Google Tag Manager

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Estou com tontura o que fazer agora



Tonturas 
O que fazer agora?
Este é o nome do livro que meu médico, Otorrinolaringologista, Prof. Dr. Jan Alessandro Socher lançou neste ano de 2014, respondendo a 101 perguntas de pacientes.





As principais queixas de pacientes em consultórios médicos do Brasil são 
Dor 
Febre 
Tontura.

Dr. Jan é Otorrinolaringologista, Professor Universitário e profundo conhecedor do assunto.

Para comprar o livro, visite
http://www.editoracrv.com.br/index.php?f=departamentos&filtro_nome=Tonturas&imageField2.x=23&imageField2.y=14

Para saber mais sobre o assunto, clique em Mais Informações, abaixo.





Fonte: http://www.einstein.br/einstein-saude/bem-estar-e-qualidade-de-vida/Paginas/nem-toda-tontura-e-labirintite.aspx#mensagem2


Nem toda tontura é labirintite!



A primeira reação de uma pessoa que tem uma tontura costuma ser o famoso “sentar cinco minutinhos para ver se passa”. Muitas vezes esta técnica funciona, porém uma alteração do equilíbrio corporal pode indicar doenças mais graves, entre elas a labirintite.



Definida como uma inflamação no labirinto, estrutura interna do ouvido que auxilia na audição e na orientação do corpo humano, a labirintite não é um mal que pode ser curado pelo simples repouso momentâneo. “Em primeiro lugar, é preciso verificar a causa para saber se é realmente labirintite”, aconselha o Dr. Gustavo Korn, otorrinolaringologista do Einstein. “Menos de 5% dos casos que recebo aqui são de labirintite, então é importante conhecer melhor o problema para tomarmos o devido cuidado”.

Quando diagnosticados como uma labirintite, conforme afirma o especialista, pouquíssimos casos da doença são incuráveis ou têm sintomas que não podem ser controlados. “Muitas coisas influenciam nestes sintomas, como alimentos que têm muito açúcar ou cafeína, o tabagismo e até o álcool. Por isso, o tratamento pode ser feito com medicamentos e, raríssimas vezes, com cirurgia, mas principalmente com a readequação dos hábitos”.
Como ela surge

Causada por uma bactéria, a labirintite por si só tem origem em outras doenças, como, por exemplo, a otite média (inflamação do ouvido médio) ou a meningite (inflamação das membranas do sistema nervoso central). Porém, além disso, seu diagnóstico pode prever outros problemas. “O labirinto funciona como um sensor do organismo. Muitas vezes a doença pode indicar dificuldades de origem metabólicas, hormonais, cardiovasculares e, em alguns casos, até psicológicas. Por isso sempre atuamos em conjunto com outros médicos e fazemos o tratamento juntos”, pontua o Dr. Gustavo.



Uma das dificuldades do seu tratamento, entretanto, como explica o Dr. Gustavo, é que muitas vezes as pessoas não procuram ajuda para a cura. “Tontura não é normal. Pode acontecer em crianças, adultos ou idosos, sendo que, nestes últimos casos, é ainda mais perigoso, já que qualquer tipo de queda pode levar a problemas mais graves”.

Por isso, para ele, é importante que seja feito o diagnóstico quando a desorientação começar a aparecer com frequência. “É difícil as pessoas explicarem que estão doentes, mas elas podem melhorar. E muitas vezes isso pode ajudar e muito na qualidade de vida”.

Publicado em 15/01/2013

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Marque uma consulta comigo

Agenda