quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Significado dos naipes nas cartas do baralho

Significado dos naipes nas cartas do baralho

Significado do Naipe de Paus
Naipe 01
Fonte: O Tarô – Das Correlações Arquetípicas à Função Terapêutica.
Ednamara Batista Vasconcelos e Marques, Edição Florais de Minas, pag. 289 e outras.
http://www.floraisdeminsa.com.br
Reproduzido mediante prévia permissão do autor.
O Naipe de Paus, a árvore de tres bolinhas pretas, também é conhecida no Tarô como Bastões.
Este naipe mostra a experiência do indivíduo através do elemento Fogo, o que sugere, energia, dinheiro, ação, impulso, entusiasmo, vontade imperativa e renovação de energias.
O Fogo é essência fundamental da vida, o que aquece e anima, ele é capaz de provocar grandes transformações.
Em Paus, a vontade é fortalecida e estimulada e o dinheiro é o meio material da realização. Com esta disposição, o indivíduo se reveste de coragem e pode enfrentar qualquer situação.
Vale enfatizar que da mesma maneira que o fogo encerra a energia que estimula a criação, ele também pode destruir, consumir, queimar.
Dinheiro na mão é vendaval, é fogo!
São Palavras chave deste naipe: Dinheiro, Ação, Entusiasmo, Impulso, Vontade, Energia, Movimento, Otimismo, Confiança, Esperança, Luta, Batalha, Competição.
Naipe 01
Naipe de Copas
As cartas do Naipe de Copas, Taças, Coração, Vermelho, tem como tema central o coração.
Neste naipe, o indivíduo estará exercitando a esfera afetiva.
No Tarô Taças, Copos, Copas se ligam ao elemento líquido, a Água.
Representam os extravasamento do amor que torna a alma receptível.
Diz respeito tanto ao amor dado como recebido.
Estando estas cartas ligadas à emoção, os Florais de Minas nas Fórmulas do Terceiro e Quarto Chakras e as essências que as compõe – são as indicações que geralmente se farão úteis para conferir equilíbrio ao indivíduo quando sob influência deste naipe.
São palavras chave deste naipe: Amor, relacionamento, imaginação, encantamento, afeto, harmonia, passividade, arte, sensibilidade, sonhos, emoção, atração, sentimento, reconciliação, fantasia e rejeição.

Naipe 01
Naipe de Espadas – Balãozinho preto de cabeça para baixo – Também conhecido no Tarô como Gládios.
Este Naipe refere-se ao Elemento AR, é como tal pode no conduzir a diversos caminhos.
Relata a esfera específica do raciocínio lógico e do pensamento.
Em geral se diz: “O pensamento dói. Mas quando a cabeça deixa de pensar, o corpo começa a padecer.”
Mostra a mente como geradora de dúvidas, conflitos, angústias que estimulam o indivíduo a ser estratégico.
“A dificuldade é amiga. O Espírito avança a cada problema que resolve.”
Em Espadas, o indivíduo estará diante de um grande potencial, tanto criativo como destrutivo.
São palavras chave deste naipe: Desafios, Dificuldades, Pensamento, Astúcia, Frieza, Falta de Sensibilidade, Razão, Decisão, Clareza, Dúvida, Estratégia, Fluidez, Mudança, Movimento.

Naipe 01
Naipe de Ouros – Balãozinho Vermelho – também conhecido por Pentáculos, ou Moedas no Tarô
A experiência está na esfera do Elemento Terra.
Estamos sob este Arcano enfrentando provas relativas à sobrevivência, aos seus recursos e ao status social.
A matéria será a substância para modelar o meio e o nível da realidade será o mais concreto possível.
Nestas condições, termos que aprender sobre o valor real das coisas.
O aprendizado ocorre com as investidas do Elemento Terra, o dar e tirar posses e estatus.
Lembremos que tempo é dinheiro e que tempo é um dos elementos necessários para de obter recursos.
Este Naipe está relacionado com notícias, informações, elementos para tomada de decisão que visa a concretização de ação planejada.
Testaremos no Naipe de Ouros, o nosso nivel de apego e desapego com relação aos bens materias e como reagimos às informações e noticias recebidas sobre estes bens.
Desta maneira, as funções do Primeiro Chakra se relacionam com Ouros e a Fórmula dos Florais de Minas, indicada para estes casos é justamente a Fórmula do Primeiro Chakra.
Assim é possível tratar da influência da polaridade negativa que eventualmente pode surgir nas cartas deste naipe, embora a notícia em si seja boa pois traz a informação para a tomada de decisão.
Cuidando de equilibrar os conceitos monetários do indivíduo, a Formula da Opulência dos Florais de Minas, também de maneira generalizada, mostrará sua valia.
São palavras chaves do Naipe de Ouros: Notícias, Informações, Comunicação, Fecundidade, Prazer, Segurança, Propriedade, Recursos Materiais, Estabilidade, Resistência, Riqueza, Escassês, Medo, Insegurança, Instabilidade e Ansiedade.
Correlação das Cartas do Tarô com os Naipes das Cartas de Baralho
Os Arcanos Menores do Tarô são os Arcanos de 23 a 78.
Assim como os Arcanos Maiores estão para o macrocosmo, para os arquétipos universais e para toda uma riqueza de símbolos e significados, os Arcanos Menores estão para o microcosmo, mostrando aspectos da vida como são vividos, sugerindo acontecimentos de coisas, quase que em uma sequência. Juntos, Arcanos Maiores e Menores, sintetizam a idéia do Macro e Microcosmo.
Os Arcanos Menores entram nos detalhes da vida pessoal e a trajetória dos 22 Arcanos Maiores, nos conferem a compreensão de nós e do mundo à nossa volta.
É por meio das quatro dimensões, representadas pelos quatro naipes, que eles norteiam melhor as orientações sobre os Arcanos Maiores e nos mostram avanços de situações existentes, abrangendo todas as facetas da experiência da vida.
Estes Arcanos do Tarô, são os precursores do Baralho de Cartas Comum, e as suas descrições tendem ficar no nivel da arte divinatória.
No estudo e na prática do Tarô, os Arcanos Menores são tão importantes como as Casas Astrológicas são para a Astrologia.
Para saber mais, clique em Mais informãções, abaixo.



