Google Tag Manager

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Origem e história do cacau chocolate com pimenta

Dedico este post para a minha amiga Claudia Cacau.

A origem e história do cacau chocolate com pimenta
ca 20 chocolate com pimenta
Fonte: Resenha de pesquisas na internet.
Sierra Exif JPEG
A Descoberta do Cacau
Origem e Consumo
 
A origem e o consumo do Cacau remontam à América Central, atuais regiões do México e Guatemala, já que era nestes sítios que se localizavam as Civilizações dos Maias,Toltecas e por último dos Astecas, datados desde antes do séc. VI a. C.
ca 63 America Central
Este último povo também adotou o costume de utilizar o Cacau como bebida sagrada. Ela era servida em taça de ouro, fria e espumosa, designando-a de "Chocol - atl" ou "Tchocolatl" ou ainda "Xocolatl".
Sendo que na língua original Tolteca, Cacauatl, significa liquido amargo e Chokoatl, significa liquido a base de milho. Atl de Atlântico, além de líquido também denota água (exemplo: referência ao Oceano Atlântico).
ca 62 Oceano Atlantico
A curiosidade de os homens provarem tal fruto veio da observação dos macacos, porque estes sugavam a polpa do Cacau.
ca 61 Macaco
Assim, os ancestrais dos Toltecas criaram uma bebida nutritiva que recorria a especiarias, tais como a pimenta e o suco de milho, acompanhadas com papas de milho tostado e vinho, de acordo com o gosto.
Durante séculos seu uso foi sagrado.
Para saber mais, clique em Mais informações, abaixo.


 ca 59 Imperio Asteca
Durante a época da conquista de Cortez, diariamente, o rei Asteca Montezuma II, escolhia um prato entre 100 possibilidades apresentadas, comia frutas, bebia e comia cacau, fumava (uma espécie de cachimbo feito de bambu, onde se colocava tabaco, carvão e aromatizantes), sendo servido por quatro mulheres.
ca 60 Montezuma II
Este alimento era utilizado na América para fazer uma bebida que só podia ser consumida por uma parte da população, sendo que a sociedade asteca era composta por escravos, camponeses, comerciantes, artesãos, funcionários, senhores, sacerdotes e o imperador.
O povo Tolteca foi dominado pelo povo Asteca mais selvagem e agressivo.
O povo Tolteca cultuava publicamente o deus Quetzalcoatl (símbolo da união da terra e céu, conhecido por mil aparências, síntese entre quetzal - pássaro clip_image002
de plumas e coatl - serpente).
Quetzalcoatl era homenageado por ter oferecido o Cacaueiro aos homens.
Os astecas celebravam as colheitas com rituais de sacrifícios humanos dando de beber às vítimas taças de Chocolate; porque era considerado "o Alimento dos Deuses".
Esta era a bebida favorita dos imperadores astecas, considerados deuses e o controle das bebidas fermentadas era muito grande, só podendo ser consumidos em dia de festas rituais.
            O primeiro europeu a tomar contato com as sementes de Cacau foi Cristóvão Colombo, em 1502.
ca 58 Cristovao Colombo
Quando Colombo chegou ao arquipélago das Bahamas foi acolhido como um deus, pelo chefe local.
Segundo o "Diário de Bordo de Cristobál este descreve que: "Um grande barco veio a nosso encontro, seu chefe deu-nos telas, objetos de couro e amêndoas que servem para eles de moedas e com as quais preparam uma bebida."
Este evento acabou por produzir o encontro entre o Ocidente e o Cacau.
Ao chegar em terra, Colombo, atracou o barco e o Rei Montezuma dirigiu-se a ele para render homenagens e oferecer produtos, entre eles o Cacau.
Estas novas mercadorias foram trazidas para a Espanha, mas o rei não lhe deu muita importância.
No entanto, em 18 de Fevereiro de 1519, Hernan Cortes decidiu partir com sua armada para a conquista e busca do ouro dos astecas e de fortuna.
Levava: 11 barcos, 700 soldados e acima de 200 índios e negros, 10 canhões de bronze e artilharia.
Quando chegou ao México, em 1519 o navegador, Hernan Cortes, foi tomado por um deus.
Ele foi recebido com grande alegria pelos Astecas, porque pensavam que o Cortes seria a reencarnação do deus Quetzalcoatl.
Ofereceram-lhe uma bebida com cacau, milho e pimenta em um cálice de ouro puro que aguçou sobremaneira a ganância do conquistador.
O deus Quetzacoatl prometera voltar e quando Cortes chegou à costa mexicana, foi tomado por ele.
"Assim narra frei Bernardo: a lenda da fuga de Quetzalcoaltl tem muitas versões, ao ponto de os mexicanos confundirem em 1519 Fernão Cortês com um deus" (De H. Helfritz, Antiga América, Astecas, Maias, Incas in: Boco, 2001, p.31).
clip_image004  Cortês provou a bebida, mas não gostou muito por ser um pouco amarga e apimentada, «mais própria para ser deitada aos porcos do que ser consumida pelos homens» (Flandrin:2001, p.233 ) desiludindo os Astecas.
Entre estes o Chocolate era uma bebida fria, batida até se conseguir uma consistência semelhante à do mel, sendo uma pasta tomada às colheradas.
clip_image005
De acordo com a  "História da Alimentação" redigida por Jean-Louis Flandrin e  Massimo Montanari, a bebida era servida em cálices de ouro e era feita, por uma mistura de Cacau com pimenta (chili), milho e cogumelos alucinógenos pulverizados e aromatizados com todo o tipo de especiarias, desde noz-moscada, ao cravinho, canela, e por vezes, também baunilha.
Esta bebida era servida em cálices de ouro.
ca 57 calice de ouro
Além destas fontes esta bebida ainda aparece narrada no livro: "Astecas":
ca 56 astecas
"Montezuma bebia o Chocolatl amargo, uma bebida feita a partir de grãos de Cacau a que se juntava canela, baunilha e malaguetas".
ca 55 baunilha 
Apesar dos diferentes modos da confecção da bebida, os europeus tomaram contato pela primeira vez com a baunilha, quando Montezuma, a ofereceu aos conquistadores espanhóis.
Conforme a "História da Alimentação", "Diaz del Castillo, este em 1519 assistiu com Cortes aos banquetes do rei Montezuma em Tenochtitlán, [...].
ca 54 flor de cacau 
Ele descreveu a produção da bebida desta maneira: o Cacau, triturado e misturado com pimenta, era fervido e depois mexido energicamente com um molinete para ficar espumoso, após o que era ingerido".
Contudo, a fórmula da bebida era um segredo que os Astecas guardavam.
Sobre o cacau e as especiarias, foi só na segunda metade do século XVI é que os espanhóis conseguiram conhecer as plantas donde provinham.
Sierra Exif JPEG
Cortês aproveitou para conquistar e ocupar a região com toda a sua corte.
Em 1520 ele destruiu os símbolos religiosos pagãos que encontrou. Para isso Cortes precisou combater em grande batalha e ao retornar para a Espanha, deixou no seu lugar no comando, Pedro de Alvarado, que fez uma grande matança de astecas, dizimando grande parte da população local.
ca 52 ouro asteca
Os êxitos de Cortes traduziram-se em revoltas contra o domínio espanhol, porque tinha "triplo objetivo: expandir a fé, aumentar o império de Carlos V e encontrar ouro" (MAURO: 1993, p.60).
Cortes regressa ao México e posteriormente decide deixar a cidade mas, manda matar Montezuma, por este continuar a praticar sacrifícios humanos.
O povo revoltou-se e os espanhóis quase perderam a batalha final, a qual ficou chamada de a Noite Triste, de 30 de Junho de 1520.
ca 51 ruinas de Tula
Assim, refugiaram-se em Tlaxcalan os espanhóis e seus aliados locais e ambos empreenderam a batalha final contra os astecas, posteriormente, desta vez obtendo sucesso no intento.
A alimentação indígena era semelhante a base da dieta de um mexicano dos dias de hoje.
Por exemplo: O milho, maíz, é preparado de diversas formas como: tortilhas e tacos, sendo por vezes complementado com ervas, insetos, peixe e caça.
ca 50 milho no Mexico
Esta era dieta alimentar de um indígena mexicano comum, porque normalmente os que ascendiam socialmente tinham acesso a uma alimentação mais refinada e diversificada com carnes e peixe.
Entretanto, somente os senhores podiam tomar o Chocolate adocicado com mel e por vezes com chili.
ca 49 comida tipica mexicana
Todos dispunham de uma alimentação completa, que tinha como base maíz (milho), frijol (feijões), calabaza (carne), chili (pimenta) e sementes de amaranto.
ca 48 casa asteca
Os astecas comiam em qualquer parte da casa e o único lugar especial era o centro da casa, pois este tinha um caráter sagrado.
ca 47 Venezuela
No México, o chocolate foi sempre uma presença constante e dominante, existindo uma lenda popular mexicana: O Mole Campesino Mexicano; e está presente em toda a gastronomia mexicana.
Tornando-a uma colônia, seguiram-se as investidas espanholas, lideradas pelo próprio Cortes, que destruíram esta civilização, sobretudo à procura de metais preciosos.
ca 46 plantio de cacau na America
Apercebendo-se do valor comercial do Cacau, Cortes mandou plantar Cacau desde o México até Trinidade e Haiti.
ca 45 chocolate com pimenta
Contudo, só em 1528, Cortês trouxe consigo algumas sementes de Cacau e a receita com todos os ingredientes para fazer a famosa bebida para a Espanha.
Como esta receita não foi muito apreciada pelos europeus, os comerciantes começaram a alterar e retirar os condimentos picantes, juntando-lhe mel e açúcar, bebendo-a sempre quente.
 
Cortes levou esta bebida ao Rei Carlos V e a ofereceu com açúcar.
ca 44 Rei de Espanha Carlos V
O Rei ficou fascinado com o relato de Cortes, que lhe disse que este líquido, tão precioso, poderia alimentar um homem para um dia inteiro.
 
Em pouco tempo afirmou-se como bebida da aristocracia espanhola.
ca 43 aristocracia espanhola 
 
Iniciaram-se então plantações de açúcar no México.
ca 42 astecas chocolate liquido
Segundo a "História da Alimentação", em 1589, escrevia Acosta: «A principal utilização do Cacau é uma beberagem chamada Chocolate a que dão muita importância nesta terra, embora os que não estão habituados não a apreciem, pois forma-se à sua superfície uma espuma e uma efervescência muito pouco agradáveis à vista, de tal maneira que é preciso muita coragem para beber o liquido.
ca 41 astecas
Mas, enfim, é a bebida mais apreciada e os índios e os espanhóis oferecem aos seus convidados de qualidade. Quanto às mulheres espanholas habituadas outras bebidas amargas, o negro chocolate as leva a desfalecer de satisfação.
A partir de 1620, e nos próximos dois séculos, o cultivo do Cacau foi o produto de maior importância de exportação da Venezuela.
ca 40 cultivo do cacau
Para o seu cultivo, nestas zonas, vieram muitos espanhóis, sobretudo das Ilhas Canárias.
Posteriormente, devido à constante necessidade de produzir mais, vieram mais homens das já referidas regiões e ainda foram trazidos escravos negros da África.
ca 39 navio_negreiro
Os barcos que os traziam eram imediatamente carregados de Cacau para serem levados do México para outros lugares na forma de contrabando. Como essa transação, sem o pagamento de impostos à coroa espanhola, era ilegal, foi necessário que a Coroa criasse um organismo que pusesse termo à situação: a Real Companhia Guipuzcoana.

clip_image006
O cacau.
ca 38 semente de cacau
Ele nasceu como a bebida preferida dos deuses maias. Virou moeda para os astecas e se tornou barra no século 19.
ca 37 chocolate alegria
Alimentou o exército americano na Segunda Guerra e a ciência descobriu suas capacidades antidepressivas.
ca 36 bombom de chocolate
Nos últimos 3.500 anos, o alimento feito à base de cacau já passou por quase todo tipo de forma, cor e sabor – bombom, oval, branco, amargo.
ca 35 chocolate inalavel
É tanta polivalência que até uma versão inalável surgiu em 2009.

clip_image007
Da amarga bebida dos astecas ao delicioso chocolate apreciado nos dias de hoje, o cacau teve uma trajetória bastante singular.
ca 34 chocolate amargo
O gosto amargo da bebida não agradava aos europeus que, aos poucos, foram adicionando especiarias, açúcar e outros condimentos.
ca 33 chocolate.quente
A partir daí, a bebida, tomada quente, conquistou todas as cortes européias e se tornou privilégio das elites.
ca 31 chocolate em barras
Logo depois, o cacau passou a ser processado em tabletes, que eram facilmente transformados em bebida.
ca 30 chocolate da Holanda
A Espanha detinha praticamente toda a produção de cacau e chocolate quando, em 1778, estes passaram a ser industrializados nos Estados Unidos e na Holanda.
ca 29 ovos de pascoa
O holandês Van Houten foi pioneiro na indústria de chocolate em seu país e, segundo alguns estudiosos, produziu os primeiros ovos de chocolate consumidos na Páscoa.
ca 28 theobroma_cacao_4_small
Theobroma Cacao, que em grego significa "alimento dos deuses", é o nome científico do cacaueiro, espécie nativa da floresta tropical úmida americana, que teve sua origem, provavelmente, nas nascentes dos rios Amazonas e Orinoco, depois ultrapassou os Andes, atingindo Venezuela, Colômbia, Equador, países da América Central, México e também o Brasil, ao longo do rio Amazonas.
ca 27 cacaueiro
O cacaueiro foi introduzido na Bahia, em 1746, pelo colono francês Luís Frederico Warneaux, que trouxe as sementes do Pará.
Atualmente, a Bahia é o maior produtor nacional de cacau.
ca 21 dia do cacau
O dia do cacau é celebrado em 26 de março.
clip_image008
Fonte: Nestlé na Internet.
http://www.nestle.pt/CmsPage.aspx?PageIndex=155
HISTÓRIA DOS CHOCOLATESclip_image009
Um deus chocolate
ca 25 toltecas
O cacau foi originalmente utilizado para preparar uma bebida que, provavelmente, já era conhecida quando os Maias se instalaram no México, cerca de 600 a. C.. Diz a lenda que o cacau foi uma dádiva do deus Quetzalcoatl aos Aztecas, para lhes dar vigor e poderes benéficos. Ao cacau, os Aztecas chamaram “cacahuatl” e à bebida que daí obtinham “tchocolatl”.
ca 24 Quetzalcoatl
Expulso pelo deus supremo Tezcatipoca, que dominava sobre a vida e a morte, Quetzalcoatl prometeu regressar das terras do Oriente.
 
ca 22 Montezuma
Em 1519, quando Hernando Cortés desembarcou em território do Imperador Azteca, Montezuma, foi recebido como um verdadeiro Deus. A sua chegada coincidiu com o período de retorno, a cada 52 anos, do benevolente Deus Quetzalcoatl.
 
ca 23 calice
O fascínio de Cortés por esta bebida ficou expresso numa das suas cartas que dizia “uma só taça desta bebida fortalece tanto um soldado, que este pode caminhar todo o dia sem necessidade de tomar nenhum outro alimento”.
Chocolate na Europa
ca 16 sementes-de-cacau-secando
Quando Cortés regressou a Espanha, em 1528, trazia consigo uma grande quantidade de sementes de cacau, utensílios e a receita para preparar a bebida de chocolate.
ca 15 chocolate quente
Naquela época, as sementes eram fermentadas e secas ao sol. Depois, eram moídas entre duas pedras até se transformarem numa pasta aromática, à qual se adicionava água, açúcar ou mel e algumas especiarias. Os espanhóis estavam fascinados com esta nova bebida que, por muito tempo, devido aos elevados impostos, foi um privilégio das classes altas. Entretanto, o contrabando, as visitas à corte espanhola e o casamento, em 1615, da Infanta Ana da Áustria com o rei francês Luís XIII, provocaram a proliferação do cacau para outros países da Europa.
O tablete de chocolate
ca 14 tabletes de chocolate
A transição de bebida para tablete começou com a tentativa de encontrar uma bebida mais leve, dado que a original era rica em gordura e de difícil digestão.
ca 13 manteiga de cacau
Em 1828, um investigador alemão – Corando Van Houten – inventou uma prensa capaz de separar a gordura, manteiga de cacau. É então que surge o chocolate, apesar de muito diferente do que é hoje.
ca 12 pasta de chocolate
A mistura da manteiga de cacau, pasta de cacau e açúcar, segunda uma determinada receita, resultou numa pasta granulosa de sabor intenso, mas muito apreciada.
 
ca 11 chocolate de barcelona
A primeira produção mecanizada de chocolate surge em Barcelona, por volta de 1780; era o princípio da Revolução Industrial para este produto.
ca 10 chocolate frances
A partir do século XIX, o chocolate, confeccionado por artesãos, deixa de ser um luxo, acessível apenas a alguns. Os pioneiros no desenvolvimento das tabletes de chocolate estavam sediados em França e na Suíça.
O Chocolate Nestlé
ca 08 chocolate suico
François – Louis Cailler, construiu a primeira fábrica de chocolate na Suíça em 1819. Originalmente instalada em Vevey, teve a feliz ideia de adicionar leite ao chocolate, mas, só em 1875, o conseguiu graças à utilização do leite condensado, inventado pelo seu vizinho Henri Nestlé.
ca 09 chocolate suico lindt
É nesta altura que surgem muitos outros produtores de grande sucesso, como Philippe Suchard (1826), Charles Kohler (1830), Jean Tobler (1868) e Rodolphe Schifferli com o chocolate Lindt (1899).
ca 08 chocolate suico
A concorrência entre estes produtores, levou a constantes processos de fabrico, fazendo, desde cedo, que o chocolate Suíço fosse reconhecido pela sua qualidade até aos nossos dias.
ca 07 nestle
Em 1904, após um contrato de produção com Peter & Kohler, é lançada o primeiro tablete com marca Nestlé, de acordo com uma receita da casa Henri Nestlé S.A..
ca 06 henri nestle
É a partir desta data, e reforçada, em 1929, com a aquisição das Sociedades Peter, Cailler, Kohler, Chocolats Suisses S.A., que a Nestlé entra decisivamente no negócio dos chocolates.
ca 06 chocolates Nestlé
A chave do sucesso dos chocolates Nestlé, ao longo destes anos, reside numa palavra – Qualidade.
ca 05 chocolate Nestle verdadeiro
Por detrás de um chocolate Nestlé, está toda uma seleção criteriosa das suas matérias primas, o rigor e a tecnologia utilizadas no seu processo de fabricação, de forma a chegar ao consumidor com a qualidade que o distingue.
Fonte: Wikipedia
O chocolate é um alimento popular que tem conhecido diversas formas de apresentação.
ca 04 chocolate em po
Pode ser bebido (chocolate em pó ou achocolatado) com leite, ou em tabletes. Neste caso é apresentado em muitas versões: ao leite (em Portugal diz-se chocolate de leite), branco, amargo, com amendoim, amêndoa ou avelã, com ou sem recheio, etc., variando em função do acréscimo em partes diferentes de seus componentes individuais e assim, varia também seu valor calórico, que em qualquer dos casos é elevado.
ca 04 chocolate amargo
O chocolate amargo é feito com os grãos de cacau torrados sem adição de leite, e algumas versões permitem a sua utilização como base para sobremesas, bolos e bolachas. Deve-se usar um mínimo de 35% de cacau, segundo as normas europeias.
ca 04 chocolate ao leite
O chocolate ao leite ou chocolate de leite leva na sua confecção leite ou leite em pó. As normas europeias estabelecem um mínimo de 25% de cacau.
ca 03 couverture
A couverture é o chocolate rico em manteiga de cacau, utilizados pelos profissionais chocolateiros, como a Valrhona, Lindt & Sprüngli,Theo Chocolate e outros, com mais de 70% de cacau, e gordura de cerca de 40%.
ca 02 chocolate_branco
O chocolate branco é feito com manteiga de cacau, leite, açúcar e lecitina, podendo ser acrescentados aromas como o de baunilha.Inventado na Suíça após a I Guerra Mundial, só foi divulgado nos anos 80 do século XX pela Nestlé.
  ca 01 cupuacu
A Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) da USP desenvolveu um chocolate à base de cupuaçu, que pertence à mesma família do cacau.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Marque uma consulta comigo

Agenda