verdadeiro quando as situações pressionantes da vida, que geram toda sorte de medos, ansiedades, culpas e sofrimentos, tentam inibir sua capacidade de reagir e vencer (9 de Espadas).
36 - Cruz. Você está sendo chamado a entender que as provações, os sofrimentos e as tristezas que surgem em seu caminho são testes para avaliar sua força espiritual, incitando-o a recordar que existe uma Força Maior sempre pronta a amparar (Cruz). Quando você está aberto e sintonizado a essa energia espiritual, a vitória está garantida e seu esforço sincero é recompensado e reconhecido por todos (6 de Paus).”


Os ciganos na Hungria



Na Hungria, dos anos de 1850 a 1950, tanto os homens como as mulheres ciganas liam as mãos e deitavam as cartas. Eram cartas comuns de baralho. Faziam isso por dinheiro, assim como a leitura de mãos, muitas vezes como meio de sobrevivência naqueles tempos difíceis. Os ciganos na Hungria, assim como os judeus foram perseguidos pelo Nazismo e praticamente dizimados ao final da segunda guerra mundial.
Os poucos ciganos que restaram na Hungria perderam sua identidade cultural, se assimilaram e esqueceram a prática da música cigana húngara e a leitura de cartas e mãos, e suas tradições de costumes, notadamente durante a ocupação soviética que proibiu terminantemente estes hábitos e as mudanças de endereço a este valoroso povo nômade. A perda da liberdade de ir e vir representou para eles uma sentença de morte.
Atualmente existem ciganos remanescentes com residência fixa, na Hungria, mas que em nada se assemelham aos seus antepassados. Lá o conhecimento da antiga tradição se perdeu. Este conhecimento foi trazido para o Brasil pelos imigrantes, mas aqui também praticamente se perdeu, com a assimilação cultural e com a falta de interesse dos filhos em relação aos costumes das tradições dos pais. A antiga tradição cigana húngara ficou em sua maioria nas mãos dos ciganos desencarnados, no Plano Espiritual.
Estes antepassados ciganos desencarnados encontraram no Brasil um campo fértil para a prática do bem ativo e útil, auxiliando os que estão nas falanges da Luz de Jesus Cristo, principalmente os tarólogos, os quiromantes e na umbanda esotérica.
As tiragens eram feitas com um baralho comum desses usados para jogos de cartas, sem alterações, com a exceção que se usavam quatro coringas em vez de dois e estes coringas eram chamados de escravos.
Respondendo à pergunta: Qual era e é o baralho cigano húngaro?
- É o Baralho Comum de cartas de jogar acrescido de mais dois coringas além dos dois já existentes. Estas cartas se chamam de escravos e o baralho equivale ao Tarot dos Boêmios ou Arcanos Menores do Tarot.

Sobre os Ciganos no Brasil
¹ Mirian Alves de Souza é professora da UFF e pesquisadora do NUFEP, NEOM-PPGA/UFF
Os ciganos podem ser encontrados em todo o território brasileiro e nos diferentes níveis do espectro social: são artistas, músicos, dançarinos, cartomantes, quiromantes, comerciantes, professores, médicos, advogados e funcionários públicos.
Além de uma pluralidade socioeconômica, os ciganos apresentam uma enorme diversidade interna em termos de referências de identidade.
A categoria, cigano, expressa uma pluralidade de identidades étnicas, como Calon, Roma, Kalderash, Moldowaia, Sibiaia, Horahano, Lovaria, Mathiwia e Sinti. 

Tais categorias, que não se esgotam aqui, não descrevem unidades homogêneas e comportam outras diferenças étnicas, assim como de clã, nacionalidade, religião, ideologia e etc.

Os ciganos estão no Brasil desde o período colonial. Considerando suas divisões internas, pode-se afirmar que ciganos Calons estão no Brasil desde o século XVI.
Diferente dos ciganos Roma³, que vieram ao país no contexto da imigração europeia nos séculos XIX e XX, os ciganos Calons chegaram no início da colonização portuguesa.
Os primeiros registros da presença de ciganos no Brasil se referem às penas de degredo, ou seja, os ciganos chegaram ao Brasil colonial banidos de Portugal.
O documento mais amplamente assinalado como sendo o primeiro registro da presença de ciganos é o Alvará de Don Sebastião, de 1574, que decreta o degredo para o Brasil ao cigano João Torres e sua família (PIERONI, 2000).