Naipe 01
Os Naipes.
Existem nos Arcanos Menores das Cartas de Tarô algumas cartas que são substituídas pelo Coringa e Coringa Extra nas cartas de baralho comum se quizermos fazer uso destas no processo divinatório.
Também com nos atuais jogos de baralho, as 56 cartas que compõe os Arcanos Menores estão divididas em quatro séries ou naipes.
Atrás desta divisão está a tentativa humana de compreender a existência.
Ela envolve vários esquemas, é, por exemplo, entendida através das quatro triplicidades da Astrologia:
Signos de FOGO: Áries, Leão e Sagitário
Signos de AGUA: Câncer, Escorpião e Peixes
Signos de TERRA: Touro, Virgem e Capricórnio
Signos de AR: Gêmeos, Libra e Aquário.
É verificada nos conceitos da Psicologia Junguiana em
Fogo = Entusiasmo
Agua = Sentimento
Ar = Pensamento
Terra = Sensação.
Os quatro Naipes representando o mundo e a natureza humana, são:
Copas ou Taças,
Espadas ou Gládios,
Pentáculos ou Moedas,
Paus ou Bastões.
---
As cartas do Naipe de Copas, também conhecidas por Taças, giram em torno do tema central do Coração.
Neste naipe, o indivíduo estará exercitando a esfera afetiva e notando a evolução dos sentimentos na vida.
Copas se liga ao elemento Agua, representa o extravasamento do amor que nos torna receptíveis, diz respeito tanto ao amor dado, quanto ao recebido.
A relação da Agua com a intuição dá a este naipe a sabedoria para perceber como algo desenvolveu e como tende a prosseguir, confere a natural exploração ao incosciente.

