Google Tag Manager

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Cola na escola e nos blogs

Olá estimado leitor,
Sou educador e jamais admiti cola nas minhas provas. Entretanto, por incrível que possa parecer, sofri muita pressão no sentido de ser mais permissivo com relação à cola escolar...(“é uma forma de aprendizado”, chegaram me dizer alguns pais…)
Veja o leitor que livro interessante:
Quem não cola não sai da escola capa de livro
Livro: Quem não cola não sai da escola?
Autor: José Abrantes
Editora: Wak ISBN: 978-85-7854-006-7
Sinopse, conforme a editora:
Este livro faz uma breve reflexão sobre o fenômeno brasileiro da cola na escola, tendo sido feita uma pesquisa objetiva, direta e simples com 726 alunos e 76 professores, de três instituições de ensino, do Município do Rio de Janeiro, compreendendo os ensinos: fundamental, médio e superior. O livro pode, e deve, ser lido principalmente por professores, alunos e pais, ou seja, todos aqueles participantes e interessados na atividade mais importante da humanidade: a Educação. O livro procura mostrar por que se cola e o que pode ser feito para reduzir ao mínimo esta coisa chamada cola na escola. Procurou-se entender o que alunos e professores pensam sobre a cola. O autor conclui que, além de mudar a forma de lecionar e avaliar, devemos basear o ensino no conceito das inteligências múltiplas de Howard Gardner. Para finalizar, constata-se que: a cola na escola não é um fenômeno ou anomalia exclusiva do Brasil.
Todos os dias são cometidas pequenas transgressões sociais, tais como, ficar com o troco a mais só reclamando se o troco estiver a menos, trocar etiqueta em supermercado, forjar recibos médicos do imposto de renda, “esquecer” algum produto a mais no carrinho de compras, etc.
Dizem que é do pequeno que se faz o grande. Sou filho de húngaros e meus pais jamais admitiram qualquer desonestidade que fosse. Lembro que uma vez, na minha infância que nós já estávamos no carro, de volta para casa, quando minha mãe notou que havia esquecido de pagar um item na compra do supermercado. Voltamos e,  para a surpresa do gerente, minha mãe fez questão de pagar o item que ficou esquecido dizendo: “O que é certo é certo.”
Estive há alguns anos na Alemanha e em alguns lugares turísticos havia cartões de natal a venda, tipo self-service. Você escolhia os cartões e colocava o valor respectivo em uma caixinha destinada para este fim, sem ter ninguem olhando. Pelo que observei, jamais ocorreu de alguem “esquecer” de pagar.

Para continuar a leitura, clique em Mais informações, abaixo.



Estudos recentes publicados na internet reportam que quem colou na escola tem 4 vezes mais chance de “esquecer” intencionalmente de devolver o troco a mais do que quem jamais colou. Que quem colou habitualmente tem 3 vezes mais chance de mentir para o chefe no trabalho, etc. Ou seja, é mais permissivo com relação as regras sociais estabelecidas, tem mais “jogo de cintura”, é mais “esperto”, enfim “sabe se virar”…, será?
Discussões a parte, recentemente fui surpreendido com alguns outros números da era da informática:
A expectativa para o premio Top Blog 2009 era de que mais de 3 milhões de Blogs participassem de uma população estimada de 28 milhões de internautas brasileiros. Ou seja, 14,58% da população brasileira é constituída de internautas habituais, havendo pelo menos 2 blogs ativos para cada 100 habitantes.
Segundo o IBGE no dia 07.02.2010 as 22:04 somos 6.815.050.642 habitantes no mundo e 192.453.083 habitantes no Brasil. Ou seja, 2,82% da população do planeta Terra vive aqui, na área do mapa em formato de Coração, o Brasil.
Considerando Lan Houses e Telecentros, segundo o IBOPE, em Junho de 2009, 64,8 milhões de pessoas no Brasil acessaram a Internet, o que representa 33,66% dos habitantes.
Em julho de 2009, o número de brasileiros que usaram a internet em casa ou no trabalho chegou a 36,4 milhões, um crescimento de 10% em relação aos 33,2 milhões de pessoas que acessaram a web nesses ambientes em junho. Só no ambiente doméstico, a quantidade de internautas ativos ficou em 27,5 milhões -- 40,2 milhões de brasileiros vivem em residências onde há pelo menos um PC conectado, mas nem todos o utilizam.
Segundo o Ibope Nielsen Online, o Brasil continua liderando o tempo de navegação nos ambientes doméstico e residencial. De acordo com a mesma medição, o país (com média de 48 horas e 26 minutos por internauta, em julho/09) ficou na frente dos Estados Unidos (42 horas e 19 minutos), Reino Unido (36 horas e 30 minutos), França (33 horas e 22 minutos), Japão (31 horas e 55 minutos), Espanha (31 horas e 45 minutos), Alemanha (30 horas e 25 minutos), Itália (28 horas e 15 minutos) e Austrália (23 horas e 45 minutos).
Segundo a Tecnorati, o número total de blogs no mundo é de quase um bilhão. Ou seja, 1 blog para cada 6 habitantes…
Segundo Rick Klaus, diretor executivo do Blogger.com, o Brasil já é o segundo em número de blogs e perde apenas para os Estados Unidos. Em seguida aparecem os seguintes países: Turquia, Espanha, Canadá e Reino Unido, respectivamente.
Aonde quero chegar, estimado leitor? É que costume de casa vai à praça. Se todos nós fomos educados num sistema de ensino que é permissivo quanto ao uso da cola é natural que seja aplicada a mesma cola aos blogs, certo?
Todos os dias milhares de artigos originais, inovadores e interessantes são copiados e colados em outros blogs. Boa parte dos blogueiros pouco se importa com quem está lendo o seu artigo ou se a maquina de busca está indexando sua página. A preocupação maior é que o blog tenha ficado legal, o sentido de bonito. Nada contra. Existem todos os tipos de blogueiros e espaço para todos eles.
É como se o aluno de antes, que tinha um “Caderno Legal” fosse o blogueiro de hoje que tem um Blog “Show de Bola.”
Entretanto, plágio e desrespeito a direito autoral é crime. Aliás, quem nunca tirou cópia de um livro ou usou software pirata, que atire a primeira pedra…
Quando se trata de consciência profissional então, plágio é uma praga e é importante as pessoas saberem disso.
Desta forma, que tal copiar de modo inteligente? Que tal reescrever todo o texto com suas próprias palavras, trocar as imagens por outras, pesquisar mais assuntos, aprofundar opiniões, colocar citações, enfim, aperfeiçoar e desta forma tornar-se um compilador que agrega valor para o seu leitor?
Um abraço, estimado leitor.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Marque uma consulta comigo

Agenda