Cigano é uma categoria que pode ser encontrada na documentação histórica. No que se refere ao contexto da imigração nos séculos XIX e XX, ainda que ciganos, assim como judeus, árabes e outros grupos étnicos, não tenham sido objeto de categorização no controle de entrada de estrangeiros, eles aparecem em documentação oficial e nos debates públicos sobre imigração.

Embora os ciganos façam parte da história da imigração para o Brasil, vindo em várias épocas de países como Romênia, ex-Iugoslávia, Rússia, Itália, Bulgária, Hungria e ex-Tchecoslováquia, eles não possuem um lugar nas “narrativas oficiais” sobre a imigração. Muitos ciganos chegados ao Brasil eram chamados de Boêmios, sendo o método de tiragem de cartas chamada de método de tiragem Cigana.
Viram junto com os exploradores portugueses e espanhóis, principalmente, constituindo várias famílias.
A língua, entretanto, é uma referência cultural muito importante, ainda que não determinante da identidade. Não são todos os ciganos que falam o Romani ou o Chibi (línguas ciganas). Porém, mesmo entre ciganos não falantes da língua, o Romani ou o Chibi são referências de identidade.
(Fim da citação)

Para a leitura das cartas, os ciganos no Brasil, a exemplo dos ciganos de Portugal e Espanha, simplificaram o jogo, pois é na simplicidade que e se encontra a sabedoria e passaram a utilizar um baralho comum, desses usados para jogos de azar, retirando o curinga e as cartas que vão do dois ao cinco, restando 36 cartas que são utilizadas para a leitura.
Este baralho de 36 cartas é o Chamado Baralho Cigano.

O Povo Cigano associou às essas cartas algumas figuras do seu simbolismo esotérico.

As correspondências entre as cartas comuns e as figuras acontece de forma natural para os Ciganos, porém para os não-ciganos torna-se um tanto difícil fazer essa associação.
Felizmente, existem no mercado versões do baralho com as figuras impressas o que facilita muito o aprendizado e sua interpretação. 


Imagem fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ciganos_na_umbanda#mediaviewer/File:Ciganos.JPG

COMO CONSAGRAR UM BARALHO CIGANO SEGUNDO A TRADIÇÃO DO BRASIL
Fonte: http://entidadesciganasdaumbanda.blogspot.com.br/2008/11/como-jogar-e-preparar-seu-baralho.html

Antes de usar as cartas, é preciso que você tome algumas providências, para consagrar o seu baralho, sem o que ele não passará de cartas para um jogo profano.

Empilhe suas cartas, à noite, sobre um copo com água e sal, para que a água com o sal retire os fluídos negativos das suas cartas, faça uma oração ao seu Anjo Guardião ou outra oração de sua preferência.
Os ciganos têm Santa Sara como padroeira.
Oração de Santa Sara Kali



“Santa Sara, minha protetora, cubra-me com seu manto celestial. Afaste as negatividades que porventura estejam querendo me atingir.
Santa Sara, protetora dos ciganos, sempre que estivermos nas estradas do mundo, proteja-nos e ilumine nossas caminhadas. Santa Sara, pela força das águas, pela força da Mãe-Natureza, esteja sempre ao nosso lado com seus mistérios.

Nós, filhos dos ventos, das estrelas, da Lua cheia e do Pai, só pedimos a sua proteção contra os inimigos.
Santa Sara, ilumine nossas vidas com seu poder celestial, para que tenhamos um presente e um futuro tão brilhantes, como são os brilhos dos cristais.
Santa Sara, ajude os necessitados; dê luz para os que vivem na escuridão, saúde para os que estão enfermos, arrependimento para os culpados e paz para os intranquilos.
Santa Sara, que o seu raio de paz, de saúde e de amor possa entrar em cada lar, neste momento.

Santa Sara, dê esperança de dias melhores para essa humanidade tão sofrida. Santa Sara milagrosa, protetora do povo cigano, abençoe a todos nós, que somos filhos do mesmo Deus.