Estando estas cartas ligadas às funções da emoção, as Formulas do Terceiro e Quarto Chakras e as essências que as compõe, no Sistema Floral de Minas, são as indicações que geralmente se farão úteis para conferir ao indivíduo equilibrio, quando sob influência deste naipe.
São palavras-chave deste Naipe de Copas: Afeto, arte, atração, emoção, encantamento, fantasia harmoniosa, imaginação, passividade, receptividade, reconciliação, rejeição, relacionamento, sensibilidade, sentimento, sonhos.
---
O Naipe de Espadas ou Gládios, refere-se ao elemento AR e como tal pode nos conduzir a diversos caminhos.
Retrata a esfera específica da faculdades de conceitualização, do raciocíno lógico e do pensamento abstrato.
É a imersão do intelecto na atividade questionadora.
Mostra a mente como geradora de conflitos,dúvidas, angústias, que estimulam a estratégia.
Diz respeito à direcionar os pensamentos para a realização.
Em Espadas, o indivíduo estará diante de um grande potencial, tanto criativo, como destrutivo.
As cartas deste naipe tendem à distorção e ao exagero e é por isto que afirmam que:
“um excesso de cartas de Espadas necessita, mais do que qualquer outro naipe, ser contrabalançado com experiências e atitudes de outras sequências.”
São palavras-chave deste Naipe de Espadas: Astúcia, Clareza, Decisão, Dúvida, Estratégia, Falta de Sensibilidade, Fluidez, Frieza, Movimento, Mudança, Pensamento, Razão.
---
No Naipe de Ouros, também conhecido como Pentáculos ou Moedas, a vivência será com o elemento Terra.
Estaremos enfrentando experiências relativas à sobrevivência, aos seus recursos e ao status social.
A matéria será a substância para modelar o meio e o nível da realidade será o mais concreto possível. Investigamos e manipulamos o mundo físico.
Nestas estações temos que aprender o real valor das coisas. O aprendizado se dá pelo dar e tirar posses e estatus.
No Naipe de Ouros testamos o nosso nível de apego e desapego aos bens materiais.
De certa maneira, as funções do Primeiro Chackra se relacionam com Ouros, daí a Formula dos Florais de Minas; Fórmula do Primeiro Chakra , ser uma indicação generalizada para as disfunções verificadas sob a influência da polaridade negativa das cartas pertencentes a este naipe.
Cuidando de equilibrar os conceitos monetários do indivíduo, a Fórmula da Opulência dos Florais de Minas também, de maneira generalizada, mostra a sua valia.
São palavras-chave do Naipe de Ouros: escassez, estabilidade, fecundidade, insegurança, instabilidade, medo, necessidades, prazer, propriedade, recompensas, recursos materiais, resistência, riqueza, segurança.
---
O Naipe de Paus, também conhecido por bastões, mostra a experiência do indivíduo através do Elemento Fogo, o que sugere ação, impulso, entusiasmo, vontade imperativa e renovação de energias.
O Fogo é o elemento menos compreendido, é a essência fundamental da vida, é o que aquece e anima; ele é capaz de provocar grandes transformações.
Em Paus, a vontade é fortalecida e estimulada. Com esta disposição, o indivíduo se reveste de coragem ou a testa, e pode enfrentar qualquer desafio do mundo exterior.
Verificamos a evolução da imaginação e o desenvolvimento da criatividade.
Vale enfatizar que da mesma maneira que o Fogo encerra a energia que estimula a criação, ele pode tambem, consumir, destruir, queimar.
São palavras-chave deste naipe: Ação, Batalha, Competição, Confiança, Desafio, Energia, Entusiasmo, Esperança, Impulso, Luta, Movimento, Otimismo, Vontade.
Divisão dos Naipes
Os quatro Naipes estão divididos no grupo de cartas numeradas de Az a Dez e nos das cartas da Corte
Pagem = Valete = J = Jack
Cavaleiro = Coringa (sem equivalente no baralho comum além do Coringa)
Rainha = Dama = Q = Queen
Rei = Rei = K = King.
Cartas Numeradas
As cartas numeradas expressam momentos particulares do ser humano e representam reflexos de acontecimentos do mundo exterior. Mesmo assim, elas guardam um cento fundamento psicológico.
O Ás, ou Um, sugere o início e/ou o fim, de ação, individualidade, intensa energia, potencial, semente, unidade.
Nele, no Ás, a idéia está totalizada, representando o centro e a orígem. É do número Um (Ás) que nascem todos tos os demais números.
Podemos traçar a relação entre o Ás e os instrumentos do Mago do Tarô, com o conteúdo da Trouxa carregada pelo Louco.
O Dois, sugere ambivalência, atração, divisão, dualidade, desigualdade, estabilidade, estagnação, feminilidade, igualdade, passividade, receptividade.
Ele representa tudo o que pode acontecer em um dia de positivo e de negativo.
O Três, sugere a criatividade, fertilidade, neutralidade, perfeição, possibilidade de sucesso, resultado, síntese, término de processo.
Nele, a tensão dos opostos é desfeita e a unidade perdida vem à tona na forma do fruto.
O Quatro, sugere compromisso, consolidadção, densidade, estabilidade, estagnação, imobilidade, letargia, realização prática, rigidez,
Liga-se ao palpável, ao plano da matéria, ao visível.
O Cinco, sugere crescimento, dinâmica, mudança, reestruturação. É o número atribuido ao homem, ao poder, às relações sociais e políticas.
Simboliza um novo desenvolvimento.
O Seis, sugere situações imprevistas, dificuldades, obstáculos, mas também a harmonia resultante da fusão do masculino com o feminino.
Insere a conscientização do passado, presente e futuro.
O Sete, sugere batalha, defesa, escolhas complexas, insegurança, instabilidade, triunfo.
Representa uma situação caracterizada por crise mas também um encerramento coroado de êxito.
O Oito, sugere sofrimento, sucesso parcial, tormento. Liga-se ao fluxo e ao refluxo, à transformação e à morte.
Sendo a quaternidade dupla, representa a totalidade.
O Nove, sugere conclusão, culminância de processo, obrigações, prosperidade. Traz os conceitos de sucesso, porém com o perigo de estagnação e exigindo mudanças de rumos.
É o número que representa o fim da gravidez da mulher, o fim de algo que deve se tornar consciente.
O Dez, sugere avaliações, fim de ciclo, mudanças, novos pontos, ressureição. Representa o desdobramento perfeito da unidade; indica o ciclo.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails