Google Tag Manager

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Como ler a sorte no domino

Como ler a sorte no dominó (Domino significa Senhor em Latim).






Fonte: Diversos autores, pesquisa na internet

Como ler a sorte no dominó 

Dois dados podem ser a expressão tridimensional dos 12 signos do Zodíaco, que podem ser obtidos ao acaso a menos do signo do número 1, Aries.

O dominó é o jogo de dois dados estendidos num tabuleiro. Já nesta forma de oráculo é possível incluir Áries (número 1) e também a ausência de signo (número zero).

Desta forma, a mesma interpretação vale para quando se joga dois dados. No caso dos dados de os dois dados se afastam muito do lugar jogado considera-se nada e nada. Se um dos dados se afasta muito do lugar jogado considera-se nada e um.

No caso do dominó:
Proceda como em uma partida normal: embaralhe todas as peças.

Retire uma pedra e, sem ver, coloque-a sobre a mesa, sempre virada para baixo.

Faça isso três vezes em seguida.

Depois, vire-as sobre a mesa e interprete-as em conjunto, de acordo com o significado de cada peça:

Nada e nada: o pior presságio, tristeza, perda.

Um e nada: projetos concretizados.

Um e um: visita de amigo.

Dois e nada: dificuldades.

Dois e um: felicidade.

Dois e dois: ciúme.

Três e nada: surpresa.

Três e um: novidades.

Três e dois: perda sentimental.

Três e três: ciúme.

Quatro e nada: reencontro.

Quatro e um: perda de patrimônio.

Quatro e dois: perda sentimental

Quatro e três: problemas.

Quatro e quatro: encontros amorosos

Cinco e nada: amigo de visita.

Cinco e um: caso de amor.

Cinco e dois: comemoração.

Cinco e três: uma visita.

Cinco e quatro: lucro.

Cinco e cinco: mudanças, sucesso.

Seis e nada: risco de traição.

Seis e um: fim de problemas.

Seis e dois: presente útil.

Seis e três: viagem feliz.

Seis e quatro: aborrecimentos.

Seis e cinco: imprevistos.

Seis e seis: dinheiro e fama.

A Mandala Astrológica colocada de forma linear para maior facilidade de estudo e simplificação passa a se constituir no Tabuleiro Astrológico.

Significado de Mandala

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Mandala

Mandala é uma palavra em sânscrito que significa círculo.

Para saber mais, clique sobre mais informações, abaixo.



Mandala é uma representação geométrica da relação dinâmica entre o homem e o cosmo. 

Mandala é a exposição plástica e visual do retorno à unidade pela delimitação de um espaço sagrado e atualizado de um tempo divino.

 Nas sociedades primitivas, o ciclo cósmico, que tinha a imagem de uma trajetória circular (circunferência), era identificado como o ano. 

O simbolismo da santidade e eternidade do templo aparece claramente na estrutura mandálica dos santuários de todas as épocas e civilizações. 

Como exemplo, temos a enorme figura de Buda no templo de Borobudur, em Java, na Indonésia. 


Borobudur
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Conjunto de Borobudur *


Património Mundial da UNESCO

Buda em Borobudur
País Indonésia
Critérios (i) (ii) (vi)
Referência 592
Coordenadas 7º36'29"S 110º12'14"E
Histórico de inscrição
Inscrição 1991 (15ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.


Borobudur é o maior monumento budista do mundo. 

Situa-se na parte central da ilha de Java, aproximadamente a 40 km ao noroeste da cidade deYogyakarta, um dos centros de cultura javanesa tradicional. 

Atualmente é a atração turística mais popular da Indonésia

Foi construído no século VIII, originalmente como um templo hindu

Posteriormente sua construção foi continuada como um stupa budista. 

Com o advento do islamismo à ilha de Java, foi abandonado e envolvido, com o passar dos anos, pela selva até a sua redescoberta em 1814 por colonos ingleses

A Unesco promoveu um programa para sua reconstrução e recuperação que findou em 1983.

Índice
1 História
1.1 Construção
1.2 Migração populacional
1.3 Advento do islamismo
1.4 Colonialismo
2 Localização

História

Borobudur.

A história desse monumento ainda não está totalmente esclarecida. Os cientistas que estudam a antiguidade da Indonésia frequentemente se deparam com gravuras em pedras de difícil solução. 

Contudo, não se conservou nenhuma inscrição sobre a construção do Borobudur, que esclarecesse sua causa e o tempo em que foi construído. 

Por isso não é possível saber precisamente o ano de início de sua construção e nem o de término.

Construção
O século VIII foi o período no qual reinou a poderosa e rica dinastia Sailendro em Java.

Durante o século VIII e IX, muito evoluiu a arquitetura da Java central, que se tornou o centro de poder da ilha. Em uma área de 10 km² se conservam mais de 25 templos budistas e hindus, dos quais faz parte o complexo de Prambanan.

Quem começou a construção do Borobudur foram os reis da dinastia hindu Sanjaya, mas logo a cessaram. No ano de 780, os reis da dinastia budista Sailendro começaram a governar a região e continuaram a construção. Mas eles adaptaram o complexo segundo seu próprio conceito de mundo. Isto significa que eles transformaram a construção originalmente hinduista em um grandioso monumento budista.

Para a construção foram utilizados 60000 m³ de andesito (material vulcânico) proveniente dos rios das redondezas.

Migração populacional

No século IX, a dinastia Sanjaya retornou ao poder. No ano de 928, aproximadamente 70 anos após a construção do Borobudur, aconteceu uma grande erupção vulcânica

Os javaneses acreditaram que este evento significava a perda da aura do local. 

Neste período também começou o desenvolvimento da regiões litorâneas graças às relações comerciais com os habitantes das ilhas Molucas e posteriormente com outros países asiáticos. 

Talvez por esses motivos o centro de poder se deslocou para o oeste de Java, onde seria mais fácil controlar o comércio que prosperava.

Do período ente o ano de 919 e o século XIII, não foram encontrados nem escritos nem templos na Java central. 

Mas neste tempo Borobudur não foi esquecido. 

Pesquisas arqueológicas confirmam, que mesmo depois do da mudança do centro de poder ao oriente havia habitantes nas redondezas, que utilizavam a construção como seu santuário. 

Na região foi encontrada cerâmica chinesa do século XIII, o que indica também contato com o mundo exterior.

Advento do islamismo

Um grande golpe para o caráter sacro do Borobudur foi a chegada do islamismo à ilha no século XIV

Os reis e seus súditos aderiram a nova religião de uma forma relativamente agradecida. 

A pregação de direitos iguais islâmica apresentou-se àquela sociedade estratificada como um melhor e mais justo sistema social. 

Muitos anos depois a religião serviu como elemento de união na luta contra os colonizadores europeus.

Os antigos deuses foram esquecidos e os templos desmontados para servirem de material de construção.

Borobudur felizmente escapou de tal destino. 

Seus admiradores provavelmente o cobriram com areia e argila. Sobre esta camuflagem cresceu rapidamente a vegetação. 

Quando Borobudur foi redescoberto no século XIX, cresciam sobre seu terraço grandes árvores.

Colonialismo

Uma nova etapa na história do complexo de Borobudur começou com a chegada dos ingleses no arquipélago

O ingleses administraram a colônia de 1811 até 1815

O governado geral de Java foi sir Thomas Stamford Raffles, homem progressista que acreditava que Java poderia ser o lugar de uma civilização desenvolvida. 

Raffles incumbiu o funcionário holandês H. C. Cornelius de explorar a região onde (como acabara de saber) havia, escondida pela vegetação, uma enorme construção.

Cerca de duzentos homens começaram a desencobrir o monumento e a restaurá-lo de maneira simples.

Localização


O complexo de Borobudur se encontra em uma região de sismos frequentes, de alta precipitação pluviométrica e alta variação de temperatura. 

O sistema de drenagem original não era suficiente para expelir a água da chuva totalmente. 

A água penetrava na rocha, umedecendo os fundamentos da construção. 

Durante a noite e o dia, mudanças abruptas de temperatura faziam o andesito rachar. 

Devido as essas condições naturais e a séculos de desinteresse o estado do Borobudur tornou-se crítico.

Em 1973, o Borobudur começou a ser completamente reconstruído sob o patrocínio da Unesco. O monumento foi totalmente "desmontado", cada pedra foi marcada, tratada e limpada quimicamente, e novamente recolocada. A reforma custou 25 milhões de dólares e durou cerca de uma década.

O Commons possui uma categoriacontendo imagens e outros ficheiros sobre Borobudur


vePatrimônio Mundial na Indonésia
Conjunto de Borobudur • Conjunto de PrambananParque Nacional de KomodoParque Nacional de Ujung KulonSítio dos primeiros homens de Sangiran
Parque Nacional de LorentzPatrimónio das florestas tropicais ombrófilas de SumatraPaisagem Cultura da Província de Bali: o sistema Subak como manifestação da filosofia Tri Hita Karana

Categorias:
Templos budistas da Indonésia
Sítios arqueológicos da Indonésia
Patrimônio Mundial da UNESCO na Indonésia

Voltando ao assunto da Mandala:
Outros exemplos que podemos citar são as basílicas e catedrais cristãs da Igreja primitiva, concebidas como imitação da de Jerusalém Celeste, representando uma imagem ordenada do cosmos, do mundo.
Mandala é uma circunferência usada como arte pelos antigos povos. A mandala ainda é criada no presente geralmente usando compasso.

A mandala como simbolismo do centro do mundo dá forma não apenas as cidades, aos templos e aos palácios reais, mas também a mais modesta habitação humana. A morada das populações primitivas é comumente edificada a partir de um poste central e coloca seus habitantes em contato com os três níveis da existência: inferior, médio e superior. A habitação para ele não é apenas um abrigo, mas a criação do mundo que ele, imitando os gestos divinos, deve manter e renovar. Assim, a mandala representa para o homem o seu abrigo interior onde se permite um reencontro com Deus. Um exemplo bem típico brasileiro de mandala, a partir da arquitetura, é a planta superior da Catedral de Brasilia



Em termos de artes plásticas, a mandala apresenta sempre grande profusão de cores e representa um objeto central ou figura que ajuda na concentração para se atingir outros níveis de contemplação. Há toda uma simbologia envolvida e uma grande variedade de desenhos de acordo com a origem.

Originalmente criadas em giz, as mandalas são um espaço sagrado de meditação. Atualmente são feitas com areia originárias da Índia. Normalmente divididas em quatro secções, pretendem ser um exercício de meditação e contemplação. As mandalas são consideradas importantíssimas para a preparação de iniciadores ao budismo, de forma a prepará-los para o estudo do significado da iluminação.

O processo de construção de uma mandala é uma forma de meditação constante. É um processo bastante lento, com movimentos meticulosos. O grande benefício para os que meditam a partir da mandala reside no fato de que a imaginaram mentalmente construída numa detalhada estrutura tridimensional.

No processo da construção de uma madala, a arte transforma-se numa cerimônia religiosa e a religião transforma-se em arte. Quando a mandala está terminada, apresenta-se como uma construção extremamente colorida. Depois do ciclo é desmanchada, a areia é depositada, geralmente, na água. Apenas uma parte da areia é guardada e oferecida aos participantes como recordação.

Um monge inicia o desmanche da mandala desenhando linhas circulares com seu dedo, depois espalham a areia e a colocam em uma urna. Quando a areia é toda recolhida, eles apagam as linhas que serviram de guia à construção e despejam a areia nas águas do rio.

No caso do dominó como a colocação das peças é linear, a base onde se joga o dominó é chamada de tabuleiro.

Significado de Tabuleiro

Fonte: http://www.dicio.com.br/tabuleiro/
Significado de Tabuleiro

Peça de madeira ou de metal com as bordas levantadas para não deixar cair o que nela está; bandeja.
Superfície de madeira, marfim etc., para nela se jogar xadrez, damas, gamão etc.
Soalho do carro.
Música A parte do piano onde assenta o teclado.
Bras. Planaltos quase no mesmo nível mas separados por escarpas.
Bras. (NE) Faixa de terra sem arbustos e com algumas árvores.
Banco de areia que emerge na vazante.
Patim, patamar da escada.
Espaço plano numa capela ou em qualquer outro edifício.
O talho das marinhas.
Porção de terra separada em que se plantam flores, hortaliças etc.
Tabuleiro de pão, o que serve para levar o pão ao forno; masseira.

O Jogo de dominó:
Dominó
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Domin%C3%B3

Dominó é o jogo formado por peças retangulares, dotadas normalmente de uma espessura que lhes dá a forma de paralelepípedo, em que uma das faces está marcada por pontos indicando valores numéricos. 

O termo é também usado para designar individualmente as peças que compõem este jogo. 

O nome provavelmente deriva da expressão latina "domino gratias" ("graças ao Senhor"), dita pelos padres europeus para assinalar a vitória em uma partida

Na área matemática das poliformas, um dominó é a figura retangular formada por dois quadrados congruente colocados lado a lado. 

O jogo aparentemente surgiu na China e sua criação é atribuída a um santo soldado chinês chamado Hung Ming, que viveu de 243 a.C a 182 a.C. 

O conjunto tradicional de dominós, conhecido como sino-europeu, é formado por 28 peças, ou pedras. 

Cada face retangular de dominó é divida em duas partes quadradas, ou "pontas", que são marcadas por um número de pontos de 0 a 6, ou deixadas em branco. 

Um jogo de dominós é equivalente a um baralho de cartas ou jogo de dados, que podem ser jogados em uma diversidade indeterminada de maneiras.

Características construtivas
Peças de dominó.

Tradicionalmente feito de marfim, osso ou madeiras escuras, como ébano, com os pontos marcados em cores contrastantes, hoje o dominó é facilmente encontrado em uma diversidade de materiais que vão desde versões semi descartáveis em papel cartão a modelos de luxo em pedras como mármore, granito, pedra-sabão, ou metais diversos, além de plásticos variados. 

É comum também as peças trazerem pontos de cores diferentes associadas ao número representado, ou ainda a substituição dos pontos por imagens.

Pedras

Conjunto de dominós duplo-seis.

As pedras são geralmente denominadas de acordo com os números em suas pontas. Assim, uma pedra com um 3 de um lado e um 4 do outro, é chamada de três-quatro, por exemplo. Peças com números iguais em ambas as pontas são chamadas "duplos". Em um jogo de peças, nenhuma delas apresenta uma combinação de "pontas" igual a outra.

Pedras com o mesmo número em uma das pontas são consideradas do mesmo naipe. No caso do conjunto conhecido como duplo-seis, em que a pedra de maior valor é aquela com seis pontos nas duas pontas, as pedras 1-0, 1-1, 1-2, 1-3, 1-4, 1-5 e 1-6 pertencem todas ao naipe de "1", sendo que cada peça, exceto os duplos, sempre irão pertencer a dois naipes.

Na forma clássica do jogo, são sete números (de zero a seis), combinados entre si.
Matematicamente: C(7,2) + 7 = C(8,2) = 28.

Regras

No Brasil, a forma mais comum de jogar, é por quatro jogadores individuais, que receberão sete pedras cada um, pode-se também jogar entre duplas (4 jogadores 2x2), onde cada jogador recebe 6 ou 7 peças, ou jogar-se em 2 ou 3 jogadores com 6 ou 7 pedras cada um e o restante das pedras ficam para comprar no caso do oponente não ter a pedra da vez, o oponente deve comprar até que encontre a peça que possa usar, não se pode em nenhuma hipótese comprar peças a mais, ou seja continuar comprando pedras mesmo depois de ter pego a pedra que da vez (a que você passou), para não prejudicar os demais, se isso for realizado é considerado roubo e a partida é recomeçada, ao jogador que realizar esse "roubo" lhe será retirado 2 pontos.

No estado de São Paulo - Brasil, é muito comum o jogo individual (quatro jogadores, cada um por si).

Particularmente em Pernambuco e na Paraíba - Brasil, a forma de se jogar entre duplas é distinta. 
Cada um dos 4 jogadores recebe, em vez de 7, apenas 6 peças, ficando assim 4 peças fora do jogo, compondo o chamado "dorme". 

Só no final de cada partida essas pedras do "dorme" são conhecidas.

O primeiro a jogar pode ser definido por várias regras:

O que tem a pedra 6x6 (sena, camburão, carroça, carreta, carrilhão, carreirão, carretão, bucha, dozão, carrão, bomba, dôbre, dublê) sempre começa a partida, ou

Quem sortear a peça mais alta antes de iniciar a primeira partida iniciará, as demais partidas iniciam no sentido anti-horário a partir deste jogador, ou

Sai com qualquer pedra quem ganhou a partida (queda) anterior, observando as peças dobradas (sena, quina, quadra, terno, duque, às, zero, carroça, barata, carreta, carrilhão, carretão, bucha, dozão, carrão, bomba, dôbre, dublê). Na maioria dos casos o jogo evolui no sentido horário, como a grande maioria dos jogos.

O objetivo é baixar todas as peças primeiro, ou fechar o jogo (menos habitual). Jogar para o "fecha" não é modalidade comum nas mais nobres mesas de jogos, sendo permitido somente o "fecha" natural. 

Jogar no "fecha" forçado também é parte da estratégia, afinal você não vai abrir o jogo para outro "bater". 

Aquele que fechar o jogo forçadamente, terá que ter menos pontos que seus adversários obrigatoriamente, se empatar em pontos, também perde a partida.

Quem baixar todas as peças ganha os pontos da soma de todas as peças que sobrarem na mão do adversário (partida de cem pontos); ou ganha a mão (partidas de seis pontos).

O jogo fica fechado quando não é mais possível baixar peças, geralmente quando as duas pontas do jogo têm o mesmo número e não existem mais peças com este número na mão dos jogadores.

Quando o jogo fica fechado naturalmente, quem tiver menos pontos em peças na mão ganha e leva a pontuação em peças na mão do adversário, no caso de jogo por pontos.

Geralmente uma disputa de dominó é feita em várias partidas consecutivas e a dupla que acumular 6 pontos primeiro é a vencedora. 

Uma batida normal (em uma única "cabeça") vale 1 ponto, mesma pontuação quando o jogo trancar e acontecer a contagem, batida de "carroça" vale 2 pontos, o famoso "lá e ló" que significar bater com uma pedra simples nas duas pontas, vale 3 pontos, já o "lá e ló" de carroça, também chamada de "quadrada", "cruzada" ou "carroça cruzada" vale 6 pontos. caso algum jogador inicie o jogo com 4 carroças, as pedras são repostas na mesa, dando início a uma nova partida que valerá o dobro de pontos. caso saia com 5 carroças ganhará 1 ponto (a partida seguirá normal), caso saia com 6 ganhará a partida de imediato (fato este muito raro).

Quando há empate de pontos perdidos na mão, perde quem tiver o maior número de pontos na mão com a soma das pedras restante em seu poder , nesse caso o double de "zero" valerá 15 pontos, se persistir o empate, quem perde é o que jogou por último.

Quando um jogador faz jogadas inócuas, impensadas ou tolas, causando claro prejuízo ao parceiro é denominado "Príncipe", forma amiga de cognominá-lo de 'Principiante', podendo este chegar ao título de "Rei" se permanecer jogando da forma não esperada, forma amiga de 'retardado'
.


LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Marque uma consulta comigo

Agenda