 Que assim seja!!!
 Salve nosso Povo Cigano, Salve Santa Sara Kali.
Apchá, ARRIBA MEU POVO CIGANO!!!”
(Repita sempre após terminar uma leitura).

COMO GUARDAR E PROTEGER O SEU BARALHO

Após a consagração ou após a limpeza depois de uma consulta, embrulhe seu baralho em um pano vermelho e guarde-o em um local fora do alcance de outras pessoas, nunca use suas cartas para jogos de azar e não permita que manuseiem o seu baralho.

COMO PREPARAR-SE PARA A LEITURA DAS CARTAS

Para jogar procure se isolar. Busque também conforto, pois o local escolhido será o seu templo para leituras. Ali, você exercitará seu poder de prever o futuro. 

Antes de começar a leitura, faça a Oração à Santa Sara ou outra oração à sua escolha, concentre-se com o objetivo de limpar o espírito e a mente das energias ruins. 

Lave as mãos e beba um pequeno gole de água, simbolizando a purificação, estenda um pano branco sobre a mesa onde vai deitar as cartas, sob esse pano coloque um
punhal, com a ponta voltada para o consulente, à sua direita uma taça com água com uma ametista dentro, à esquerda uma vela branca.
 Acenda um incenso de sua preferência. Você pode também decorar sua mesa com flores, frutas, cristais, pedra de rio e outros objetos que julgar necessário. 

Lembre-se sempre de estar invocando as forças dos quatro elementos:

TERRA, FOGO, ÁGUA e AR.

Os ciganos preservam e utilizam muito os elementos da natureza em seus rituais.
Acreditam que o Fogo queima a negatividade e ilumina a positividade.
A vela, para eles concentra as energias dos quatro elementos.
A Água e a Terra são representados pela cera e o pavio.
O Fogo é a chama e o Ar (oxigênio) a mantém viva (acesa).

COMO INTERPRETAR AS CARTAS

As mensagens do Baralho Cigano representam e se encaixam na sua realidade. Mas nem sempre são mensagens diretas. Por isso, é muito importante a sua interpretação. 

Para iniciantes é recomendável o método das três cartas, que podem representar:

• Passado, Presente, Futuro.
 O Problema, A causa, A solução.

• Outras interpretações que mandar a sua intuição.

O MÉTODO DE TRÊS CARTAS

Tire três cartas do monte e vá fazendo a interpretação de acordo com a pergunta que formulou. É claro que algumas cartas não se referem exclusivamente àquilo que perguntou. Mas, com intuição, você vai conseguir interpretar com toda certeza. Se, por acaso, o assunto, ou a pergunta que você fez ficou sem uma conclusão, vire mais duas cartas para poder finalizar o assunto. 

Além desse método existem outros de maior dificuldade, que são:
• Relacionamentos - 7 Cartas
• Encantamento Cigano - 7 Cartas
• A Roda Mística - 9 Cartas
• A Pedra Dourada - 15 Cartas
• A Mesa Real - 36 Cartas

IMPORTANTE: as cartas A Cigana e O Cigano representam você ou a pessoa para quem está lendo.
Na tiragem cigana brasileira elas são usadas como carta normal, junto ás demais cartas.
Durante a leitura, você verá que algumas falam sobre isso. Se uma delas aparecer, quer dizer que a resposta está vindo diretamente para você, sem rodeios.
Se não aparecer, faça a interpretação do conjunto das três cartas.
Se a questão for bem objetiva, tipo sim ou não, a regra é: se a primeira carta for positiva, a resposta é sim.
Se for negativa, não. Faça quantas perguntas quiser, virando três cartas.
Cartas vermelhas são positivas e cartas pretas são negativas, por convenção.

O povo cigano dentro da Umbanda
Santa Sara Kali e os Ciganos


    Dentro da Umbanda temos uma legião de Entidades que nos ajudam em diversas causas, entre elas estão as legiões dos Ciganos, que são um povo escolhido por Oxalá para, com sua sabedoria e amizade, nos ajudar em algumas causas espirituais ou pessoais que tanto nos afligem nos dias de hoje.

    Antes de falar dos Ciganos propriamente dito, gostaria de falar um pouco sobre Santa Sara Kali, que é a padroeira dos Ciganos e também de tantas pessoas que mesmo sem o sangue Cigano, tem no espírito a magia desse povo maravilhoso.

    O dia de Santa Sara, que é vista como a "Princesa da Beleza Negra", é comemorado no dia 24 de maio, e abaixo vamos ver a história de Santa Sara Kali.

Histórias ou Lendas sobre Santa Sara.

Segundo alguns historiadores, por volta dos anos 50 depois de Cristo, uma embarcação teria cruzado os mares a partir de terras Palestinas levando a bordo para fugir das perseguições de Roma aos primeiros cristãos... [mar de coruripe].
Os primeiros cristãos seria um grupo de personagens bíblicos: Maria Jacobina ou Jacobé, irmã de Maria, mãe de Jesus, Maria Salomé, mãe dos apóstolos Tiago e João, Maria Madalena, Marta, Lázaro, Maximiliano e Sara, uma negra serva das mulheres santas e aportado em uma pequena ilha situada em águas do Mediterrâneo.
Milagrosamente, a barca sem rumo e à mercê de todas as intempéries, atravessou o oceano e aportou com todos salvos em Petit-Rhône, hoje a tão querida Saintes-Maries-de-La-Mer.
Sara a escrava liberta pelas três Marias, prometeu servi-las sempre e cumpriu a promessa até o final dos seus dias. Sara teria sido uma das primeiras convertidas ao cristianismo e morrido a serviço de suas companheiras de viagem.

Uma outra versão contada é que Sara era uma escrava egípcia de uma das três Marias, Madalena, Jacobé ou Salomé; e junto com José de Arimatéia, Trófimo e Lázaro foi colocada, pelos judeus, em uma barca sem remos e alimentos.
Desesperadas, as três Marias puseram-se a orar e a chorar.
Aí então Sara retira o diklô (lenço) da cabeça, chama por Kristesko (Jesus Cristo) e promete que se todos se salvassem ela seria escrava de Jesus, e jamais andaria com a cabeça descoberta em sinal de respeito.
Acredita-se que deste gesto de Sara Kali tenha nascido a tradição de toda mulher cigana casada usar um lenço que é a peça mais importante do seu vestuário.
A prova disto é que quando se quer oferecer o mais belo presente a uma cigana se diz: Dalto chucar diklô (Te darei um bonito lenço).
Talvez por um milagre, ou por obra do destino, eles chegaram a salvo a uma praia próxima a Saintes Maries de La Mer (Santa Maria do Mar em França).
Depois de muitos dias, o barco foi resgatado por moradores de uma vila próxima aos arredores da costa marítima.
Todos, por serem brancos, foram acolhidos, exceto Sara, por ser escrava (egípcia) e negra.
Um grupo de ciganos a resgatou e a aceitou, pois estavam nas proximidades e presenciaram o fato.
Sendo assim, passaram a cuidar de Sara, que, com sua morte, posteriormente, os mesmos passaram a recorrer com pedidos à mesma, por ter sido uma pessoa querida em vida, e esta, os atendeu em espírito, realizando milagres.
A partir disso, Sara se tornou Mãe e Rainha dos Ciganos, honrando-os e protegendo-os.
O surgimento de sua capela - foi criada após a sua morte.
Quando veio a falecer, os Ciganos foram até a igreja da vila pedindo que seu funeral se realizasse na mesma.
Devido ao preconceito, os católicos da época recusaram.
A partir de então, foi feito uma espécie de gruta/igreja para Sara, visitada até os dias de hoje.
Quando em 1935 a Igreja tirou Sarah de sua Cripta, muitos ciganos se aplicaram à prova do punhal (punhal avermelhado no fogo sobre a veia do pulso).
Diz-se que o Sol queimou o olhar de Sarah.
Quando o número de ciganos aumentou, a Cripta não deu para todos, e foi feito um acordo entre um gadjo chamado "Marquês de Baroncelli" e um cigano chamado "Cocou Baptista", um chefe cigano muito influente.
Até um certo tempo o acordo foi cumprido, mas os seus sucessores não levaram o trato a diante.
Este chefe cigano foi usado, simplesmente um instrumento do gadjo, ele foi renegado e expulso pelo povo cigano.

Os ciganos de origem Calon, com o passar dos anos, alteraram algumas palavras da língua regional do povo cigano.
Devido a estas alterações, houve algumas modificações idiomáticas no significado das palavras.
Entre elas, podemos citar a palavra Kalin, que em Calon representa a palavra "cigana".
Já para os ciganos que ainda preservam a língua regional, Kali representa negra.
Há algum tempo, existe esta confusão idiomática, envolvendo a cor da pele da Santa.
Para os Calons, seria Santa Sara Kalin (a cigana) e não Santa Sara - a negra.
Paralelamente, a história de Sarah chegou à Índia, onde os ciganos a associaram à deusa Kali, negra, poderosa, transformadora.

Outra versão conta que Sara era moradora de Camargue e teve piedade das Marias, resolvendo ajudá-las.
Também dizem que ela era uma rainha das terras de Camargue ou uma sacerdotisa do antigo culto celta ao deus Mitra. Uma das explicações para estas histórias é que em Camargue existiram várias colônias de antigas civilizações, como a egípcia, a cretense, a fenícia e a grega.
Por isso, muitos poetas e menestréis contaram a história de Sara, de acordo com o que ouviram de seu povo, e assim, o mito em torno dessa poderosa santa foi difundido pelo mundo e ela continua, até hoje, a ser adorada entre as comunidades ciganas.
Nos dias atuais, a santa padroeira dos ciganos é comemorada com muitos rituais e tradições por mais de 15 milhões de ciganos espalhados em diferentes pontos da Europa, Ásia, África, Austrália e Nova Zelândia.
Para preservar a história original de Santa Sara Kali, é necessário lembrar que a igreja católica santificou-a como SANTA e, que é dessa forma que o povo cigano a cultua (e não em rituais).
Aqui no Brasil, Santa Sara divide a preferência dos ciganos brasileiros com Nossa Senhora Aparecida e São Jorge Guerreiro.
 Os ciganos brasileiros adoram Nossa Senhora de Aparecida, talvez por causa de sua cor, e muitos a equiparam à Santa Sara Kali.
Se não têm a imagem dela, por ser difícil encontrá-la, por certo possui em sua Thiera (barraca) ou casa uma imagem de Nossa Senhora de Aparecida. Às vezes têm as duas.
Certo é que ela é a mais venerada Santa para os ciganos e todo acampamento cigano conduz uma estátua da virgem negra depositada num altar de uma das tendas cercadas por velas, incenso, flores, frutas e alimentos.

Além de trazer saúde e prosperidade, Sara Kali é cultuada também pelas ciganas por ajudá-las diante da dificuldade de engravidar.

Para as mulheres ciganas, o milagre mais importante da vida é o da fertilidade porque não concebem suas vidas sem filhos.
 Quanto mais filhos a mulher cigana tiver, mais dotada de sorte ela é considerada pelo seu povo.
A pior praga para uma cigana é desejar que ela não tenha filhos e a maior ofensa é chamá-la de DY CHUCÔ (ventre seco).
Talvez seja este o motivo das mulheres ciganas terem desenvolvido a arte de simpatias e garrafadas milagrosas para fertilidade.
Muitas que não conseguiam ter filhos faziam promessas a ela, no sentido de que, se concebessem, iriam à cripta da Santa, fariam uma noite de vigília e depositariam em seus pés como oferenda um diklô (lenço), o mais bonito que encontrassem.
E lá existem centenas de lenços, como prova que muitas ciganas receberam esta graça.
As mulheres ciganas também confeccionam saias, com as quais vestem a imagem da Santa.

A proteção de Sarah confere às pessoas emanações sempre benéficas que representam simbolicamente o ventre da sua mãe, seu sorriso, a irmã e a rainha: a "phuri dai" secreta dos Romis.
Dizem que a pessoa de bom coração consegue ver o sorriso na estátua de Santa Sara. Verá que tanto seu sorriso como o dela estarão diferentes.
Para os ciganos a estátua de Sara está carregada. Nela se condensam as energias sutis de muitas gerações de ciganos feiticeiros.
Ela sempre atende a todos, principalmente às pessoas que têm a intuição mais desenvolvida e usam os oráculos como forma de adivinhação.
É de costume festejar as slavas (promessas ou comemorações em homenagem a algum santo).
A Slava de Sara Kali é nos dias 24 e 25 de maio.
A Slava de Nossa Senhora de Aparecida coincide com a comemoração dos gadjés, a 12 de outubro.
Na Slava, é oferecido um banquete ao santo homenageado, onde é colocado o Santo do Dia no centro da mesa, em lugar de destaque e junto a Ele, um manrô (pão) redondo, que é furado no meio e onde coloca-se um punhado de sal junto com a vela.
Esse pão é posto em uma bandeja cheia de arroz cru, para chamar saúde e prosperidade e, ao término do almoço, ele é dividido entre os convidados pelos donos da casa, junto com essas palavras de bênçãos:

THIE AVÊS THIAILÔ LOM, MANRÔ TAI SUNKAI
(Que você seja abençoado com o sal, com o pão e com ouro).


    Sabendo-se que os Ciganos admiravam muito Santa Sara Kali, a tradição de homenagear essa linda "Princesa Negra", cresceu também por entre a religião Umbandista, pois dentro da Umbanda se tem um grande respeito pelo povo Cigano e por suas magias.

    Abaixo descreveremos um pouco mais sobre esse povo tão sublime que hoje, dentro da Umbanda, faz a caridade, nos ajudando em tantas mazelas.

Conhecendo os Ciganos e Ciganas no mundo dos espíritos.

    Essas Entidades Pertencem à uma linha de trabalhadores espirituais que busca seu espaço próprio pela força que demonstram em termos de caridade e serviços a humanidade. Seus préstimos são valiosas contribuições no campo do bem-estar pessoal e social, saúde, equilíbrio físico, mental e espiritual, e tem seu alicerce em entidades conhecidas popularmente como "encantadas".

São entidades que há pouco tempo ganharam força dentro dos rituais da Umbanda. Erroneamente no começo eram confundidos com entidades espirituais que vinham na linha dos Exus, tal confusão se dava por algumas ciganas se apresentarem como Cigana das Almas, Cigana do Cruzeiro ou nomes semelhantes a esses utilizados por Exus e Pombas-Gira.

Hoje, o culto está mais difundido, se sabe e se conhece mais coisas sobre essas entidades, chegando algumas casas a terem um ou mais dias específicos para o culto aos espíritos ciganos.
Hoje os ciganos têm na Umbanda o seu alicerce espiritual, como dissemos; Amor incondicional à proteção da natureza.
Encontraram na Umbanda um lugar quase ideal para suas práticas por uma necessidade lógica de trabalho e caridade.
Na Umbanda passaram a se identificar com os toques dos atabaques, com os pontos cantados em sua homenagem e com algumas das oferendas que são entregues às outras entidades cultuadas pela Umbanda.
 Encontraram lá, na Umbanda, uma maneira mais rápida de se adaptarem a cultos e é por isso que hoje é onde mais se identificam e se apresentam.

São entidades oriundas de um povo muito rico de histórias e lendas, foram na maioria andarilhos que viveram nos séculos XIII, XIV, XV e XVI.


Tem na sua origem o trabalho com a natureza, a subsistência através do que plantavam e o desapego as coisas materiais. Dentro da Umbanda seus fundamentos são simples, não possuindo assentamentos ou ferramentas para centralização da força espiritual.
São cultuados em geral com imagens bem simples, com taças com vinho ou com água, doces finos e frutas solares.

Trabalham também com as energias do Oriente, com cristais, incensos, pedras energéticas, com as cores, com os quatro sagrados elementos da natureza e se utilizam exclusivamente de magia branca natural, como banhos e chás elaborados exclusivamente com ervas.

Diferentemente do que pensamos e aprendemos, raramente são incorporadas, preferindo trabalhar encostadas e são entidades que devem ser cultuadas na direita, pois quando há necessidade de realizarem qualquer trabalho na esquerda, são elas que se incumbem de comandar as entidades ciganas que trabalham para este fim, por isso, não precisam de assentamentos. Por isso tudo fica evidenciado que são entidades que trabalham exclusivamente para o bem.

Santa Sara Kali é sua orientadora para o bom andamento das missões espirituais. Não devemos confundir tal fato com Sincretismos, pois Santa Sara é tida como orientadora espiritual e não como patrona ou imagem de algum sincretismo.

Ciganos na Umbanda são espíritos desencarnados homens e mulheres que pertenceram ao povo cigano.
Os ciganos em geral, tem seus rituais específicos e cultuam muito a natureza, os astros e ancestrais.
A santa protetora do povo cigano é "Santa Sara Cali". Dentro da Umbanda, trabalham para o progresso financeiro e para as causas amorosas. Cheios de simpatias espirituais, os espíritos ciganos trabalham para a cura de doenças espirituais.

Os ciganos, dentro da ritualística umbandista, falam a língua "portunhol", alguns, poucos, falam o romani, uma das línguas originais dos ciganos.

As incorporações acontecem geralmente em linha própria, mas nada impede que eles possam a vir trabalhar na linha de Exu.

São muito altivos, assertivos no que falam, seguros de si, do que enxergam e acreditam. É um povo de muita fé e credibilidade. De muito domínio e poder. São donos de uma sensualidade natural e nunca barata, envolventes pelo alto nível de carisma e amor ao próximo.

Estão sempre prontos a auxiliar aqueles que o invocam e necessitam de sua ajuda. São exímios apreciadores de licores, vinhos, ouro, prata, tecidos, amantes da arte, donos de uma sensibilidade ímpar. Muitos são clarividentes natos e muito zelosos com aqueles que estimam.


    Dentro da Umbanda se tem muitas vezes um desacordo entre o entendimento no que se refere a Ciganos e Ciganas do Oriente e Exus Ciganos e Pombas Gira Ciganas. Na verdade tanto os Ciganos ditos do Oriente e os Ciganos ditos das linhas de esquerda (Exus e Pomba Giras), tiveram em sua vida terrena a mesma concepção regrada pelos preceitos ciganos, contudo os que chamamos hoje dentro da Umbanda como os "Ciganos do Oriente", refere-se aos Ciganos que por toda a vida encarnada se fizeram membros de um clã, sem abandonar esse grupamento, vivendo assim toda a encarnação dentro dos preceitos desse clã, e os que conhecemos dentro da Umbanda como "Exus Ciganos" e Pomba Gira Ciganas", numa determinada época abandonaram esses clãs e se aventuraram a conhecer outras culturas e outros povos, aprendendo assim a não seguir somente as regras de um determinado clã.


    O Povo Cigano dentro da Umbanda, independente de vir dos preceitos dos clãs ou fora deles, é um povo caridoso que devemos respeitar e sentir orgulho quando esses nos tornam protegidos e guardados por eles.

 Oração de Santa Sara Kali



Santa Sara, minha protetora, cubra-me com seu manto celestial. Afaste as negatividades que porventura estejam querendo me atingir.
Santa Sara, protetora dos ciganos, sempre que estivermos nas estradas do mundo, proteja-nos e ilumine nossas caminhadas. Santa Sara, pela força das águas, pela força da Mãe-Natureza, esteja sempre ao nosso lado com seus mistérios.

Nós, filhos dos ventos, das estrelas, da Lua cheia e do Pai, só pedimos a sua proteção contra os inimigos.
Santa Sara, ilumine nossas vidas com seu poder celestial, para que tenhamos um presente e um futuro tão brilhantes, como são os brilhos dos cristais.
Santa Sara, ajude os necessitados; dê luz para os que vivem na escuridão, saúde para os que estão enfermos, arrependimento para os culpados e paz para os intranquilos.
Santa Sara, que o seu raio de paz, de saúde e de amor possa entrar em cada lar, neste momento.

Santa Sara, dê esperança de dias melhores para essa humanidade tão sofrida. Santa Sara milagrosa, protetora do povo cigano, abençoe a todos nós, que somos filhos do mesmo Deus.

 Que assim seja!!!

Salve nosso Povo Cigano, Salve Santa Sara Kali.

Apchá, ARRIBA MEU POVO CIGANO!!!

Autoria: Carlos de Ogum.t

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Marque uma consulta comigo

Agenda